Caminhoneiros denunciam que greve é comandada por empresários


Dimmi Amoria
(Folha)

A Unicam (União Nacional dos Caminhoneiros), uma das entidades representativa dos caminhoneiros no país, divulgou nota criticando a paralisação convocada para hoje com o objetivo de fechar algumas rodovias do país.

A paralisação é promovida pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro, liderado pelo empresário Nélio Botelho, que já comandou outras paralisações de rodovias no país. O movimento pede o fim da Lei do Descanso dos caminhoneiros.

Segundo a nota, assinada pelo presidente da Unicam, José Araújo China da Silva, a paralisação prejudica a maior parte dos caminhoneiros.

Na nota, a entidade defende a manifestações populares que se espalharam pelo país, mas acusa a convocada pelo Mubc de ser “um movimento grevista mobilizado por empresários travestidos de transportadores autônomos, que usam esses profissionais para atingir interesses próprios, se aproveitando de uma oportunidade política no Brasil, com as manifestações populares vistas nas ruas nas últimas semanas”.

A Unicam defende mudanças pontuais na Lei do Descanso e não a sua revogação.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Caminhoneiros denunciam que greve é comandada por empresários

  1. Pude assistir na tv caminhoneiros esgotados, afirmando que estavam sem descanso algum, obrigados a trabalhar sem qualquer pausa.
    São submetidos a um verdadeiro trabalho escravo. Agora, se há gente infiltrada, gente comprada e contratada para desvirtuar o movimento … nenhuma novidade.

  2. Alto lá! Nem plebiscito, nem referendo: CONSTITUINTE JÁ!
    .
    Protesto não pode ser rotina de uma sociedade que se diz civilizada, tanto quanto revoluções. Somos 200 milhões. Imagina se cada um ou grupo pretender protestar ao seu inteiro alvedrio? O só impedir vias é ato criminoso, violento. Não é democracia, é anarquia e somente servirá para que oportunistas e aproveitadores políticos se sirvam do momento e de incautos.

    Que se proteste para aprimoramento do Estado que os políticos produziram, mas não destruindo a instituição jurídica Estado de Direito fruto de longa luta.
    Fora disto só há um caminho: ruptura da lei e da ordem, outro Estado. O que significa outra Constituição.
    É isto que ser quer? Então, só há uma via: nem plebiscito nem referendo: CONSTITUINTE já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *