Caminhoneiros ignoram proibição da Justiça e seguem o protesto nas estradas

Fernanda Viegas (O Tempo)

Mesmo com o aval da Justiça Federal de Minas Gerais, que permite à Polícia Rodoviária Federal (PRF) intervir e impedir que a manifestação dos caminhoneiros fechem as rodovias, concedida nessa terça-feira, a categoria continua fazendo filas nas pistas da direita nas estradas federais que cortam Minas Gerais, nesta quarta-feira. De acordo com a liminar, as rodovias interditadas devem ser liberadas até às 9h desta quarta. Caso a decisão seja descumprida, a categoria deverá pagar R$ 100 mil para cada hora de interdição.

De acordo com a Polícia Rodoviária, a BR-381 continua com o bloqueio para veículos de carga em Igarapé (KM 513), na região metropolitana de Belo Horizonte. Nas cidades de Carmópolis de Minas (KM 589) e Santo Antônio do Amparo (KM 636), na região Centro-Oeste do Estado, e Oliveira (KM 617), no Vale do Rio Doce, a pista já foi totalmente liberada.

No KM 650 da BR-040, em Cristiano Otoni, na região Central de Minas, veículos pesados não passam nos dois sentidos. No KM 622, da mesma rodovia, em Congonhas, na mesma região, a via também está fechada nos dois sentidos. Em Matias Barbosa, no KM 807, só passam veículos pequenos e ônibus.

Caminhoneiros também fecham duas pistas do KM 5 da BR-356, em Belo Horizonte e Nova Lima, no sentido Rio de Janeiro, segundo a Polícia Militar Rodoviária. Já há reflexos no Anel Rodoviário. O grupo coloca fogo em objetos na via.

Um dos líderes do movimento, Vilmar Antônio Ferreira,  afirmou que a categoria deseja mais segurança e fiscalização nas estradas, jornada menor de trabalho, subsídios para baratear o óleo diesel e isenção para caminhões do pagamento de pedágios em todas as rodovias, o que, de acordo com eles, reduziria o custo com frete e, como reflexo, iria baratear o preço dos produtos em geral.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Caminhoneiros ignoram proibição da Justiça e seguem o protesto nas estradas

  1. Não são caminhoneiros, são associados da MUBC (Movimento União Brasil Caminhoneiro), que não é Sindicato, é organização patronal que se orgulha, inclusive, de ter elegido políticos diversos. Caminhoneiros de verdade, autônomos e donos de um só caminhão, estão apavorados com carga perecível apodrecendo nas caçambas!
    Não se confunda com a GROBO, que quer criminalizar trabalhadores HONESTOS, ao dizer que eles é que estão aí, ajudando o GOLPE, são patrões canalhas!

    http://www.uniaobrasilcaminhoneiro.org.br/

Deixe uma resposta para René Amaral Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *