Caixa Econômica vai reduzir os juros para estimular o crédito, diz Padilha

Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com)

Vicente Nunes
Correio Braziliense

A Caixa Econômica Federal já aderiu ao projeto do governo Temer de reduzir as taxa de juros para estimular o crédito e, por tabela, o consumo. Segundo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, as recentes medidas anunciadas pelo banco, ampliando o teto do valor dos imóveis financiados para até R$ 3 milhões e aumentando a parcela a ser coberta por empréstimos, são um forte indicador de que a instituição está trabalhando em sintonia com o Palácio do Planalto para tentar estimular a economia.

“Se observarmos a Caixa, nas medidas tomadas na última semana, ela sinalizou que pretende trabalhar no rumo de derrubar os juros. Ela aumenta o valor dos financiamentos e trabalha com a redução do spread. Portanto, naquilo que poderia ser interpretado como um sinal do governo, a Caixa já deu a resposta”, disse Padilha. Segundo ele, os sinais recentes de melhora da atividade estimulam o governo “para que se prossiga no rumo que vem vindo”.

A meta é que também o Banco do Brasil anuncie medidas para estimular o crédito. A instituição, no entanto, não apresentou nada de concreto para o governo, alegando que ainda não foi demandado. Na Casa Civil, porém, a informação é de que os bancos públicos, sem exceção, estão incumbidos de apresentar sugestões para facilitar o crédito. Queiram ou não queira.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGEnfim, uma grande notícia no setor econômico. O maior obstáculo ao desenvolvimento do país são os juros. O assunto é estratégico e delicado, Nesta quarta-feira o Copom (Comitê de Política Monetária) manteve os juros básicos (Taxa Selic) em 14,25%, contra a vontade do presidente Temer. Foi um erro, porque a inflação logo vai cair de podre, pois não existe demanda. Esses burocratas do Banco Central são bizarros e inconsequentes. Vamos voltar ao assunto, que é fundamental a todos os brasileiros e requer tradução simultânea. (C.N.)

18 thoughts on “Caixa Econômica vai reduzir os juros para estimular o crédito, diz Padilha

  1. Não adianta tentar estimular a economia insuflando a demanda. O endividamento da família brasileira e das empresas não tem precedentes. O mercado consumidor, esgotado que está, por isso, não responderá a tais estímulos. É preciso recuperar a economia pelo lado do investimento, de modo a ampliar a oferta e derrubar os preços dos itens de consumo.

    Sem as reformas estruturais a retomada da economia não virá tão cedo.

    Quanto à queda da taxa Selic o mercado está apostando que ocorrerá isso já a partir de Outubro do ano corrente.

    Vamos aguardar, pois, já há espaço para a queda de juros, uma vez que a inflação está arrefecendo.

  2. A situação financeira da Caixa Econômica Federal, por sinal, É bastante complicada. O banco público vai precisar de aporte de capital por parte do Tesouro.

    Acho bom o governo se desdobrar para conseguir passar no Congresso todas as reformas estruturais que o país precisa, mostrando competência, seriedade e determinação.

    Foi por falta dessas coisas, dessas virtudes administrativas que Dilma e o PT nos empurrou para esse abismo de estagflsção. Temer e sua equipe econômica não possuem margem para manobrar fora de um ajuste fiscal de significativa restrição monetária.

    Não dá para fazer o ajuste e ao mesmo tempo expandir o mercado de crédito através dos bancos oficiais.

    Se tentar vai cair na mesma vá lá em que Dilma caiu.

  3. O Brasil tem inflação de demanda no setor imobiliário, onde o estoque é enorme e o número de distratos maior do que o de contratos ???

    Vejam o site bolhaimobiliária.

  4. A NOSSA FORTE INFLAÇÃO DE ” DEMANDA ” !
    ———————————————————–

    13/01/2016 09h00 – Atualizado em 13/01/2016 10h53
    Vendas do comércio caem 7,8% e têm o maior recuo desde março de 2003.

    Já na comparação mensal, varejo registrou 2ª alta seguida em novembro.
    No ano, de janeiro a novembro, o comércio já acumula perdas de 4%.
    ———————-
    01/04/2016 09h00 – Atualizado em 01/04/2016 11h38
    Indústria recua 2,5%, a maior queda para fevereiro da série histórica
    Nos dois primeiros meses do ano, o setor já acumula queda de 11,8%.
    Em fevereiro, produção de veículos caiu quase 10%, segundo o IBGE.
    ———-
    13/07/2016 09h00 – Atualizado em 13/07/2016 10h55
    Queda de 6,1% no setor de serviços é a maior para maio desde 2012
    Setor de transportes foi o que mais influenciou a queda do indicador.
    Na comparação mensal, setor de serviços recuou 0,1%.

  5. Fora de pauta, mas mais uma vez parabéns à PF !

    Policiais se infiltraram
    Brasil 21.07.16 14:26
    O jornal Extra noticia o que aventamos há pouco:

    “Agentes da Polícia Federal se infiltraram em grupos de WhatsApp e Telegram usados pela célula do Estado Islâmico desarticulada pela operação Hashtag, deflagrada na manhã desta quinta-feira. Foi dessa maneira que os policiais tiveram acesso às mensagens do grupo. Pelos aplicativos, os integrantes comemoravam atentados terroristas e se preparavam para ações durante a Olimpíada”.

    Durante a coletiva, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, não respondeu quando questionado sobre como a PF teve acesso às mensagens, uma vez que os aplicativos usam criptografia.

  6. A meu ver, a Prioridade UM do Governo TEMER (75) PMDB ainda Interino, é trazer do volta o crescimento Econômico/EMPREGOS, com o qual tudo começa a ir para os eixos.
    Para isso, corretamente nesse “fundo da Crise” teve que aumentar o deficit Público/2016 para -R$ 170,5 Bi, e ainda o de 2017 para -R$ 140 Bi.
    Após a volta do crescimento, aplica-se o REAJUSTE FISCAL que tem “efeito de Arrasto”. Quanto mais crescimento, mais se pode aplicar AJUSTE FISCAL.
    Como temos grandes estoques de Apartamentos/Casas em nossa maior Indústria que é a CONSTRUÇÃO CIVIL (Residencial/Comercial), e de automóveis/caminhões em nossa segunda maior Indústria a AUTOMOBILÍSTICA/AUTO-PEÇAS, e também nas outras Indústrias, nada melhor que usar os Bancos Públicos, principalmente CEF e BB para serem a espoleta de uma pequena explosão de Demanda via baixa dos Juros. Mal não fará.
    Hoje, o Dpto do TESOURO NACIONAL vendeu com sucesso US$ 1 Bi em Títulos de maturação 30 anos, a custo razoável, no Mercado Internacional. Lembrar que a média de maturação dos Títulos do Tesouro Nacional no Mercado Aberto Nacional não passam de 5 anos.
    Também a Taxa de Juro de Longo Prazo e o Seguro Internacional dessas operações está caindo. É um importante SINAL DE CONFIANÇA que o Mercado Internacional envia ao Mundo, em relação a Política do Governo Brasileiro, em momento que esse passa por “aperto”.

    • Perfeito, alavancar o que está parado. Depois teremos de aos poucos tirarmos os quase 60 milhões que estão nos Serasas da vida, trazendo-os de volta ao mercado consumidor.
      No governo Lula isso ocorreu não por competência , mas por circunstãncias históricas, pois o país surfava em commodities supervalorizadas .

  7. Wagner Pires acertou em dizer que é necessário ampliar a oferta. Os governos utilizam o caminho mais fácil para combater a inflação, que é inibir o consumo, arrochando os salários e aumentando os juros e quando precisa aumentar o consumo parte para os empréstimos, que é empurrar com a barriga o problema para o futuro, haja vista que depois de gastar o empréstimo, o endividado passa a consumir menos. Foi assim que o PT aumentava o consumo e as consequências estão aí, uma tremenda recessão.
    Só há desenvolvimento com consumo, mas sem consumo com dinheiro emprestado. Como dizia o velho ditado: dinheiro emprestado é dia de muito e véspera de nenhum.

  8. O ‘ajuste ‘ me engana que eu gosto…

    ” Em tempo de crise financeira, o Senado Federal decidiu abrir os cofres: reformará os gabinetes dos senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Lasier Martins (PDT-RS). No caso de Jucá, serão desembolsados R$ 163 mil para reformar o gabinete pessoal. Para Lasier, o Senado gastará quase R$ 138 mil. Ou seja, o valor das duas cobras será de R$ 301 mil.

    O valor total daria para comprar três imóveis pelo teto da primeira faixa do Minha Casa, Minha, atualmente em R$ 96 mil cada um. A informação foi publicada pelo Estado de S. Paulo.

    O gabinete de Jucá é o mesmo que o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado disse que visitava para entregar propina ao senador, acusado de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás. Jucá nega.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *