Bumlai, o amigão de Lula, se contradiz cada vez mais

A Veja fotografou aviso que dava acesso total a Bumlai ao Planalto, “em qualquer tempo”…

Bela Megale e Mônica Bergamo
Folha

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o pecuarista José Carlos Bumlai, acusado de receber propina para intermediar negócios no setor de petróleo e repassá-la a uma nora do ex-presidente Lula, repete a versão, revelada pela Folha, de que os recursos que recebeu do lobista Fernando Soares eram referentes a um empréstimo.

Na entrevista, Bumlai não deixa claro se pagou de volta o dinheiro recebido do lobista, que é réu e virou delator na Operação Lava Jato. “Fiquei de devolver o dinheiro para ele, tive um problema de saúde muito sério”, afirma apenas.

Fernando Soares, conhecido como Baiano, disse em seu acordo de delação premiada que Lula se reuniu com Bumlai e o presidente da Sete Brasil para discutir contratos de navios-sonda. Ao “Estado”, o empresário admite que levou o presidente da Sete Brasil a um encontro com Lula.

Baiano também afirmou que, após as reuniões, pagou R$ 2 milhões a Bumlai. Segundo o lobista, o empresário disse, na época, que o dinheiro serviria para quitar a dívida de um imóvel de uma nora do ex-presidente.

CONHECE AS NORAS DE LULA

Na entrevista, Bumlai afirma que não pagou apartamento para nenhum filho de Lula e diz que nunca teve negócios com o ex-presidente. Em vários trechos, ele tenta minimizar o grau de proximidade com o petista e diz que as pessoas fazem uma “maximização da amizade” entre eles. Ao fim, no entanto, admite que conhece as quatro noras do petista.

Neste sábado (24), a Folha confirmou que, a amigos, Bumlai conta que deu de presente a uma das noras de Lula um jogo de armários, de valor irrisório, a título de presente de casamento.

Ao “Estado” o empresário também nega ter intermediado o pagamento de uma dívida do PT com o Banco Schahin. “Meu Deus, eu não sou filiado ao PT, esse Rui Falcão [presidente do partido] até posso ter sido apresentado a ele, muito prazer, não tenho ligação com ele (…) Eu lá sei de dívida do PT?”, afirma.

Em seu acordo de delação premiada, Baiano teria relatado que Bumlai o procurou para resolver problemas de dívidas do PT na campanha de 2006, e que o Banco Schahin foi utilizado para levantar o dinheiro.

MUÇULMANO

Neste sábado, em reunião com a direção do MST (Movimento dos Sem Terra), Lula disse que está muito “irritado” com citações a seus familiares na Lava Jato.

“Ele falou que está muito irritado porque são inverdades. Citam nomes de familiares dele sem provas”, disse João Paulo Rodrigues, da coordenação do MST.

Questionado pela imprensa sobre as denúncias envolvendo Bumlai, o petista desconversou. “Hoje é sábado, eu sou muçulmano e sábado eu não falo de política”, disse, confundindo-se com os judeus, que não trabalham no shabat, que vai do pôr do sol de sexta ao anoitecer de sábado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Quanto mais se explica, mais Bumlai se complica. Primeiro, nem conhecia as noras de Lula, agora já conhece as quatro. Riquíssimo, a ponto de pegar R$ 300 milhões no BNDES, Bumlai deu presente de valor irrisório no casamento do filho de Lula? E depois ficou duro e teve de pegar dinheiro emprestado dinheiro com Fernando Baiano? Primeiro, era para pagar empregados; agora, diz que estava muito doente. Mas o que é que uma coisa tem a ver com a outra? E por que jamais pagou o empréstimo? Tradução simultânea: Bumlai é um farsante igual ao amigo Lula. (C.N.)

Bela Megale e Mônica Bergamo
Folha

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o pecuarista José Carlos Bumlai, acusado de receber propina para intermediar negócios no setor de petróleo e repassá-la a uma nora do ex-presidente Lula, repete a versão, revelada pela Folha, de que os recursos que recebeu do lobista Fernando Soares eram referentes a um empréstimo.

Na entrevista, Bumlai não deixa claro se pagou de volta o dinheiro recebido do lobista, que é réu e virou delator na Operação Lava Jato. “Fiquei de devolver o dinheiro para ele, tive um problema de saúde muito sério”, afirma apenas.

Fernando Soares, conhecido como Baiano, disse em seu acordo de delação premiada que Lula se reuniu com Bumlai e o presidente da Sete Brasil para discutir contratos de navios-sonda. Ao “Estado”, o empresário admite que levou o presidente da Sete Brasil a um encontro com Lula.

Baiano também afirmou que, após as reuniões, pagou R$ 2 milhões a Bumlai. Segundo o lobista, o empresário disse, na época, que o dinheiro serviria para quitar a dívida de um imóvel de uma nora do ex-presidente.

CONHECE AS NORAS DE LULA

Na entrevista, Bumlai afirma que não pagou apartamento para nenhum filho de Lula e diz que nunca teve negócios com o ex-presidente. Em vários trechos, ele tenta minimizar o grau de proximidade com o petista e diz que as pessoas fazem uma “maximização da amizade” entre eles. Ao fim, no entanto, admite que conhece as quatro noras do petista.

Neste sábado (24), a Folha confirmou que, a amigos, Bumlai conta que deu de presente a uma das noras de Lula um jogo de armários, de valor irrisório, a título de presente de casamento.

Ao “Estado” o empresário também nega ter intermediado o pagamento de uma dívida do PT com o Banco Schahin. “Meu Deus, eu não sou filiado ao PT, esse Rui Falcão [presidente do partido] até posso ter sido apresentado a ele, muito prazer, não tenho ligação com ele (…) Eu lá sei de dívida do PT?”, afirma.

Em seu acordo de delação premiada, Baiano teria relatado que Bumlai o procurou para resolver problemas de dívidas do PT na campanha de 2006, e que o Banco Schahin foi utilizado para levantar o dinheiro.

MUÇULMANO

Neste sábado, em reunião com a direção do MST (Movimento dos Sem Terra), Lula disse que está muito “irritado” com citações a seus familiares na Lava Jato.

“Ele falou que está muito irritado porque são inverdades. Citam nomes de familiares dele sem provas”, disse João Paulo Rodrigues, da coordenação do MST.

Questionado pela imprensa sobre as denúncias envolvendo Bumlai, o petista desconversou. “Hoje é sábado, eu sou muçulmano e sábado eu não falo de política”, disse, confundindo-se com os judeus, que não trabalham no shabat, que vai do pôr do sol de sexta ao anoitecer de sábado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Quanto mais se explica, mais Bumlai se complica. Primeiro, nem conhecia as noras de Lula, agora já conhece as quatro. Riquíssimo, a ponto de pegar R$ 300 milhões no BNDES, Bumlai deu presente de valor irrisório no casamento do filho de Lula? E depois ficou duro e teve de pegar dinheiro emprestado dinheiro com Fernando Baiano? Primeiro, era para pagar empregados; agora, diz que estava muito doente. Mas o que é que uma coisa tem a ver com a outra? E por que jamais pagou o empréstimo? Tradução simultânea: Bumlai é um farsante igual ao amigo Lula, que o recebia no Planalto “em qualquer tempo e em qualquer circunstância”. (C.N.)

5 thoughts on “Bumlai, o amigão de Lula, se contradiz cada vez mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *