Carga tributária no Brasil já atinge 36,27% do PIB. E o céu é o limite.

Wagner Pires

Em relação à carga tributária que restringe o consumo, é praticamente apenas um imposto, e apenas um, que impede o aumento extraordinário da demanda no Brasil – o ICMS, tributo estadual.

A presidente Dilma desonerou toda a cesta básica dos tributos federais (PIS, IPI, COFINS), mas não desonerou estes produtos do ICMS, que exerce uma carga de 19% (o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário-IBPT diz que é de 18%, mas já publiquei este estudo aqui na Tribuna. E tanto faz… 18% podem e devem ser vistos como retenção de consumo).

18% a mais de consumo é um número extraordinário! Veja que o consumo das famílias em 2012 chegou a R$ 2,744 trilhões. 18% disso dão R$ 494 bilhões – quase meio trilhão – que poderia ter sido consumido entre produtos brasileiros e importados. É um número fantástico! Para se comparar, a balança comercial brasileira fechou o ano de 2012 com um superávit menor que R$ 39 bilhões.

É claro que este cálculo não leva em conta só os produtos da cesta básica, mas dá uma ideia do estrago que o ICMS faz na vida do brasileiro. O Brasil tributa consumo e isso é um tiro no pé. Lógico. E não é só isso, a carga tributária sobre o consumo é maior que a tributação sobre a renda. É, de longe, o maior tributo do país.

EM 30º LUGAR…

O Brasil está em trigésimo lugar quando comparado a outros países quando se compara a carga tributária x retorno dos recursos à população em termos de qualidade de vida, diz o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário-IBPT em estudo publicado. Eis alguns pontos do levantamento:

* Entre os 30 países com a maior carga tributária, o Brasil continua sendo o que proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em prol do bem estar da sociedade;

* Os Estados Unidos, seguidos pela Austrália, Coréia do Sul e do Japão, são os países que melhor fazem aplicação dos tributos arrecadados, em termos de melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos;

* O Brasil, com arrecadação altíssima e péssimo retorno desses valores, fica atrás, inclusive, de países da América do Sul, como Uruguai e Argentina.

CARGA TRIBUTÁRIA

É a relação percentual obtida pela divisão do total geral da arrecadação de tributos do país em todas as suas esferas (federal, estadual e municipal) em um ano, pelo valor do PIB (Produto Interno Bruto), ou seja, a riqueza gerada durante o mesmo período de mensuração do valor dos tributos arrecadados, sendo, como exemplo, no Brasil:

Ano de 2012:
ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA: R$ 1,59 Tri
PIB: R$ 4,403 Tri
CARGA.TRIBUTÁRIA: 36,27%

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

11 thoughts on “Carga tributária no Brasil já atinge 36,27% do PIB. E o céu é o limite.

  1. Os petistas, os reis do boato (lembram-se do boato que o PSDB privatizaria a Petrobrás? Que o Serra acabaria com o Bolsa-Família?) se dizem indignados com a boataria a respeito do Bolsa-Famíla. Caras-de-pau…

  2. Prezado Sr. Wagner Pires.
    Sempre muito bons e compreensivos os teus Artigos e Comentários, Parabéns. Acima, nos informas que nossa Carga Tributária atingiu 36,27% do PIB (Produto Interno Bruto). Mais importante ainda, que somos o 30 classificado na relação Carga Tributária/Retorno, bem longe do 1 EUA, 2 Austrália, 3 Coréia do Sul, 4 Japão. Mais grave ainda, que estamos atrás de Uruguay (nossa ex-Província Cisplatina 1817 – 1828), Argentina, com certeza também o Chile, etc. Mas no presente, e a médio prazo, não podemos reduzí-la, pois mesmo assim o Estado é deficitário em +- 3% do PIB, por isso nosso Dívida Pública sempre cresce em Valor Bruto. O que precisamos é fazer crescer o PIB, bem mais do que a Carga Tributária, que é repartida em +- 70% Federal, 22% Estadual e 8% Municipal . Mesmo não reduzindo a Carga Tributária, ajudaria muito fazendo-se uma SIMPLIFICAÇÃO TRIBUTÁRIA, reduzindo-se Custos, e principalmente evitando-se a Sonegação. A Sonegação tem efeitos maléficos sobre a Economia bem maior do que o volume da própria Carga Tributária. E sabemos que quanto maior a Carga Tributária, mais incentivo se tem para a Sonegação. E quando se tem um Judiciário lento, então……O Brasil precisa se re-Industrializar, e para isso é chave a Tributação adequada. Austeridade no Governo e Simplificação tributária.

    Lembremos de passar na CEF/Lotérica, Itaú, e pagar Mensalidade, R$ 20/10 ou mesmo 5, para manter nosso bom Tribuna da Imprensa onLine. Muito Obrigado

  3. Parabéns pela matéria. Porém, há que se dizer que sem mudança estrutural profunda no estado, não há como reduzir a carga cuja tendência é só aumentar, como sempre aconteceu em todos os governos dos modellos vencido de estado, de república e de política-partidária-eleitoral.

    Tostão (Mega-Solução) X Bilhão (oposição e situação). A hora é agora !

    O Sonho não acabou e a Esperança não morreu, apesar do amarelão de vocês, PSDEMB-agregados e PTMDB-agregados. Urge fazermos da próxima eleição presidencial a verdadeira disputa do Tostão da Mega-Solução (HMM-PNBC-ME-RPL) versus turma do Bilhão (oposição e situação), porque, na verdade, pelo andar da carruagem, vai rolar muita grana pública e privada em 2014, como já está rolando, como nunca antes visto na história deste país. Só do tal fundo partidário Aécio (PSDB), já irá manipular este ano cerca de R$ 25 milhões. Em assim sendo, caso de liga a parceira RPL-PNBC-ME-HMM-PSOL, será a luta do Davi, da Evolução, o Leão da Mega-Solução, com ideias e criatividade, contra os Golias endinheirados do velho continuismo da mesmice (oposição e situação), sem ideias alternativas, e que já deram flor há muito tempo. Oremos, rezemos e vigiemos. Força Davi (Leão da Mega-Solução), abaixo os Golias ( oposição e situação ), à moda quanto mais altos, poderosos e mais endinheirados os coqueiros mais bonitos serão os tombos dos mesmos. Lembre-se de que o impossível é o possível nunca tentado antes com eficácia. Que venha 2014, e a verdadeira Luta do Tostão X Bilhão, Davi X Gollias. Porque chega dos mesmos . Evoluir é preciso. Parodiando o Dadá Maravilha, vale dizer, vocês têm a problemática, nós, da RPL, temos a solucionática. Por Luiz Felipe / SP / Brasil

  4. E o zépovão todos os dias indo para o abate no Metrô do geraldo/serra numa lata de sardinhas que não acaba mais com esse sofrimento diário.
    Sem condições humanas de tomar um trem nos horários de pico.
    Quem achar que estou contando mentiras, é só pegar um metrô na linha leste-oeste ás 6 horas da manhã e outro ás 18;00 da tarde.
    Seria bom que o geraldo/serra juntos com seus quadrilha e puxas sacos fizesse isso numa sexta-feira
    .

  5. Eu acho que dá para melhorar ( diminuir ) o custo da maquina publica.
    O que o brasileiro precisa, custa caro, mas a maquina é perdularia. É grande a corrupção. Dá para melhorar muito.
    Tenho a impressão, também, que faltam nomes de peso e fibra na nossa politica e vida pública em geral. Alias, acho que essa é uma deficiência do mundo como um todo!
    Acho que se Hitler tivesse vindo ao mundo nos dias de hoje, estaríamos perdidos, pois seria difícil combater tamanho MAL com o que temos hoje, a não ser, talvez pelos anônimos abnegados de sempre, que talvez não teriam condições de vencerem por si sós.
    Isso nos leva a refletir que necessitamos urgente rever nossas opções por “Gerentonas desnorteadas e rancorosas” e outros tipos perniciosos de falsos líderes!

  6. Esta é um área que o governo precisa ficar atento. A o IRPF da Classe Média. O Corrupto Governo FHC, como não cansa de repetir o jornalista Héio Fernandes, foi o que elevou os impostos de 26% para 37% em seu corrupto governo, e quase acaboucom a Classe Média tirando muito do sesu empregos.

  7. É uma governo que só pensa nas mordomias do poder, crio um programa que dá retorno de votos da classe menos favorecida, mas continua dando o peixe.
    Este governo é um fracasso, carga tributária desumana, onde para cada R$ 100,00 ganhos pelo trabalhador o governo fica com R$ 36,27, ou seja, é o governo ganancioso, onde está dona Dilma que iria favor a reforma tributária, sumiu, hoje só quer estar dando bilhões para a mídia.

  8. Pingback: Por que azedou, azedou por quê? | Reaçonaria

Deixe um comentário para Roberto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *