Caso Moro: delegados e deputada depõem hoje; os três generais, nesta terça-feira

Generais Heleno, Braga e Ramos vão depor na próxima terça no ...

Os três ministros-generais serão ouvidos no Palácio do Planalto

José Carlos Werneck

Como  eu previ, aqui na “Tribuna da Internet”, não houve o menor problema e os  ministros da Segurança Institucional,  Augusto Heleno, da Casa Civil, Braga Netto, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, que conforme prerrogativa legal a eles conferida, já marcaram a data e o local de seus depoimentos e serão ouvidos no Palácio do Planalto, às 15 horas da próxima terça-feira, dia  12.

O diretor da Abin, Alexandre Ramagem, e outros delegados, serão ouvidos às 15 horas desta segunda-feira na sede da Polícia Federal, em Brasília.

DELEGADOS DEPÕEM – Ramagem será ouvido por um delegado do Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq), grupo da PF responsável por inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal, e o objetivo de seu depoimento é esclarecer os laços dele com a família Bolsonaro e as circunstâncias da indicação para a chefia da Polícia Federal.

Outros dois delegados também devem ser ouvidos hoje: o ex-diretor-geral, Maurício Valeixo, às 10h, em Curitiba; e o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio, Ricardo Saadi, às 15h, em Brasília. A Polícia Federal começou na tarde de sexta a informar os advogados sobre a data.

O ex-diretor-geral Maurício Valeixo será ouvido por ter sido demitido por Bolsonaro, que indicou Ramagem para substituí-lo, mas não conseguiu finalizar a nomeação, sustada pelo ministro Alexandre de Moraes, ao analisar uma ação movida pelo PDT.

OUTROS DELEGADOS – O ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro Ricardo Saadi deixou o posto após críticas de Bolsonaro à atuação dele, contestadas em nota oficial pela Polícia Federal.

Na terça-feira, 12, na Polícia Federal, será a vez dos depoimentos dos delegados Carlos Henrique de Oliveira Souza, Alexandre da Silva Saraiva, Rodrigo de Melo Teixeira, e da deputada federal Carla Zambelli, do PSL de São Paulo, que serão ouvidos na sede da PF, em Brasília, às 15h. O depoimento de Teixeira está marcado para às 15h, mas em local ainda a ser definido.

Assim. três ministros do governo, seis delegados e uma deputada federal serão ouvidos na próxima semana pela Polícia Federal em depoimentos relacionados ao inquérito que apura suposta tentativa de interferência do presidente Jair Bolsonaro em investigações da PF, acusação feita pelo ex-ministro Sérgio Moro.

FALAM OS MINISTROS – Na terça-feira, às 15h, serão ouvidos no Palácio do Planalto os ministros Walter Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Conforme eu disse, a reação a depor realmente era apenas uma questão de semântica, depois à advertência sobre condução coercitiva. É mister que os doutrinadores do Direito modernizem o linguajar jurídico, carregado de expressões obsoletas, que assustam e nem sequer são imaginadas que ainda existam pela maioria das pessoas.

E esses três generais, com uma vasta trajetória de relevantes serviços à nação, darão seus importantes depoimentos.

24 thoughts on “Caso Moro: delegados e deputada depõem hoje; os três generais, nesta terça-feira

  1. O governo deve focar no que pode estar a seu favor e contra os nossos criminosos conhecidos, que querem manter o povo do jeito que está, e isto há décadas, com mais de 30 milhões de cidadãos vivendo abaixo da linha de pobreza, juntando-se a ele , os mais de 12 milhões que a esquerda com sua destruição da economia, com roubos e corrupção, mandou-os também para desgraça do desemprego.
    Enfim, o foco que o governo tem que se concentrar, é prender uns dois ou tres do stf, que nitidamente extrapolaram suas funções na casa que ocupam, segundo juristas , dos maiores do Brasil, Modesto Carvalhosa e Ives Gandra martins. Tudo dentro da lei.

  2. O direito brasileiro dá a oportunidade aos depoentes de se reservarem e falar em juízo e não durante o inquérito. Então se os três generais e a deputada decidirem ficar quietos, de se reservarem o direito de só falar em juízo não ficaremos sabendo tão cedo o que realmente se passou na tal “fatídica” reunião.

    • Ele ainda disse: “na minha modesta opinião”, crente que estava abafando.

      Deve ser aluno dos maiores juristas do Brasil, Modesto Carvalhosa e Ives Gandra Martins, segundo Mário Jr.

    • Não confunda culote com calças: eles são ministros e é como ministros que vão ao STF. Se quiserem ser generais de novo, que peçam convocação pelo exército. Eles têm o direito ao título que lhes pertence, mas não podem usar pra nada! São da reserva, moço! Reserva quer dizer pijama!

  3. “E esses três generais, com uma vasta trajetória de relevantes serviços à nação, darão seus importantes depoimentos.”

    Só que não!
    Heleno comandou um tropa da ONU sob bandeira brasileira que cometeu massacre de mulheres e crianças, inclusive.
    Também convém questionar se privilégios devem continuar a serem conferidos (?) a qualquer posto militar ou civil – tenho certeza que não.
    Militares passaram ilesos pela Reforma da Previdência. Dizem que colaboraram com economia de R$ 10 bilhões em 10 anos.
    UMA PIADA!
    São justamente as FFAA que mais tiram no setor público, com pensões às esposas e às filhas solteiras (algumas delas netas que foram adotadas pelos avôs) que ainda recebem.
    Nada fizeram para mudar esses privilégios.
    Nada aumentaram de suas contribuições em igualdade com civis.

    • O ministro Heleno parece muito competente, é modesto e ponderado. O problema é que ele faz parte dos “3 Assessores do Pateta”. È isso que pega mal para ele. Sinceramente acredito que ele seria um bom presidente, mas tivemos a sorte de ter, em vez disso, um imbecil no poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *