Caso Bendine exibe o real objetivo das doações financeiras feitas pela Odebrecht

Resultado de imagem para aldemir ben dine charges

Além de corrupto, Bendine mostrou ser cara-de-pau

Pedro do Coutto

O juiz Sérgio Moro aceitou a denúncia do Ministério Público Federal e incluiu o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás na relação dos réus por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro dentro da operação Lava-Jato. Excelente reportagem de André Guilherme Vieira, no Valor desta sexta-feira, focaliza o assunto que, sem dúvida, torna-se uma chave para derrubada do mito das doações políticas, sejam para fins administrativos, sejam para campanhas eleitorais. Não existe doação espontânea por parte de quem as realizou, realiza, ou pretende ainda realizar.

Trata-se, isso sim de uma avenida de mão dupla. As doações na verdade são troca de ações visando o lucro. Vejam, por exemplo, o que Marcelo Odebrecht falou em sua delação premiada em relação a Aldemir Bendine. Ele era presidente do Banco do Brasil no governo Dilma Rousseff. Pediu 17 milhões de reais a Odebrecht. A empresa, não vendo como Bendine poderia beneficiá-la como presidente do Banco do Brasil, simplesmente negou.

E TUDO MUDOU…

– Mas quando o mesmo Bendine foi nomeado presidente da Petrobrás, a Odebrecht entregou-lhe logo três milhões de reais, segundo afirmou o próprio Marcelo. O lance, agora tornado público, representa uma chave para a plena compreensão de um processo que envolvia administradores, empresas, governadores, senadores e deputados. Fica claro dessa síntese que doações empresariais nunca existiram de fato. Porque elas sempre foram e serão acompanhadas por um comportamento recíproco que colide com as normas legais e morais, rompendo o limite entre a economia estatal e o interesse público.

A questão torna-se emblemática num momento em que parlamentares empenham-se em tentar aprovar doações empresariais para suas campanhas. Um absurdo. Os motivos são ocultos, melhor dizendo eram ocultos até as revelações de Marcelo Odebrecht. Doações foram feitas para encobrir assaltos a economia do país. Não há cabimento na sua volta, como também é descabido criar-se um fundo eleitoral, com dinheiro público para financiar candidaturas.

FUNDO PARTIDÁRIO – Como afirmou o deputado Rodrigo Maia, presidente da Câmara Federal, já existe na lei um fundo partidário de quase 900 milhões de reais para sustentar a busca do voto nas urnas.

Aliás, por falar em voto nas urnas, como é feita a divisão de tais recursos? É base da proporcionalidade numérica das bancadas no Congresso. Assim os deputados e senadores que possuem mandatos beneficiam-se muito mais nas campanhas do que aqueles que concorrem pela primeira vez.

E por falar em campanha, como na poesia de Vinícious de Moraes, por que motivo cada candidato não se utiliza dos seus próprios recursos ? Qual o motivo essencialmente democrático que confere aos políticos não meterem a mão no próprio bolso para custear sua aventura na estrada do eleitorado e da opinião pública?

CONTAS INDIVIDUAIS – Deveria ser como na vida de todas as pessoas que desembolsam seus recursos para obterem os bens e objetivos que desejam. O complexo das doações agride a lógica e o comportamento social de cada um de nós, seres humanos. É possível supor que muitos sonhos dos cidadãos comuns não possam ser realizados ou atingidos pela falta de dinheiro suficiente.

Mas neste caso, o que se pode fazer? Cada um tem que viver dentro dos limites que o destino impõe. Ninguém é obrigado a candidatar-se. Para alcançar tal meta deve agir como todos nós agimos pela vida afora. Pagando suas próprias despesas.

One thought on “Caso Bendine exibe o real objetivo das doações financeiras feitas pela Odebrecht

  1. Na realidade, destino não e sim resgates e provas a que nos submetemos à Lei do Progresso.
    E conforme fala o Sr Théo, coitado dos que saem pelos caminhos tortos, deixando atrás de si um rastro de destruição, atraso e morte, por terem desviado os recursos, dos seus lícitos fim.
    Vi a matéria da Prefeita pedindo mais $; cheque, espécie ou qualquer coisa; tenho certeza que uma prostituta, teria mais dignidade naquela hora, do que a “santa senhora”.
    Bom final de semana e que Deus abençoe a todos e a este nosso querido Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *