Caos na Saúde comprova o desabamento do governo Pezão

Charge do Felipe (reprodução de achargedofelipe.blogspot.com)

Pedro do Coutto

O governo Luiz Fernando Pezão, sem dúvida, desabou logo na primeira etapa da investidura do próprio, consequência, não só da falta de recursos financeiros, mas da ausência administrativa total em matéria de previsão e seleção de prioridades. A reportagem de Rafael Nascimento, O Globo, edição de 23, quarta-feira, ilumina com nitidez o trágico panorama na área fundamental da saúde pública. Relaciona nada menos que treze hospitais fechados, ou então com atendimento restrito aos casos de ameaça iminente de morte. Não é possível aceitar tal explosão em matéria de competência.

O governador Pezão é incompetente. Não se pode esquecer que ele foi vice de Sérgio Cabral, eleito em 2006, reeleito em 2010; em 2014 assumiu o Palácio Guanabara em abril, em face da renúncia do titular para permitir que seu filho se candidatasse e elegesse deputado federal. Quer dizer: Pezão participava intensamente do sistema administrativo do Estado. Conhecia a situação financeira por dentro, a crise de hoje não pode tê-lo surpreendido. Elegeu-se, sobretudo, com o apoio de Cabral, sob a mensagem da continuidade.

Logo, o confronto inevitável entre arrecadação e despesa teria de ter feito parte de seu pensamento, incorporando-se a seu projeto de governo. Projeto? Infelizmente para população, não havia projeto algum. E se não existia projeto, quanto mais programa, que, essencialmente, decorre da sequência de projetos. A foto na primeira página de O Globo, edição de terça-feira, focalizando as consequências do fechamento do Hospital da Mulher foi a tradução mais forte da avalanche de erros e omissões que estão castigando o povo carioca e fluminense, especialmente os grupos de menor renda que não possuem recursos para pagar por socorros médicos. Em inúmeros casos, a culpa do governo Pezão aumenta porque quando se fala em socorros médicos pressupõem-se casos de emergência.

Não é somente isso. São exames marcados que não são realizados por falta de material, pessoas que depois de viajarem horas nas datas marcadas, ao chegarem às unidades médicas recebem a informação cruel de que os compromissos não  podem ser executados por falta de material, por defeitos em equipamentos, pela ausência dos especialistas responsáveis. As portas do Hospital da Mulher se fecharam, nesta semana, exatamente diante de uma mulher grávida prestes a da a luz.

SITUAÇÃO CAÓTICA

A desastrosa situação foi tão chocante que – assisti pela GloboNews no início da tarde de quarta-feira – a presidente Dilma Rousseff foi obrigada a convocar uma reunião extraordinária com o ministro da Saúde para atender aos efeitos do desabamento que acontece no Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo, o Tribunal de Justiça expedia decisão determinando a imediata liberação de verbas para amenizar a profunda emergência que está envolvendo os passos vacilantes do governador e de seu governo.

Por falar em desadministração, acrescente-se à onda de incapacidade a demissão do ex-Secretário de Saúde, Felipe Peixoto. Que, ao sair, afirmou a O Globo que não iria abrir mão de seu sonho de disputar a Prefeitura de Niterói nas urnas de 2016.

O seu sonho pode ser confrontado com o pesadelo da população do Rio de Janeiro em ter à frente do governo alguém como o atual governador. Aliás, melhor dizendo, desgovernador.

13 thoughts on “Caos na Saúde comprova o desabamento do governo Pezão

  1. Copa do mundo, Olimpíadas, metrô 4, tudo isto para inglês ver, este foi o governo Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, desviaram dinheiro da saúde, segurança, educação, péssimo governo, deveria serem criminalizados, irresponsáveis, jogaram com a vida do cidadão/contribuinte, mas culpo o povo, como sempre preferem o que a mídia lhes oferece, nem PT, PMDB ou outro partido qualquer não fará boa administração, é preciso ser honesto, preocupado com os problemas da sua cidade.
    Deveria haver um projeto onde dinheiro da saúde, educação e segurança, não poderia ser desviado para qualquer projeto de governo, seria crime de responsabilidade mexer neste dinheiro.

  2. O que me parece é que seguindo o exemplo do governo Dilma, os governos dos Estados, fora a roubalheira de sempre, gastaram mais do que podiam, muito mais do que podiam, no mandato passado, como Sergio Cabral no Rio de Janeiro, Tasso Genro no Rio Grande do Sul e também em vários outros Estados da Federação – o pior exemplo disso foi o governo do Distrito Federal. Uma total irresponsabilidade fiscal tanto do governo central quanto dos diversos Estados da Federação. Receio que o mesmo tenha acontecido com os municípios: conclusão – gastaram indevidamente as verbas que eram devidas ao SUS e mais outros dinheiros que deviam ser carimbados. Agora não têm como manter os hospitais públicos, como pagar o funcionalismo, como prestar os serviços básicos devidos à população. Não acho que o Luiz Fernando Pezão tenha culpa nisso. O que aconteceu foi que ele pegou uma canoa furada, como vários governadores novos de outros Estados, que estão servindo de “bode expiatório” dos governos anteriores.

    • Pezão não tem culpa?
      Como foi dito com clareza no artigo ele foi o vice-governador desde 2006 e em 2014 assumiu o governo.
      Foi inclusive secretário de obras.
      São 10 anos no topo da máquina pública!
      Isentá-lo é um absurdo.

  3. Pezão decreta “CRISE NA SAÚDE”, mas ele e Cabral provocaram esta crise, nenhum meio de comunicação tem coragem de dizer que eles são os responsáveis por este estado de coisa em que está o Rio de Janeiro.

  4. Penso que se o dinheiro de pelos menos três estádios construídos para a copa do mundo, tivessem sido
    usado na saúde pública, certamente este caos não teria existido.
    Porém um iluminado, chamado Luis Inácio Lula da Silva, achou que o Brasil poderia realizar a copa e olimpíadas e sairia no lucro. Deu nisso ai.
    Alguém sera responsabilizado? De jeito nenhum. No Brasil dinheiro público é considerado sem dono, Pega
    quem chegar primeiro e se acabar, cria-se novos impostos, tão ao gosto da Dilma e do PT.
    O pezão quem votou nele foram os cariocas, que agora reclamam e pedem ajuda aos brasileiros de outras regiões, que também não tem saúde. Na próxima eleição procurem votar certo.

  5. Isso é tudo conversa fiada da imprensa golpista, do PIG.

    Pois Dilma, o governo do RJ, seus aliados e apaniguados, têm trabalhado arduamente para manter a saúde pública num nível de excelência em todas as regiões fluminenses.

    Pessoal, não creiam em lorotas! Saibam que neste Natal o Papai Noel descerá pelas chaminés da maioria dos lares brasileiros, trazendo mais e mais prosperidade, somando-se à prosperidade que Dilma tem trazido nestes anos todos!

  6. Caro colega do nome comprido. A situação la pela veja, parece não ser das melhores, dizem que o desemprego já é avantajado.
    Desta forma, cautela e caldo de galinha, só fazem bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *