Cármen Lúcia não acredita em Temer e esquenta a crise da espionagem

Cármen denuncia “crime contra o Supremo”

Jailton de Carvalho, Carolina Brígido, Júnia Gama e
Cristiane Jungblut
O Globo

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, reagiu duramente diante da informação, publicada pela revista “Veja”, de que o ministro da Corte Edson Fachin, relator da operação Lava-Jato, estaria sendo espionado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) a pedido do presidente Michel Temer. Por meio de nota, Cármen Lúcia considerou a ação “gravíssimo crime”. Para a ministra, a suposta espionagem seria “própria de ditaduras” e deve ser penalmente apurada e os responsáveis, “exemplarmente processados”.

A reportagem afirma que a investigação da Abin, já estaria em curso há alguns dias, e teria encontrado indícios de que Fachin voou no jatinho da JBS, empenhando-se em encontrar provas para constranger o relator e pedir seu afastamento da condução do processo e, consequentemente, a anulação da delação do dono da JBS, Joesley Batista.

TEMER LIGOU – Segundo a revista “Veja”, o objetivo seria “bisbilhotar” a vida do ministro com o objetivo de encontrar qualquer detalhe possa fragilizar sua posição de relator da operação Lava-Jato. Fachin estaria sendo alvo da ofensiva por ter homologado a delação do dono da JBS, o empresário Joesley Batista, que gravou conversas comprometedoras com o presidente Michel Temer.

Segundo interlocutores da ministra, o presidente Michel Temer telefonou para ela após a divulgação da notícia, negando as informações publicadas. Temer afirmou à Cármen Lúcia que não havia mandado investigar Fachin.

Antes, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, já havia ligado para a ministra desmentindo tais fatos. Coube a Etchegoyen, segundo a reportagem, a missão de obter provas de que o ministro voou em jatinho da JBS em meados de 2015 para um encontro sigiloso com Renan Calheiros, no sentido de garantir sua indicação ao Supremo.

NOTA DO SUPREMO – Mesmo diante da negativa de Temer e Etchegoyen do uso da Abin contra o ministro, Cármen Lúcia decidiu emitir a nota em repúdio à suposta iniciativa:

“É inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal, contra a Democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes. Própria de ditaduras, como é esta prática, contrária à vida livre de toda pessoa, mais gravosa é ela se voltada contra a responsável atuação de um juiz, sendo absolutamente inaceitável numa República Democrática, pelo que tem de ser civicamente repelida, penalmente apurada e os responsáveis exemplarmente processados e condenados na forma da legislação vigente”, diz a ministra.

CONSEQUÊNCIAS – Cármen Lúcia diz ainda que, comprovando-se o ocorrido, as consequências “jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido”:

“O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça. Se comprovada a sua ocorrência, em qualquer tempo, as consequências jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido, como determinado pelo direito. A Constituição do Brasil será cumprida e prevalecerá para que todos os direitos e liberdades sejam assegurados, o cidadão respeitado e a Justiça efetivada. O Supremo Tribunal Federal tem o inafastável compromisso de guardar a Constituição Democrática do Brasil e honra esse dever, que será por ele garantido, como de sua responsabilidade e compromisso, porque é sua atribuição, o Brasil precisa e o cidadão merece. E, principalmente, porque não há outra forma de se preservar e assegurar a Democracia”, conclui a presidente do Supremo.

###
JANOT: ‘NÃO QUERO ACREDITAR’

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também protestou contra a suposta espionagem do ministro Fachin. Para a PGR, a prática, uma vez que seja comprovada, é “inaceitável”.

– Não quero acreditar que isso tenha acontecido. Usar um órgão de inteligência do Estado de forma espúria para investigar um dos Poderes da República em plena atuação constitucional e legal, como forma de intimidação, isso sim é a institucionalidade de um Estado policial, de um Estado de exceção – disse Janot.

Na tarde deste sábado, a Procuradoria-Geral dea República definiu a suposta espionagem como “atentado aos Poderes da República”. Janot diz ainda no texto que essas práticas têm como objetivo intimidar autoridades: “A se confirmar tal atentado aos Poderes da República e ao Estado Democrático de Direito, ter-se-ia mais um infeliz episódio da grave crise de representatividade pela qual passa o país. Em vez de fortalecer a democracia com iniciativas condizentes com os anseios dos brasileiros, adotam-se práticas de um Estado de exceção. Há uma colossal diferença entre investigar dentro dos procedimentos legais, os quais preveem garantias aos acusados, e usar o aparato do Estado para intimidar a atuação das autoridades com o simples fito de denegrir sua imagem e das instituições a qual pertencem”, diz a nota.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em tradução simultânea, Temer ligou para Cármen Lúcia, mas a presidente do Supremo não acreditou nele e preferiu acreditar no que diz a Veja. Os seja, o presidente não tem a menor credibilidade, foi ameaçado claramente pela nota de Cármen Lúcia e ficou calado. Alías, quando está calado, Temer é um poeta, diria Romário (C.N.)

17 thoughts on “Cármen Lúcia não acredita em Temer e esquenta a crise da espionagem

  1. Todo mundo sabe que aquele elemento é trapalhão, mentiroso e delinquente. Vai agarrar-se àquela cadeira como craca a casco de navio.Deus, saímos de uma péssima e caímos em uma horrenda.

  2. Nesta situação de calamidade moral que atinge o pais, alguém do tal “mundo oficial”, ainda é digno de crédito?
    Depois da absolvição calamitosa promovida pelo judiciário, envolvendo figuras das mais altas da república e atoladas até o pescoço em sujeiras e tendo ainda a maior de todas as bancadas nos legislativos, a dos VENAIS, o cidadão brasileiro vai acreditar mais em quem?
    Sempre os membros de legislativo, executivo e judiciário, tiveram a fama de “diferentes”, mas agora a coisa escancarou.
    Já não se escondem mais para mostrar quem são. O julgamento de ontem mostrou como a coisa anda.
    Ainda vale a recomendação de Capistrano de Abreu, sobre a constituição brasileira, que deveria ter apenas dois artigos: Artigo 1- Todo brasileiro é obrigado a ter vergonha na cara.
    artigo 2- Revogam-se os dispositivos em contrário.
    O que sera que ele diria, se vivesse hoje?

  3. “Segundo interlocutores da ministra, o presidente Michel Temer telefonou para ela após a divulgação da notícia, negando as informações publicadas. Temer afirmou à Cármen Lúcia que não havia mandado investigar Fachin”

    Se houvesse mesmo honestidade, seria assim:

    “Segundo interlocutores da ministra, o presidente Michel Temer telefonou para ela após a divulgação da notícia, negando as informações publicadas. Temer afirmou à Cármen Lúcia que não havia mandado investigar nem Fachin nem qualquer outra pessoa”

  4. Os rabos presos
    Pra que não pairem duvidas, o atual presidente é sem sombra de dúvida um antigo e perigoso criminoso que deveria estar preso a décadas.
    Entretanto a ministra cármem lúcia acha incorreto espionar um membro do stf pois todos eles , só Deus sabe os motivos, querem seus passados envolto em total escuridão.
    Mais investigações aumentará o poder de chantagem dos criminosos sobre os criminosos…
    Mais aberrações podem vir a tona?

    sanconiaton

    PS
    Se temer tivesse sido preso ao dar os primeiros passos no mundo do crime, não só ele, talvez não tivéssemos um stf que só merecesse minúsculas.

  5. Os rabos presos
    Pra que não pairem duvidas, o atual presidente é sem sombra de dúvida um antigo e perigoso criminoso que deveria estar preso a décadas.
    Entretanto a ministra cármem lúcia acha incorreto espionar um membro do stf pois todos eles , só Deus sabe os motivos, querem seus passados envolto em total escuridão.
    Mais investigações aumentará o poder de chantagem dos criminosos sobre os criminosos…
    Mais aberrações podem vir a tona?
    A cármem também tem dividas não quitadas?

    sanconiaton

    PS
    Se temer tivesse sido preso ao dar os primeiros passos no mundo do crime, não só ele, talvez não tivéssemos um stf que só merecesse minúsculas.

  6. Pergunta a douta ministra:

    Quando vai ser instaurada outra ação para daqui a uns 900 dias e uma montanha de provas, outro velhaco dizer que era só para ver como funcionava a coisa?

  7. O Temer conseguiu o que queria. No TSE, com o apoio dos petistas, salvou a Dilma e a si próprio. No STF, dos rabos presos, vai navegar em águas tranquilas. Vai até tentar a reeleição em 2018. E, o pior, periga ganhar.

  8. “O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça.”

    Discordo totalmente dessa gradação. O elo mais importante da corrente, ministra, sempre é o cidadão, que paga as contas e mantém os integrantes do Supremo, e a própria justiça, existindo.
    Além disso, ministra, por que a demora em acionar o artigo 142? Por que, como acabamos de ver, se dependermos apenas da justiça e dos ministros que a representam, estamos todos_ “homens de bem”_ completamente perdidos.
    ( Isso pra ficar num termo que rima com o que eu realmente pensei em dizer.)

  9. Ela so manifesta q dohe para defender seus colegas togados rasgadores da constituicao e protetores de politicos corruptos.Tem q espionar,sim,investigar TODOS os membros desses tribunais farsantes:STF,STE e STJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *