Cármen Lúcia, presidente do STF, responde a Renan e exige respeito aos juízes

Ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (Foto: Marcelino Neto)

Cármen Lúcia afirma que todos os juízes foram ofendidos

Renan Ramalho
Do G1, em Brasília

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, exigiu nesta terça-feira (25) “respeito” ao Judiciário por parte do Legislativo e Executivo. Ao abrir a sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) – órgão de controle dos tribunais que ela também preside –, a ministra disse que os poderes devem buscar a “harmonia” em benefício do cidadão.

As declarações da ministra ocorrem um dia após o presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ter chamado de “juizeco” o juiz federal Vallisney Souza Oliveira, que autorizou a prisão de quatro policiais legislativos na semana passada, na Operação Métis. Cármen Lúcia não citou nomes em sua fala no CNJ.

“Todas as vezes que um juiz é agredido, eu e cada um de nós juízes é agredido. E não há a menor necessidade de, numa convivência democrática, livre e harmônica, haver qualquer tipo de questionamento que não seja nos estreitos limites da constitucionalidade e da legalidade”, afirmou a presidente do Supremo.

FALTA DE RESPEITO – Como presidente do STF, Cármen Lúcia é a maior autoridade do Judiciário no país. Na fala no CNJ, ela ressaltou que o Judiciário trata com respeito os demais poderes e que qualquer questionamento às decisões deve ser feito por meio de recursos aos próprios tribunais.

“O que não é admissível aqui, fora dos autos, é que qualquer juiz seja diminuído ou desmoralizado. Porque, como eu disse, onde um juiz for destratado, eu também sou. Qualquer um de nós, juízes, é”, completou a ministra logo em seguida.

Cármen Lúcia também exigiu respeito aos juízes. Ela disse que os magistrados, nas diversas instâncias, podem cometer atos “questionáveis”, mas que todos os órgãos do Judiciário buscam cumprir sua função “da melhor maneira”.

“Espero que isso seja de compreensão geral, de respeito integral. O mesmo respeito que nós, Poder Judiciário, dedicamos a todos os órgãos da República. Afinal, somos, sim, independentes, e estamos buscando a harmonia em benefício do cidadão brasileiro. Espero que isso não seja esquecido por ninguém, porque nós juízes não temos nos esquecido disso”, concluiu Cármen Lúcia.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGDiz a coluna Painel, da Folha, escrita por Natuza Nery, que Renan Calheiros pedirá formalmente a Michel Temer uma “reunião de emergência” com os chefes dos três Poderes. Quer discutir a ação da PF que prendeu policiais legislativos e outros casos em que vê abuso. Se Temer convocar a tal reunião, a ministra Cármen Lúcia vai enquadrar Renan numa boa. (C.N.)

17 thoughts on “Cármen Lúcia, presidente do STF, responde a Renan e exige respeito aos juízes

  1. Será que a ministra não está só “jogando para a arquibancada”?
    -Ora, se o Renan tem moral (e liberdade) para dizer o que disse é porque os processos dele foram (estão) engavetados pelos JUIZECOS DOS SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, ora!!!

    Quem não se dá o respeito é a própria Justiça, ao fazer compadrio com bandidos!

  2. A bola do STF não está com todo este ar!
    A ministra diz o que tem de dizer, mesmo que a convicção não seja toda assim.
    Nossas instituições estão TODAS comprometidas.
    Falta, a cada uma dela, moral suficiente para “apertar” outra.
    Só quem anda por fora do “sistema” tem condições de enxergar, bater e prender.
    Nosso maior problema não é inflação, recessão, corrupção. É falta de cadeia.
    Alguma dúvida que, deveriam ser transformados em presídios alguns estádio de futebol?
    cabelos brancos ou grisalhos, faz muito, eram sinal de respeito. Agora, podem ser pintados ou da moda. Não garantem seriedade.

  3. Uma maneira convincente de o STF mostrar respeito – e será aplaudido pela população, é acelerar os processos dos políticos sob investigação naquela casa. Que essa agressão do Renan ao juiz sirva de lição aos ministros que estão botando panos quentes no caso do alagoano corrupto. Ação, dona Carmen – agora é a vez das mulheres consertarem o Brasil! (os homens estão comprometidos com as cuecas).

  4. Com todo respeito ao Judiciário, é dureza o cidadão se deparar volta e meia, com cagadas de seus integrantes e ficar sabendo que a maior punição é prêmio : a aposentadoria compulsória, com direito aos salários…
    Ministra-presidente, mãos à obra e junto com o CNJ faça uma faxina rigorosa na sua área de olho e esperando que os outros poderes façam o mesmo.
    Tudo harmoniosamente.
    Acontecendo isso, teriam a gratidão nacional.

    • Aos que não querem ter o trabalho de acessar o link, aqui vai a transcrição:

      “O presidente do senado federal conseguiu no Supremo Tribunal Federal, desfazer o seu indiciamento e o de seu esposo”

      Nem os onipresentes e boquirrotos Marco Aurelio e Gilmar Mendes (este concede praticamente uma entrevista por semana….) disseram uma palavra sobre a afirmação de Renan…… Silêncio tumular também no STF…..

      • Gilmar Mendes (este concede praticamente uma entrevista por semana….)

        Aqui na Terra Pacificada pelo Presidiente do Porto de Santos eles usam e abusam da Mídia Chapa-Branca, inclusive seu Grande Grão Mestre que colocou lá no Supremo, a fofíssima Rainha da Corrupção Dona Henriqueta a cada semana dá mais de 850.000 mil entrevistas para a Midia Chapaiada…..
        Mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante.
        Os dois francesinhos de Penas de Faisões não fazem o mesmo com a TV, al Jazeera …..

        Viva La France…

  5. Sugestão para Dra. Carmem quando for para tal Reunião, leve e entregue pessoalmente a ORDEM DE PRISÃO desse mau brasileiro e o coloque no lugar onde todos os homens de bem do Brasil quer que ele sempre esteja..NA CADEIA !! O BRASIL AGRADECE !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *