Era só o que faltava: Campanha publicitária do governo federal exalta a prostituição

Deu no Estadão

O Ministério da Saúde lançou uma campanha nas redes sociais para reduzir o estigma em torno da prostituição que deve causar discussão. Uma das peças diz: “Eu sou feliz sendo prostituta” e tem profissionais do sexo como protagonistas. A iniciativa surge após uma série de outras polêmicas envolvendo campanhas de saúde na gestão Dilma Rousseff.

Composto por vídeos e banners, o material é fruto da oficina de profissionais do sexo realizada em março em João Pessoa, que tem como mote “Sem vergonha de usar camisinha”. Nas peças, mensagens contra o preconceito, sobre o desejo de ser respeitada e a necessidade de prevenção contra DST-aids. Feita para marcar o Dia Internacional das Prostitutas, 2 de junho, a campanha – que retrata positivamente a profissão – foi bem recebida por feministas e grupos que trabalham com prevenção.

“Quem sabe seja um sinal de que o governo possa retomar uma política de prevenção em aids e saúde pública sem discriminação, lançando até mesmo as campanhas censuradas dirigidas aos gays, que gastaram dinheiro público e não foram utilizadas”, afirmou o professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), Mario Scheffer.

KIT GAY

Em março, o Estado revelou que o Ministério da Saúde havia determinado a suspensão da distribuição de material educativo para prevenção de aids dirigido a adolescentes. O kit, formado por seis revistas em quadrinhos, abordava temas como gravidez na adolescência, uso de camisinha e homossexualidade e havia sido feito em colaboração com a Unesco.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou na época que a distribuição havia sido feita sem seu conhecimento e não tinha aprovação do conselho editorial. A decisão se somou a uma série de episódios do governo Dilma. Em maio de 2011, a presidente determinou o cancelamento da entrega de um kit de combate à homofobia produzido pelos Ministérios da Saúde e da Educação.

O especialista da USP ressalta que as ações para redução do preconceito são essenciais para estimular a prevenção. Daí, completa, a necessidade de que iniciativas semelhantes sejam feitas com outros grupos.

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Uma coisa é fazer uma campanha para que se respeite e entenda a prostituição, meio de vida de milhares de pessoas (masculinas, femininas etc.). Outra coisa, muito diferente, é exaltar a prostituição. Este governo é patético. (C.N.)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Era só o que faltava: Campanha publicitária do governo federal exalta a prostituição

  1. Concordo com a observação do Carlos Newton (C.N.). Embora pareça que estão “confundindo alhos com bugalhos”, obviamente há a intenção de incutir novos “valores” no povo brasileiro. Mais um “avanço”, portanto.

  2. Não demora estarão pegando um dos filhos e colocando no cartaz publicitário : “Eu sou feliz sendo filho da puta” – era só o que faltava.

  3. Precisamos inverter; puxar a carroça; fazer com que a vaca venha atrás.
    .
    Este Estado brasileiro tem que cuidar é de cumprir com o seu expresso dever constitucional: SAÚDE, SEGURANÇA e EDUCAÇÃO.
    A medida que se desvia a vista e esforço para índios, gays, lésbicas, putas e putos, drogas, candidaturas, partidos políticos, escândalo do fundo partidário, etc., deixa-se pautar e passa-se a dançar a música que somente interessa ao grupo no poder.
    .
    Todo o noticiário cotidiano de Norte a Sul; de Leste a Oeste mostra uma cena terrível, de horror na prestação de serviços públicos e também a parcela criminosamente entregue ao setor privado. Hospitais, Delegacias e Escolas são fétidos e imprestáveis pardieiros tripulados por zumbis. Desnecessária qualquer prova a qualquer cidadão minimamente atento ou esclarecido de sua cidadania. Os demais, não conseguem perceber seus infortúnios. Padecem e falecem em: filas, macas em corredores na espera angustiante da hora; na impotência de uma força policial sem forças, escarnecida e desmoralizada por um judiciário covarde, despreparado e venal; ou, em ruínas físicas e morais que se dizem escolas, mas que formam gerações viciadas sob a tutela irresponsável de governantes crápulas.
    .
    Se os acontecimentos diários acompanhados ao vivo em cada casa de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife e Salvador a situação é caótica, imagine-se nos outros quase seis mil municípios… No meu, de meu domicílio eleitoral, Santa Luzia do Itanhy, a miséria é tão extremada que se nivela ao estágio que antecedeu ao civilizado. Lixo, doença, fome e sede bestializam o homem.
    .
    Stuart Mill em Ensaio sobre a Liberdade bem compreende o porquê da dócil aceitação de circunstâncias que definitivamente afastam o homem da civilização:
    “A humanidade rapidamente se tornará incapaz de conceber a diversidade quando por algum tempo tiver sido desacostumado a vê-la”.
    .
    Precisamos inverter; puxar a carroça; fazer com que a vaca venha atrás.
    Arrego!

  4. Fico com José Reis Barata, nordestino porreta e amplo!

    Não sendo flor-que-se-cheire, não me passa desapercebido que uma de nossas maiores atrações do nosso potencial turístico passam pelas promessas eróticas da morenice brasileira…há de convir-se, bem mais digno ganhar a vida rodando bolsinha nos calçadões litorâneos do que ao peso de uma cangalha, também um dos grandes potenciais da economia nacional, seja a mão-de-obra barata, esperando o dia de virar estrela ou sabão.

  5. ‘Peraí, vcs viram a propaganda? SOU PUTA MAS SOU FELIZ!!! Então tem que ser puta p’ra ser feliz? É a única profissão que traz a felicidade completa? Nenhuma outra pode completar o ser humano comoessa? Fala sério, não é moralismo, não quero que as crianças cresçam pensando que isso é que é o bom e o bacana, além de toda a propaganda implícita que já tem na televisão, no rádio, na parada gay e por aí afora!!

  6. ‘Peraí, vcs viram a propaganda? Vamos resumir a mensagem: SOU PUTA MAS SOU FELIZ!!! Então tem que ser puta p’ra ser feliz? É a única profissão que traz a felicidade completa? Nenhuma outra pode completar o ser humano comoessa? Fala sério, não é moralismo, não quero que as crianças cresçam pensando que isso é que é o bom e o bacana, além de toda a propaganda implícita que já tem na televisão, no rádio, na parada gay e por aí afora!!

  7. Como pode um descalabro destes? Cadê os partidos da oposição que não aproveitam uma bola destas kicando na pequena área? Um caso destes é para demissão imediata do ministro e toda a equipe.

Deixe um comentário para josé reis barata Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *