Câmeras escondidas podem ser a melhor arma contra a violência

PMs colocam uma arma na mão do adolescente morto

Mauro Santayana
Jornal do Brasil

A prisão de cinco policiais militares no Rio, após execução de um suspeito de 17 anos no Morro da Providência, e de cinco também PMs em São Paulo, após outra execução, em pleno luz do dia, nas ruas do Butantã, ambas com a “plantação de velas” – armas apreendidas com numeração raspada – nas mãos das vítimas, para simular confronto, prova que contra a violência policial – e também a do tráfico – não existe remédio melhor do que câmeras de segurança escondidas.

Mais barata do que qualquer campanha ou mobilização, uma simples webcam de 30 reais, ligada a um computador, camuflada em uma casa de pombo ou em uma antena de televisão no telhado, ou um aparelho de celular ligado, nas mãos de um usuário hábil, em uma fresta de janela, pode fazer mais do que dezenas de testemunhas para esclarecer um crime.

INVESTIMENTO

As comunidades – e as organizações não governamentais e outras instituições de combate à violência, do Rio de Janeiro e de todo o país – deveriam se organizar coletivamente para coletar dinheiro e gastar o que fosse possível nesse tipo de aparelho, que acabariam servindo, ao longo do tempo, também para inibir a execução de novos crimes.

Só assim  vai ser possível diminuir, a médio prazo, a impunidade e o genocídio derivado, entre outras coisas, da invasão ostensiva de áreas menos favorecidas das grandes cidades brasileiras, da cultura da aplicação sumária e ilegal da pena de morte contra suspeitos de crimes, e da guerra das drogas em nosso país – enquanto, neste último aspecto, a legislação não avança nesse sentido.

14 thoughts on “Câmeras escondidas podem ser a melhor arma contra a violência

  1. Gostaria de entender o que passa na cabeça de um policial destes, não há lógica neste procedimento, não seria melhor prender o cidadão e levá-lo para a delegacia, denigre e instituição e toda a corporação, não é só no Rio de Janeiro que isto acontece, é no Brasil todo, não ha preparação adequada para a formação de policial, acham que a truculência e meios ilícitos para esta brutalidade vá resolver o problema do tráfico e violência, as autoridades devem exigir melhor preparação destes policiais, pois estarão lidando com cidadãos, seja ele bandido ou trabalhador, mas acima de tudo é cidadão, faça valer a lei e não a sua lei, é preciso extirpar esta prática de esconder seus ilícitos e ser um policial que desempenhe sua profissão com ética, mas toda esta truculência vem de cima, achando que irá acabar com a bandidagem, há meios para isto, principalmente por meio da EDUCAÇÃO, onde um projeto importantíssimo foi destruído por Moreira Franco, Marcelo Alencar, Garotinho e mulher, Benedita da Silva, Sérgio Cabral e está continuando com Pezão, os CIEPS foi um projeto de gente inteligente para formar cidadãos e eles destruíram.

  2. A questão não é a arma nem a câmera nem o sofá. O importante é quem e como os utiliza.
    Certamente foi filmado por alguém o policial sendo arrastado, torturado e amarrado em um cavalo “pilotado” por um menor de 17 anos, junto com uma quadrilha de maiores e menores em Nova Iguaçu. Porém isso jamais chegará na mídia pois o “cineasta” seria igualmente esquartejado.
    O casal que foi metralhado em Niterói quando entrou em território da “guerrilha do caramujo” também ficou sem a divulgação de seu videoclip bárbaro.
    Se essas imagens fossem vinculadas na mídia causariam um furor inimaginável dentro e fora do país. Portanto, filmagens seletivas não vão mobilizar a sociedade para agirem com mais rigor no controle da violência oficial e marginal. Quem gosta de sensacionalismo é a mídia e as ONGs.

    • O problema em nosso país, é que tudo isso tem um ponto de referência, um exemplo que se propaga, . . . as “formas” são apenas reflexos dos meios e códigos vigentes em cada ambiente, os quais chocam distintas parcelas e outras não. Mas enquanto Brasília não for filmada e contida, não há esperanças de mudanças, . . . é uma questão de exemplo, e é de lá que a imoralidade e distorções se propagam.

  3. Podem ter camêras escondidas, abertas, á luz do dia , de noite, ter caM~ercas até na Estação Espacial Internacional para vigiar.
    Os bandidos efheagacinos tomaram São Paulo na raça, devido a incompetência, ao desprezo, ao deboche, ao governo ditador do Partidinho da E´tica…..
    Logo marcola vai dizer quem realmente manda em SP….

  4. Parabéns aos policiais!! Eliminaram mais um verme maldito, traficante e bandido!! Nesses casos desse verme maldito, deveria ser permitido esse tipo de manobra policial. Mas só nessses vermes!! O Problema é os nossos policiais não são muito inteligentes, e deveriam saber que há sempre câmeras nos filmando. Será que o cara que filmou isso, filmou também todas as delinquencias e crimes praticados pelo “adolescente coitadinho”??? Essa matéria de bosta só poderia ter vindo de um jornaleco lixo de esquerda, como o jornau du brasiu.

  5. Aliás, Sr. ROBERTO, o Sr, fala que a polícia é despreparada e que não há preparação específica para eles, bla bla bla… Você já se perguntou se o bandido também não teria que alguma “preparação” para fazer o que faz? Afinal o bandido está “lidando com cidadãos”, como o sr. mesmo falou. A mesma cobrança não recai sobre eles, por quê? É muita hipocrisia para o meu gosto! Falar asneiras tomando uisquezinho no sofá dentro de casa é fácil. O dia que esssa “galera” te tocar o terror ou nos seus, sua opinião certamente mudará!

  6. Caro Santayana,

    Não sei se o senhor já viu, nas redes sociais, o tal “adolescente” na garupa de uma moto armado com um FUZIL com mira telescópica. Não dá ibope, né?
    Se tivesse como colocar a foto dele neste espaço, colocaria para que o senhor pudesse ver a “inocente criança”…

    O senhor se diz estar PREOCUPADO COM A VIOLÊNCIA…

    Vejamos:

    No Brasil foram mortos 55.000 pessoas no ano passado, mais 20.000 desaparecidos que nunca aparecem. Total 75.000 mortos por ano, segundo disse o atual Ministro do Exército.

    Agora, para o senhor, QUAL É O MAIOR NÚMERO:
    -os mortos pela PM?
    -ou os mortos pelos bandidos?
    -os carros blindados são vendidos por medo da PM ou por medo dos assaltos?
    -as grades e câmeras do seu condomínio foram colocados por medo dos PMs pularem os muros?

    Outra coisa: os traficantes sequestraram e mataram um casal de idosos em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. O ator Edvaldo Evans Brito Correa, de 70 anos, e Jane Siems Correa, de 72, foram retirados de sua propriedade “aos tapas”, na noite de terça-feira por não aceitarem que a rua na frente da casa fosse bloqueada com barreiras. Boca de siri…
    -Pergunta se alguém filmou?
    -Pergunta se a Rede Globo se interessou em comprar a filmagem?
    -Pergunta se os moradores ficaram indignados pela violência e se tocaram fogo em algum ônibus?

    OS POLICIAIS MILITARES FORAM IDIOTAS, sim senhor!

    Se eu fosse um PM teria “apreendido” o menor e levado para a Delegacia e acabaria um plantão sem colocar o meu na reta por causa de uma sociedade que protege bandido, mesmo sabendo que eles seria liberados horas depois.
    Quem sabe, assim, não teriam a oportunidade de ASSALTAR ou de MATAR algum simpatizante ou parente de quem protege bandido???

    Abraços.

    (PS: O Brasil está doente, mas a febre ainda está baixa. Precisará aumentar muito ainda para que o país possa tomar o AMARGO REMÉDIO)

    “A Comissão do Senado que investiga o assassinato de jovens no Brasil debateu também nesta semana o crescente número de policiais militares mortos no país, que já chega a 408 neste início do mês de outubro, ultrapassando a média de todo o ano de 2013, que foi de 398 PMs mortos.

    Estudo do Sindicato dos Policiais Civis do Rio de Janeiro (Sinpol) aponta que, em 2014, 114 policiais civis e militares foram mortos no estado, a maioria durante a folga. A taxa de homicídios no Rio de Janeiro é de 198 assassinatos por 100 mil policiais. Só na semana passada, cinco policiais militares morreram no estado em confronto com traficantes e criminosos.

    Conforme os dados da CPI que investigou homicídios de jovens negros e pobres na Câmara dos Deputados, se compararmos os dados do Brasil com os da Alemanha, em 2012, foram mortos apenas três policiais no país europeu. Uma taxa de 1,2 assassinato por 100 mil policiais. Nos Estados Unidos, entre 2007 e 2013, a taxa de homicídios desse tipo foi de 4,7 por 100 mil.

    Ao mesmo tempo em que se discute os crimes contra agentes de segurança, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, policiais civis e militares mataram mais de 3 mil pessoas no ano passado, nos chamados “autos de resistência”. Dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro revelam que o estado já tem mais casos de mortes causadas por policiais em 2015 do que o acumulado em todo o ano de 2013. De janeiro a agosto deste ano, a Polícia Civil registrou 459 ocorrências de autos de resistência nas delegacias do Rio. Em 2013, de janeiro a dezembro, o mesmo indicador foi de 416 vítimas.

    Para o representante da Associação Nacional de Praças (Anaspra), cabo Elisandro Lotin de Souza, o problema não é só no Rio de Janeiro, já que o Brasil inteiro vive hoje uma guerra civil não declarada, com a violência vitimando não só os jovens e adolescentes, em sua maioria negros e pobres, mas também policiais civis e militares.

    “Nós temos no Brasil hoje um número seis vezes maior de mortes de policiais do que nos Estados Unidos, que comumente é utilizado como exemplo. Nós vivemos no Brasil hoje uma guerra civil não declarada em que tanto a população jovem e negra é vítima como os policiais são vítimas. É o sem camisa matando o descamisado. Isso acontece por vários fatores. E o primeiro deles é entender que a sociedade brasileira é uma sociedade violenta”.

    Segundo Lotin de Souza, nos últimos cinco anos, mais de três mil policiais foram mortos no país, em trabalho ou em horário de folga. Para ele, o modelo de segurança pública brasileiro é arcaico, retrógrado e obsoleto. De acordo com o militar, a lógica e as normas da segurança pública brasileira ainda são as mesmas da época da ditadura militar. Os policiais militares são formados para serem inimigos da sociedade.

    “A sociedade também é violenta, os números dizem isso. Inclusive saiu uma reportagem em um grande jornal de circulação nacional mostrando que 50% da sociedade diz que bandido bom é bandido morto. Então, o policial não está alheio a todo esse debate. Ele não é um ser descolado dessa realidade, ele é um ser que vive em sociedade, e a partir da sociedade ele reflete um pouco dessa violência que está hoje na sociedade brasileira. Morrem policiais todos os dias por várias situações, que vão desde jornada de trabalho, desde falta de equipamento à falta de um treinamento mais adequado para enfrentar essa criminalidade violenta”.

    O representante do Anaspra ressalta que os policiais civis e militares também enfrentam uma situação conturbada no país com baixos salários, jornada de trabalho injusta, humilhações e assédio por parte dos superiores. Ele defende que para buscar uma polícia cidadã, que respeite os direitos humanos e previna e combata crimes sem cometer irregularidades, é preciso haver união entre a sociedade e os governantes.

    Já o senador Blairo Maggi (PR/MT) destacou durante o encontro da CPI que o assassinato dos policiais é uma realidade crescente, que exige providências por parte do Congresso Nacional, através de mudanças na política de segurança pública no Brasil.

    “A responsabilidade que temos é imensa, e não podemos nos furtar a buscar e a oferecer as respostas que a nação espera de todos nós. O Senado Federal precisa assumir o seu papel nesse momento crucial da nossa história”.

    Em junho deste ano, o Senado aprovou a lei sancionada pela Presidenta Dilma Rousseff que transformou em crime hediondo o assassinato ou lesão corporal gravíssima contra policiais, bombeiros militares e integrantes do sistema prisional e da Força Nacional de Segurança Pública. A pena pode chegar a 30 anos de prisão. O agravante também se estende quando o crime for cometido contra os familiares desses profissionais.”

    Leia mais: http://br.sputniknews.com/brasil/20151006/2346126/numero-de-policiais-mortos-no-Brasil-assusta-autoridades.html#ixzz3np6sSCO8

  7. É preciso usar a tecnologia disponível para combater tudo!
    Os crimes praticados, sejam por policiais, milicianos, chefes de bandos, assaltantes, capitães das drogas podem ser acompanhados e apurados pelo “olho mágico” da modernidade. É claro que surgirão os contras: alegarão que trata-se de “invasão de privacidade”, exposição e algumas coisinhas mais.
    Só uma sociedade muito doente, sem escrúpulos aceita, com normalidade, o que vem ocorrendo em nosso país, nas últimas décadas. Todos os dias, pessoas são assassinadas no trânsito (nas cidades e nas estradas), sobre as calçadas, em assaltos, sequestros, estupros, suicídios (agora estão fazendo campanha, antes eram escondidos), brigas de rua, em bares, etc. Nem as estatísticas são corretas.
    As polícias deterioradas, sob todos os aspectos, sem equipamentos, veículos, sem qualidade.
    E a bandidagem dando de 10 a zero.
    A droga apreendida, na maioria das vezes com estardalhaço, por maior que sejam as quantidades, não passam de resto, farelo do montante consumido.
    O que não é possível fazer, para amenizar o problema, é condenar somente os policiais. O resto, bem o resto são as vítimas dos bandidos e, estes, vitimas da sociedade.
    Esta é a maneira canalha como agem e se manifestam os “politicamente correto”.

  8. EM TEMPO:

    NÃO SOU, NEM TENHO PARENTE POLICIAL MILITAR.
    E se tivesse não considero que desabonasse a minha família.
    Já tive um vizinho traficante e já tive um vizinho policial, por isso sei muito bem quais dos dois oferece mais perigo à sociedade.
    Também não tenho nenhum parente que foi morto pela polícia, felizmente.

    Em compensação, tenho parente que foi assaltado e assassinado com um tiro na cabeça, durante a passagem do dia 31 de dezembro para o dia primeiro de janeiro, quando saiu da casa da mãe e foi a pé para a casa da tia, ao lado, desejar “FELIZ ANO NOVO”!
    Ele tinha 15 anos na época.

    A BURRICE DO PM EVITOU CENAS COMO ESTA:
    “O colapso no sistema SOCIOEDUCATIVO do Entorno do Distrito Federal produziu mais um episódio que coloca em xeque a credibilidade do poder público nos municípios vizinhos à capital do país. Suspeito de AGREDIR E ESTUPRAR NOVE MULHERES nos últimos meses, de 17 anos, foi colocado em liberdade por falta de um LUGAR ADEQUADO para mantê-lo internado. O jovem da Cidade Ocidental ficou 45 dias recluso no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Luziânia, mas uma decisão judicial determinou a soltura dele.” Fonte: Correio.
    Ele está solto para cometer novos estupros, novas agressões…
    Mas, como vida dá voltas, quem sabe não acaba pegando alguma irmã de algum simpatizante!

  9. Meus amigos cidadãos,eles estão mais preocupados em colocar pardais para de multar, cobrar pedágio, pagar estacionamento nas ruas, que não possuem donos… e no final ainda lhe cobrarem IPVA. Coloquem as ruas com policiais Cosme e Damião como antigamente, ainda possuíam apitos.
    Estes vão pagar tudo que nos pagamos a mais, Pizzolato agora está voltando para pagar a sua parte,que não honrou nem a morte de seu irmão.Será que ele acredita em cadeia. Verás!!!!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *