Candidatas laranjas do PSL receberam R$ 778 mil do partido e só tiveram 3 mil votos

Resultado de imagem para laranjas charges

Charge do Tacho (Jornal NH)

Jailton de Carvalho
O Globo

O presidente do PSL , Luciano Bivar , é investigado pelo suposto uso de três falsas candidatas, ou candidatas laranjas, nas eleições do ano passado em Pernambuco com o objetivo de desviar dinheiro público do fundo eleitoral. As três candidatas a deputada pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, receberam R$ 778 mil do fundo eleitoral, segundo as prestações de contas à Justiça Eleitoral, e obtiveram apenas 3.303 votos.

Bivar e outros dirigentes do PSL de Pernambuco são investigados pela suposta prática de caixa dois e apropriação de recursos eleitorais, crimes previstos nos artigos 350 e 354A, do Código Eleitoral.

DESVIOS DO FUNDO – Para a Polícia Federal, as mulheres teriam cedido os nomes como uma forma de acobertar desvios do Fundo Eleitoral para outras finalidades não previstas na legislação específica. Não há informação se os recursos foram usados em outras campanhas eleitorais.

Pelas regras em vigor, 30% do Fundo Eleitoral teriam que ser empregados em campanhas femininas. O Ministério Público endossou as suspeitas da polícia nos pedidos que deram origem às buscas em endereços de Bivar e outras pessoas vinculadas ao PSL, em Recife.

As supostas laranjas seriam Maria de Lourdes, Erica Siqueira e Mariane Nunes. Maria de Lourdes recebeu R$ 400 mil e teve 274 votos.Erica Siqueira foi destinatária de R$ 250 mil e obteve 1.315 votos. Mariane teria sido contemplada com R$ 128 mil e amealhou apenas 1.714 votos.

AUTORIZAÇÃO – As buscas foram autorizadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco ontem. Seis dos sete desembargadores eleitorais entenderam que os indícios recolhidos pela polícia seriam suficientes para justificar a medida de força.

O placar só não foi 7 x 0 porque um dos desembargadores entendeu que as buscas não seriam necessárias em alguns dos endereços indicados pela polícia.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Este escândalo parece uma tempestade num copo d’água. Cada voto das três candidatas teria custado apenas R$ 236, uma mixaria no mercado eleitoral brasileiro… (C.N.)

8 thoughts on “Candidatas laranjas do PSL receberam R$ 778 mil do partido e só tiveram 3 mil votos

  1. É a PF sob o comando de Moro fazendo o que faz melhor: politica.

    A questão que fica: Jair autorizou a operação ou o ex-juiz resolveu botar mais lenha na fogueira por conta própria.

  2. Carlos Marchi (Facebook)

    Elogiável a rapidez e a precisão da PF para investigar o caso Bivar.

    A sociedade espera que a a mesma rapidez e precisão sejam usadas para investigar os casos abaixo:

    a) A extensão do caso Bivar no tocante à candidatura presidencial do PSL;

    b) O desvio de recursos do Fundo Eleitoral pelo PSL mineiro, comandado pelo atual ministro Marcelo Álvaro Antônio;

    c) A rachadinha de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do RJ;

    d) Descobrir e prender os mandantes do assassinato de Marielle Franco.

    Vamos lá, PF! Força aí, rapaziada!

  3. Carlos Marchi (Facebook)

    A deputada Carla Zambelli foi taxativa:

    “Ala pró-Bolsonaro só fica no PSL se o presidente assumir a sigla.”

    Traduzindo em miúdos para os desavisados:

    Os bolsonaristas só ficam no partido se controlarem a grana preta dos Fundos Partidário e Eleitoral.

    Entendeu?

    • “As três candidatas a deputada pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, receberam R$ 778 mil do fundo eleitoral, segundo as prestações de contas à Justiça Eleitoral, e obtiveram apenas 3.303 votos.”

      -Quer dizer que quanto mais se gasta, mais votos se deve ter, OBRIGATORIAMENTE?
      -Então o presidente não deveria ser o Bolsonaro, pois dizem que foi o que gastou menos!
      -Agora, acho uma estupidez ser obrigado a colocar cotas para mulheres, mesmo que no partido não tenha nenhuma mulher conhecida pelos eleitores. Qualquer partido, obviamente, prefere candidatar nomes conhecidos pela população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *