Canção do Dia de Sempre, de Mário Quintana

O jornalista, tradutor e poeta gaúcho Mário de Miranda Quintana (1906-1994) constrói o poema “Canção do Dia de Sempre” como um alerta sobre o verdadeiro estado geral das coisas – a mudança.

CANÇÃO DO DIA DE SEMPRE
Mário Quintana
Tão bom viver dia a dia…
A vida assim, jamais cansa…

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu…

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência… esperança…

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas…

                         (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *