Cartel de trens e metrô pode ter atuado em mais cinco capitais, inclusive no Rio

Daniela Lima e
Julio Wiziack

(Folha)

Documentos apreendidos pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) indicam que as investigações sobre o cartel que operou em licitações de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal poderão se estender a outras cinco capitais: Cuiabá, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador.

O material dessas cidades foi obtido nas operações de busca e apreensão realizadas em julho em dez empresas acusadas pela multinacional alemã Siemens de participação num esquema criado para fraudar concorrências.

O Cade afirma que ainda está analisando os documentos e que irá apurar com rigor caso encontre “indícios de cartel em outras licitações, mercados ou localidades”. Vinculado ao Ministério da Justiça, o Cade foi acusado pelo governo de São Paulo, comandado por Geraldo Alckmin (PSDB), de ter dirigido as investigações com o objetivo de atingir a oposição.

O Cade diz que o inquérito focou inicialmente a atuação do esquema em São Paulo e Brasília porque foi só nessas cidades que a Siemens admitiu ter participado de cartel. A multinacional alemã foi a delatora do esquema e terá anistia administrativa graças ao acordo com o Cade. Mas, se tiver omitido informações das autoridades, poderá perder os benefícios da delação.

DOCUMENTOS

O Cade encontrou documentos relacionados a Fortaleza, Recife, Rio e Salvador nos escritórios de quatro empresas (Alstom, Bombardier, Mitsui e T’ Trans). Na CAF, recolheu documento sobre o projeto do VLT (veículo leve sobre trilhos) que a empresa está executando em Cuiabá.

Na documentação entregue pela Siemens já apareciam conversas sobre outros projetos. Em e-mail de 2000, um executivo da Siemens afirma: “Os colegas […] de Salvador não têm tanto motivo para rir. Lá também a Alstom pensa que somente ela determina como a divisão deve ser”.

Em Salvador, consórcio em que a Siemens se associou às construtoras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez ganhou em 1999 uma licitação para implantar o metrô, que até hoje não está pronto e já consumiu mais de R$ 1 bilhão.

Outros e-mails citam os metrôs de Fortaleza, Recife e Rio. Em Fortaleza, Siemens, Alstom, Bombardier e Balfour Beatty formaram consórcio com construtoras. A obra triplicou de preço e teve superfaturamento apontado pelo Tribunal de Contas da União.

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGJá era esperado. Um escândalo desse porte, envolvendo corrupção, cartel, propinas e tudo o mais, não poderia deixar de ter a participação do governador Sergio Cabral, um dos maiores especialistas do ramo. (C.N.)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Cartel de trens e metrô pode ter atuado em mais cinco capitais, inclusive no Rio

  1. O METRÔ DE FORTALEZA,QUE LEVA O TRABALHADOR EM LINHA RETA DE FORTALEZA/ MARACANAÚ COM ALGUMAS ESTAÇÕES NO PERCURSO MAS O TANTO DINHEIRO GASTO DARIA PARA INTERLIGAR BOA PARTE DA CIDADE E NÃO SÓ UMA LINHA,MAIS COMO O DINHEIRO É ROUBADO SÓ FAZEM ARREMEDO DE OBRAS ISSO JÁ É UM CÂNCER SEM CURA O QUE PODEMOS FAZER SE OS FISCALIZADORES SÃO TODOS NOMEADOS INCLUSIVE POLÍTICOS LIGADOS AO GOVERNANTE DE PLANTÃO NO CASO DOS TCMS,STF,DESEMBARCADORES,MINISTROS DO STF,PROCURADORES ETC.O QUE PODEMOS ESPERAR? TRISTE MAIS É VERDADE.

  2. Que dúvida! Não só atuaram como atuam basta considerar a renovação da concessão do metrô do Rio, então, sucateado, conquanto com tarifas nababescas.

    Basta comparar com o de Santiago do Chila, de tarifa 20/30% mais barata, mui menores intervalos entre as composições, trens novos, engenharia contra-terremoto que encarece obremaneira é certo, e perfaz-se como rede apanhando a cidade toda, nada comparável a esta mixórdia que nos empulham desde Marcele Alencar, muito piorada sob a batuta do desgovernador ditador.

    Mas como não transportam nenhuma das vaquinhas de seus rebanhos pois estragaria a carne por stress…

    Saudações envergonhadas, mas libertárias sempre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *