Cabral pede para trabalhar até em limpeza em Bangu 8, mas não é selecionado

Imagem relacionada

Sérgio Cabral está tentando reduzir o tempo que passará na prisão

Carolina Heringer
O Globo

Preso na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecida como Bangu 8, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio, Sérgio Cabral tenta, desde junho do ano passado, uma vaga para trabalhar na unidade prisional. A defesa do ex-governador do Estado faz, mensalmente, pedidos à administração do presídio, solicitando que Cabral consiga “atividade laboral voluntária e não remunerada”. O político, no entanto, nunca foi escolhido. A última solicitação foi feita no dia 2 deste mês.

As vagas disponíveis para detentos nos presídios do Rio são para trabalhar em funções como limpeza da unidade, distribuição de comida a presos ou bibliotecário. Segundo a advogada Patricia Proetti Esteves, que defende Cabral, o ex-governador está disposto a desempenhar qualquer uma dessas funções

DIZ A ADVOGADA — “Ele se disponibilizou a desenvolver qualquer atividade laboral de acordo com a necessidade e conveniência da unidade”, afirmou a O Globo.

No pedido feito à direção do presídio, a advogada afirma, ainda, que o cliente “deseja iniciar com máxima urgência as atividades laborais que lhe forem designadas pelas autoridades administrativas”.

Apesar dos pedidos, a defesa de Cabral é informada de que não há vaga para o político na unidade. Em geral, a quantidade de presos que querem trabalhar nas atividades administrativas das unidades é maior do que os postos disponíveis e há filas de espera nas cadeias.

REDUZIR A PENA – O objetivo do ex-governador é reduzir ao máximo a sua condenação, que já soma 198 anos de prisão. A Lei de Execução Penal possibilita uma diminuição de um dia de pena a cada três de trabalho ou 12 horas de estudos.

Ainda com objetivo de diminuir o tempo que ficará atrás das grades, Cabral está cursando faculdade de Teologia à distância. O político está no terceiro período do curso. Segundo Patrícia, Cabral recebe semestralmente o material de estudo, inclusive as provas, que são enviadas para correção por correspondência. Ao fim do curso, a defesa pedirá a diminuição da pena de acordo com a carga horária do curso.

O ex-governador já solicitou, no dia 15 de março deste ano, redução de 234 dias de sua pena por três cursos realizados, quatro livros lidos e aprovação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio ainda não decidiu sobre a solicitação feita pela defesa de Cabral.

EMPECILHOS – Fontes da VEP ouvidas pelo Globo alertam que, para ser concedida a diminuição da condenação, é preciso que os cursos preencham requisitos, como convênio com a Seap. Além disso, o aproveitamento do Enem por Cabral pode estar ameaçado, apesar de parecer favorável do Ministério Público estadual.

O Judiciário entende que os presos que possuem Ensino Superior Completo não podem diminuir penas pela aprovação na prova. Cabral tem graduação em Jornalismo.

9 thoughts on “Cabral pede para trabalhar até em limpeza em Bangu 8, mas não é selecionado

  1. Esse cara teve uma das maiores oportunidade de um ser humano, tinha tudo, tava com a faca e o queijo na mão, podia ser amado por todo o belo estado do Rio, mas preferiu outra coisa, nem limpador de privada o cara consegue ser, nem odiado ele é, ele virou um nada, é indiferente a sua existência ou inexistência.

  2. Olha a imagem do politico brasileiro!

    Com uma briba na mão!!!!!

    Santa ‘PQP’ Batman!!!!

    E olha que o Governo tá impregnado ” disso daí “!!!!

    O diabo trajando pele de cordeiro de Deus….

    Brasil acima de tudo ??? CADÊ AS AUDITORIAS ??

    Deus acima de todos ?? De que Deus esse pilantra esta falando?? Quem garante que não é o deus do mal???

  3. Cabral é mesmo um bosta – este, do artigo em tela.

    Antes, poderoso porque foi o maior ladrão que tivemos agindo individualmente, simplesmente era o motivo pelo qual deveria ter recorrido a Deus e ter pedido ajuda para se corrigir dos crimes que praticava.

    Certamente se divertindo em Paris com seus cúmplices, sequer pensou no Criador, pelo contrário, considerando o Cristianismo, Cabral deu mais atenção ao demônio que a Deus.

    Agora, trancafiado, condenado há dezenas de anos, um mero indivíduo odiado e repulsivo, quer fazer as pazes com o Altíssimo.

    Na condição de pecador, não tenho como alcançar o pensamento de Deus nesta questão, pois eu mandaria o Cabral às favas (justamente por isso não sou Deus).

    Se Deus vai perdoá-lo, respeito a Sua decisão, claro, mas, na razão direta que o Criador o perdoará, Ele deveria também auxiliar as vítimas deste ladrão, e compensá-las pelos prejuízos que o perdoado lhes ocasionou.

    Sim, pois, lá pelas tantas, se Cabral conseguir o perdão divino e se comportar, o ex-governador do Rio poderá morar no céu, ao lado de Deus!
    E, quem trabalhou a vida toda, porém cometeu seus erros naturais como ser humano, o destino será o inferno!

    Não é por nada que se diz:
    “Deus escreve certo com linhas tortas”!

  4. Como os pastores eletrônicos, que merecem meu desprezo e nojo, pela exploração da fé alheia, especialmente dos desamparados, este BOSTA deste Cabral, já tá no marketing religioso.

    Olha o livrinho que ele carrega.

  5. Por que não fazem assim: para cada real roubado deve devolver 100. Se conseguir pode ir para casa. Todos lucram. Ele fica livre (não retornará à vida pública) e os cofres dos estado recebem o desfalque com juros (menores que do cartão de crédito).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *