Calero se demitiu para evitar a campanha que o Planalto montou para difamá-lo

Resultado de imagem para marcelo calero

Calero diz que o Planalto começara a “plantar” notícias falsas 

Carlos Newton

O atual ministério é um deserto de homens e ideias, diria o estadista Oswaldo Aranha, e está ficando cada vez pior, porque os melhores ministros estão sendo afastados, por não aceitar interferências ilegítimas em suas pastas. O caso da demissão de Marcelo Calero, ministro da Cultura, é bastante sintomático. Na verdade, deve-se ressalvar que ele não se afastou exatamente por causa das pressões de Geddel Vieira Lima, da Secretaria de Governo, de Eliseu Padilha, da Casa Civil, e do próprio presidente Michel Temer.

Calero estava até determinado a ficar e resistir às pressões, mas acabou se demitindo quando percebeu que o Planalto já havia montado uma campanha difamatória para desestabilizá-lo, exatamente como ocorrera meses atrás com o então ministro Medina Osório, da Advocacia-Geral da União, que também tinha sido pressionado pelo chamado “núcleo duro” do Planalto, comandado por Eliseu Padilha (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).

“INFORMAÇÕES FALSAS” – O depoimento de Calero à Polícia Federal foi bastante esclarecedor. Ele contou que, em seu último encontro com o presidente Temer, “tinha tomado conhecimento que estariam sendo ‘plantadas’ na imprensa informações desabonadoras e falsas a seu respeito; QUE o Presidente lhe disse que esse tipo de informações falsas eram comuns de serem divulgadas pela imprensa e ele mesmo já havia sido objeto delas; QUE por fim, o depoente disse ao Presidente que não se sentia à vontade para tomar qualquer decisão naquele processo, e assim despediu-se do Presidente”.

Marcelo Calero sabia que Medina Osório tinha sofrido uma implacável campanha difamatória, com notícias fabricadas contra ele e distribuídas para a imprensa pelo núcleo duro do Planalto, que agora Temer tenta amolecer. Inventaram que Medina Osório exigira um gabinete no Planalto, não se relacionava com a equipe técnica da AGU, perdera a ação da EBC (da qual nem participara), dera “carteirada” para voar em jatinho da FAB (notícia desmentida pelo Ministério da Aeronáutica), era nascisista e gostava de fumar charutos cubanos – coisas assim, fúteis e devastadoras.

Diante desse exemplo concreto, Calero ficou atento. Quando a campanha difamatória foi iniciada, decidiu abortá-la imediatamente, e a única maneira de conseguir era se demitindo.

NÚCLEO DURO – Essas campanhas difamatórias não tinham a participação de Temer, embora seu nome fosse usado com frequência. Eram montadas diretamente por Padilha e Geddel, como apoio do Secretário de Imprensa, Márcio de Freitas Gomes, que há 17 anos é funcionário do PMDB e assessora os caciques do partido, e do subsecretário Jurídico da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha, que há anos é advogado do partido.

Jornalistas de renome foram inadvertidamente usados contra Medina Osório. Recebiam as notícias “em off”, diretamente da cúpula do Planalto, e acreditavam que fossem verdadeiras. Somente depois que o ministro da AGU foi afastado é que vazou a informação de que tinha havido uma “armação” contra ele. E desde então muitos jornalistas de Brasília ficaram com um pé atrás, como se dizia antigamente.

Quando o Planalto começou a plantar notícias também contra o ministro da Cultura, houve estranheza. Ao invés de publicar as informações manipuladas, os jornalistas Natuza Nery e Paulo Gama, da Folha, foram ouvir Marcelo Calero. O ministro então percebeu que já estava sendo vitima de um processo difamatório idêntico ao de Medina Osório, e deu logo a  explosiva entrevista que detonou Geddel e agora ameaça Padilha e o próprio Temer.

MÁQUINA DE DIFAMAÇÃO – Em setembro, Temer não gostou da demissão de Medina Osório, que saiu atirando e denunciou a Operação Abafa destinada a inviabilizar a Lava Jato. O presidente então aproximou-se mais de Moreira Franco, secretário do Programa de Parcerias de Investimentos, e começou a esvaziar o núcleo duro, com a recriação da Secretaria de Comunicação Social, diretamente subordinada à Presidência e dirigida pelo porta-voz Alexandre Parola.

Quase três meses depois,  Temer consegue se livrar de Geddel por vias transversas, mas à custa de um desgaste enorme, e ainda falta defenestrar de Padilha e seus dois penduricalhos – Márcio Gomes e Gustavo Rocha, ambos ligados aos caciques do PMDB. Haverá mais desgaste. Porém, somente assim Temer conseguirá destruir a máquina de difamação que funciona no Planalto e poderá governar com mais tranquilidade, se é que tem realmente esse objetivo.

9 thoughts on “Calero se demitiu para evitar a campanha que o Planalto montou para difamá-lo

  1. Caro Newton, artigo pondo os pingos nos iii.
    Pergunto: one está a “Pitonisa”, para prever um futuro decente e justo para o Brasil???, Minha avó analfabeta, mas de uma sabedoria ímpar, já dizia, meu neto; quer aparecer, pendure uma melancia no pescoço e vá para a janela,Gilmar, já que quer aparecer na Mídia, use o dito da minha avó, ontem falei do dito “boca fechada não entra mosca”, sinceramente como confiar em um STF, se seus ministros (sinistros), estupram e vilipendiam a Srª Justiça.
    Que Deus proteja o Juiz Sergio Moro e Equipes MPF E PF, exemplos de Amor à Pátria, a Srª Justiça, e Amor fraterno ao nosso povo.
    E a cambada do congresso corrupto, com suas reuniões quadrilheiras, com o executivo, na calada da noite,com suas canetas, que atingem mais de 200 milhões, são piores que os quadrilheiros de metralha, que atingem um milhar, mas,se arriscam a morrer ao enfrentar a policia, por não terem ‘foro e imunidades, e a conivência dos passos de cagado do stf, comparando, os metralhas, são santos ou anjos!!??
    Que Deus nos ajude a sair desta podridão.

  2. E o Aécio disse que tinham de investigar o Calero….

    Repasses vultosos a Aécio

    Brasil 26.11.16 07:16

    A Veja diz ainda que Aécio Neves recebeu “repasses vultosos” por meio de uma agência de publicidade registrada em nome de Paulo Vasconcelos, um de seus marqueteiros.

    Segundo um dos investigadores, citado pela reportagem, “está tudo muito bem documentado

  3. Se depender da Veja vai faltar ventilador…

    Segundo a revista, nenhum dos delatores disse ter discutido repasses diretamente com o governador de São Paulo.

    O codinome está associado ao pagamento de um percentual de 5% sobre obras da rodovia Mogi-Dutra, em 2002, num total de aproximadamente R$ 3,4 milhões.

    Há referência também ao pagamento de R$ 500 mil em propinas na Linha 4 do Metrô.

  4. Anúncio

    Os R$ 23 milhões de Serra

    Brasil 26.11.16 07:07

    O esquema de propina, segundo a Veja, começou a funcionar em 2009, quando ele começou a se movimentar dentro do PSDB para concorrer à Presidência da República.

    Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB já morto, foi quem sugeriu usar as contas de Ronaldo Cezar Coelho para camuflar a propina da Odebrecht. Os pagamentos obedeciam um cronograma.

    Cerca de R$ 6,5 milhões foram usados para cobrir gastos da campanha de 2010. A revista diz ainda que Coelho aderiu ao programa de repatriação de recursos.

    • Virgilio, o Sr. Paulo não vai gostar nada dessa notícia.
      Segundo ele disse, precisa de 2 janainas para o Brasil virar uma Suiça,, mas pelo jeito depois que o Listão da Odebrechis sair, acho que vai precisar mais de mil janainas……

      • Continuas mentindo Armando eu disse que duas Janainas são melhores que um Armando. E com razão. O Armandinho do Paletó só está preocupado com a teta que perdeu e não faz nada pela mudança. Esta é a diferença; tu continuas petista e como todos os petistas mentes descaradamente para justificar o roubo…..Eu, quero um Brasil melhor e não tenho ladrões de estimação. Quem levou o pontapé na bunda do FHC que busque o paletó.

  5. Caro CN … Sds!

    Não creio que interesse a Temer e ao PMDB um Estado Policialesco … As decisões são tomadas conforme as Instituições Constitucionais operem … E Temer fica com aspecto de conivente … Há que se ter paciência, pois o PMDB não tem dono … Tem caciques regionais ao modo das Capitanias Hereditárias … Ou seja: finalmente, estamos indo para a CIDADANIA; pela qual tanto lutamos … E continua o Treino do Juízo Final – e não só no Brasil … Nos EUA temos o Donald TROMBETA com viés carioca … No Vaticano temos Francisco Pedro com viés carioca da Igreja, Carisma e Poder de nosso Boff???

    Ou seja – o RJ está com tudo, não está prosa … Kkk

  6. O genro do Angorá está bravo com o Moro….

    Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, disse que “toda anistia é questionável, pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”. Rodrigo Maia disse que a nota de Moro fala em fatos não comprovados. “Nã otenho que dar resposta ao juiz Sérgio Moro. Eu li a nota. Ele fala de fatos não comprovados ainda, informações não conretas. Vamos esparar as informações concretas e aí ele solta uma nota em cima de textos aprovados. Os procuradores daqui estão muito distantes. Um que foi lá esta semana e conversou comigo, disse o mesmo que eu disse, que a tipificação do caixa 2 significa que não havia crime”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *