Preços dos imóveis já estão caindo, com “descontos” de 20% a 30%

Celso Serra

Por razões profissionais, acompanho rotineiramente o mercado imobiliário na cidade do Rio de Janeiro, assim como o que sai publicado sobre ele. Li várias matérias sobre o assunto (alta especulativa de preços) aqui na Tribuna da Internet e concordo com elas.

Ocorreu, sim, uma elevação artificial dos preços, realizada por pessoas e grupos interessados em ganhar o máximo com o menor esforço na venda dos imóveis. Só que – um “pequeno” detalhe – na outra ponta, a dos potenciais compradores, está o dinheiro, o capital que será aplicado (imobilizado) na compra dos imóveis. E esse capital, além de não ser ilimitado, possui condicionantes que exigem históricos legais de sua obtenção, por exemplo, origem perante às repartições tributárias.

Além disso, quando a compra do imóvel tem por objetivo sua futura locação, há outro fator condicionante, a taxa de retorno no capital imobilizado.

A VERDADE DO MERCADO

Combinando  com os condicionantes acima escritos todas essas informações erradas sobre o mercado (e o jornal O Globo é contumaz nisso, basta que se consulte o caderno “Morar Bem”, publicado aos domingos e comparar a tabela-base de preços de venda que publica – matéria do jornal – com os anúncios pagos colocados pelos interessados na venda dos imóveis para se confirmar a discrepância), pode-se chegar a uma posição que represente a verdade do mercado.

Há imóveis que estão sendo anunciados há muitos meses e não conseguem ser vendidos. O motivo é que os preços deles foram inflados. Hoje, com pagamento à vista, tem muito proprietário-vendedor concedendo abatimento de 20% a 30% no preço pedido pelo imóvel. Ou não o venderá.

A meu ver, os preços ainda irão cair mais; melhor dizendo, irão para um patamar mais compatível com a possibilidade de compra da população que trabalha e economiza para adquirir o imóvel.

Afinal, o que é o capital (dinheiro)? Para o cidadão trabalhador e honrado, é o trabalho acumulado; aquela parte que recebeu com o seu trabalho e não gastou (economizou).

P.S. – Por favor, excluam desse grupo de cidadãos trabalhadores e honestos grande parte dos políticos, em todos os níveis.

Resolução da ONU contra anexação da Crimeia à Rússia é totalmente inócua.

Carlos Newton

Em tudo na vida, temos a teoria e a prática. Por exemplo, todos sabem que a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) aprovou uma resolução sobre a Ucrânia na qual solicita a suspensão de medidas que impliquem a interrupção parcial ou total da unidade nacional e da integridade territorial do país. O texto, claramente direcionado à Rússia, não menciona o nome do país e foi aprovado com 100 votos a favor, 11 contra e 58 abstensões. Vinte e quatro nações não participaram da votação.

O documento ressalta que o referendo realizado na Crimeia, no qual se votou a separação da península da Ucrânia e sua anexação à Rússia, não tem validade e não pode constituir a base para qualquer alteração do Estatuto da República Autônoma da Crimeia ou da cidade de Sebastopol, ambas consideradas território do governo russo.

Na teoria, a decisão da ONU é impactante. Mas na prática, não muda nada. A Ucrânia depende totalmente da Rússia, é um país sem a viabilidade econômica no curto ou médio prazos. Nem a Europa, nem os Estados nem a ONU, nenhum deles  pretende amparar os ucranianos. Portanto, a resolução contra a anexação da Crimeia à Rússia tem o valor de uma nota de três dólares.

Supremo volta a julgar fim de doações de empresas para campanhas políticas

André Richter
Agência Brasil 

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve retomar, na próxima quarta-feira (2), o julgamento sobre a proibição de doações de empresas privadas para campanhas políticas. O julgamento foi interrompido em dezembro do ano passado e será retomado com o voto do ministro Teori Zavascki, que pediu vista do processo.

O Supremo julga a ação direta de inconstitucionalidade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) contra as doações de empresas privadas a candidatos e a partidos políticos. A OAB contesta os artigos da Lei dos Partidos Políticos e da Lei das Eleições, que autorizam as doações para campanhas políticas.

De acordo com a regra atual, as empresas podem doar até 2% do faturamento bruto obtido no ano anterior ao da eleição. As pessoas físicas podem doar quantias limitadas a 10% do rendimento bruto do ano anterior.

O placar da votação está em 4 votos a favor do fim das doações. Faltam os votos de sete ministros. Em dezembro do ano passado, os ministros Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli e Joaquim Barbosa seguiram voto do relator do processo, Luiz Fux. De acordo com o entendimento de Fux, as únicas fontes legais de recursos dos partidos devem ser doações de pessoas físicas e repasses do Fundo Partidário.

Fux também definiu que o Congresso terá 24 meses para aprovar uma lei que crie normas uniformes para as doações de pessoas físicas e para recursos próprios dos candidatos. Se, em 18 meses, uma nova lei não for aprovada, o TSE poderá criar uma norma temporária.

Receita Federal alerta para golpes na internet em época de declarar Imposto de Renda

Da Agência Brasil

Em época de declaração do imposto de renda, aumentam as tentativas de aplicação de golpes via e-mail. A Receita alerta que quadrilhas especializadas em crimes pela internet continuam utilizado mensagens eletrônicas que servem como meio para a obtenção ilegal de informações fiscais, bancárias e cadastrais do contribuinte. São mensagens com links ou arquivos em anexo que infectam computadores com vírus e outros programas que permitem o acesso ilegal aos dados

Um dos golpes, destaca a Receita, consiste em mensagem de e-mail informando que a Receita Federal analisou todas as declarações do Imposto de Renda 2012/2013 e encontrou uma inadimplência no CPF do usuário. Para isso, a mensagem pede que o usuário clique em um link para ver o demonstrativo dos números apresentados e de declarações divergentes.

Outras mensagens fraudulentas, segundo a Receita, indicam a disponibilização para download do programa de declaração do Imposto de Renda e a necessidade de envio de uma declaração retificadora ou a existência de valores residuais de restituições do Imposto de Renda a serem recebidos pelo destinatário.

O correto é não abrir e apagar imediatamente tais mensagens, pois a Receita não manda comunicação via e-mail sem a autorização do contribuinte nem autoriza terceiros a fazê-lo em seu nome. A única forma de comunicação eletrônica com o contribuinte é por meio do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte.

Precisamos lembrar sempre que é proibido proibir (ou não?)

O cantor, músico, produtor, escritor, poeta e compositor baiano Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, o genial Caetano Veloso, na letra da música “É Proibido Proibir”, revela uma série de ‘sinais’ que nos ligam ao movimento Tropicalista.

A música “É Proibido Proibir”, em 1968, foi desclassificada e amplamente repudiada durante o III Festival Internacional da Canção, porque Caetano entrou requebrando no palco, simulando uma relação sexual, e o público logo começou a vaiar. Impossibilitado de cantar pela ruidosa irritação da plateia, o compositor acabou agredindo verbalmente o público e o júri, mas  ninguém ouvia nada, tal a confusão.

O valor incontestável da anárquica “É Proibido Proibir” foi registrado num compacto simples, gravado pela Philips, em 1968, que, de um lado, apresentava a composição como foi idealizada pelo autor e, do outro, mostra-a com os imprevistos do festival: as vaias do público e os protestos de Caetano Veloso.

É PROIBIDO PROIBIR
Caetano Veloso

“A mãe da virgem diz que não
E o anúncio da televisão
E estava escrito no portão
E o maestro ergueu o dedo
E além da porta
Há o porteiro, sim…

E eu digo não
E eu digo não ao não
Eu digo: É!
Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir…

Me dê um beijo meu amor
Eles estão nos esperando
Os automóveis ardem em chamas
Derrubar as prateleiras
As estantes, as estátuas
As vidraças, louças
Livros, sim…
E eu digo sim
E eu digo não ao não

E eu digo: É!
Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir…

Me dê um beijo meu amor
Eles estão nos esperando
Os automóveis ardem em chamas
Derrubar as prateleiras
As estátuas, as estantes
As vidraças, louças

Livros, sim…
E eu digo sim
E eu digo não ao não
E eu digo: É!

Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir… “

              (Colaboração enviada por Paulo Peres – Site Poemas & Canções)

Planalto já sabia que Dilma vinha caindo

 

Raquel Faria
O Tempo

A queda da aprovação da gestão Dilma no Ibope já era esperada no Planalto. Desde o início do ano, as pesquisas qualitativas vinham sinalizando o mau humor em relação ao governo.

Nos grupos de discussão, inclusive os do Instituto Vox Populi para o PT, eleitores manifestam irritação crescente e difusa com a presidente. Para os analistas, cedo ou tarde esse sentimento teria que repercutir na popularidade do governo.

AZARÕES
Dois candidatos nanicos foram os presidenciáveis com maior crescimento na última pesquisa Ibope: o Pastor Everaldo, do PSC (legenda do deputado Marcos Feliciano), chegou a 4% das preferências e o jovem senador Randolfe Rodrigues, do radical PSOL, começou a aparecer na corrida com 1,5% das intenções de voto.

Berzoini ou Ideli, que diferença faz?

Grasielle Castro
Correio Braziliense

A presidente Dilma Rousseff anunciou sexta-feira a conclusão da reforma ministerial. Em nota, o Palácio do Planalto confirmou a troca de comando na Secretaria de Relações Institucionais (SRI), que passa para as mãos do deputado federal, Ricardo Berzoini (PT-SP). 

O petista já foi ministro do Trabalho e da Previdência, na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A atual ministra de Relações Instituições, Ideli Salvatti, deixa a pasta e assume a Secretaria de Direitos Humanos (SDH), no lugar de Maria do Rosário. Ela sai da secretaria para concorrer a uma vaga no Congresso Nacional.
A troca de Ideli por Berzoini agrada a base aliada como um todo. A aposta dos parlamentares é que o diálogo com o Planalto será intensificado. Os novos ministros tomam posse na terça-feira.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A diferença entre Berzoini e Ideli é que ele tem muito mais experiência política e jogo de cintura do que ela, que é de uma antipatia intolerável. Mas Berzoini está fazendo uma jogada de risco, deixando de se candidatar a uma reeleição praticamente garantida como deputado federal. Se Dilma não ganhar, ele fica quatro anos no sereno. Como se sabe, em política, tudo é possível e ninguém ganha eleição na véspera. (C.N.)

Onde está o depoimento de Helio Fernandes no Congresso sobre o atentado à “Tribuna da Imprensa”?

José Carlos Werneck

Dias após ao atentado contra a “Tribuna da Imprensa”, em 1981, o jornalista Helio Fernandes,  proprietário do jornal, prestou um contundente e detalhado depoimento de seis horas, relatando todos os detalhes do episódio perante à “Comissão do Terror”, instalada no Senado Federal, cujo relator era Franco Montoro.

Este depoimento sumiu completamente dos Anais do Senado Federal. Esperamos que a Comissão da Verdade possa apurar onde foi parar este importante depoimento sobre o brutal atentado perpetrado por elementos que não aceitavam, de maneira alguma, a volta do País à normalidade democrática.

Em sua fala, no Senado, Helio responsabilizava nominalmente todos os participantes, dizia que tudo era comandado e planejado pelo Chefe do SNI, general Octavio Medeiros, que se o regime continuasse, seria o  sucessor de Figueiredo.

No depoimento, Helio, falando de improviso (uma característica do veterano jornalista)  foi veemente e deu todos os pormenores do acontecido perante um  Senado perplexo, dizendo que “nada ainda havia terminado”.

Quantas razões para que o depoimento (na época eram apenas notas taquigráficas) desaparecesse totalmente.

Espero que a Comissão da Verdade tome providências.Segundo Helio Fernandes, os senadores ficaram tão assustados com seu depoimento, que o “expulsaram” de Brasília. Ele ia ficar lá, mas o levaram ao aeroporto, o colocaram dentro do avião e, só assim se tranquilizaram. Esse era o “clima” que exigiu o “sequestro” do documento, segundo me relatou, por telefone o proprietário da “Tribuna da Imprensa”.

Helio diz: “Fartos de me sequestrarem por anos, decidiram “sequestrar” depoimentos”.

Em em artigo ele foi taxativo ,quando afirmou: “Tentam desencaminhar a Comissão da Verdade, pois o crime da destruição da Tribuna em 1981 foi dois anos depois da anistia ampla, geral e irrestrita”.

Apesar do desencanto do Helio com o mistério do que ocorreu, ponderei com ele que, como o Senado tem um serviço que cuida com muito esmero da “memória” da Casa e publica nos Anais todas as sessões plenárias e das comissões, uma nova tentativa de busca está sendo feita para localizar seu depoimento.

Lula grava vídeo sobre ditadura militar, mas não menciona Tuma Jr.

Michelle Macedo
Correio Braziliense

“Devemos sim lembrar nosso passado, lamentar o período sombrio pelo qual passamos, mas, sobretudo lutar a cada dia para ampliar a nossa democracia”, este é um dos trechos da mensagem dada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em vídeo divulgado nesta sexta-feira (28/3) pelo Instituto Lula sobre os 50 anos do golpe militar no Brasil.

Lula lembra que aquela época deve ser lembrada para que a população valorize hoje o período democrático em que o país vive. “Apenas em períodos de democracia trabalhadores, mulheres, todos os segmentos sociais podem chegar ao poder, pois têm o pleno direito de expressão e manifestação”, afirma o ex-presidente.

Em outro trecho, o petista valoriza o direito a livre manifestação e participação popular: “o povo pode ir às ruas reivindicar… a democracia é a sociedade em movimento, buscando novas conquistas”.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGInteressante… Em nenhum momento Lula fala sobre as denúncias do delegado federal Romeu Tuma Júnior. Por falar nisso, quando será o depoimento dele na Câmara? Já está marcado? (C.N.) 

Queda no valor de companhias da Bovespa causa prejuízos não só aos donos de ações como a quem aplicou em fundos

Deco Bancillon
Correio Braziliense

Uma máxima do mercado financeiro é a de que, para ganhar dinheiro na bolsa, é preciso comprar papéis na baixa e vendê-los na alta, embolsando o lucro. Parece uma regra simples de ser colocada em prática, mas, diante da desvalorização das ações nos últimos anos, é cada vez maior o número de pequenos investidores decididos a pular fora do mercado para tentar diminuir os prejuízos. Entre maio de 2013 e fevereiro deste ano, cerca de 50 mil pessoas físicas abandonaram a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa).

Em 8 de abril de 2011, o valor das ações de empresas brasileiras negociadas na Bovespa somava R$ 3,629 trilhões. No fim de fevereiro último, o montante não passava de R$ 2,02 trilhões. Ou seja, em apenas três anos, R$ 1,6 trilhão viraram pó. Somente em 2013, o Ibovespa, índice que acompanha as principais ações negociadas na Bolsa de São Paulo, teve queda de 15,5%. O desconcertante é que tamanho prejuízo foi , em grande parte, provocado pelo intervencionismo do governo na economia, especialmente na gestão das companhias estatais, que têm peso expressivo nos indicadores do mercado.

As perdas, no entanto, não afetam apenas quem aplicou dinheiro na bolsa, mas se espalham para diversas áreas. Pessoas que decidiram investir em um plano de previdência complementar para garantir uma aposentadoria mais confortável, por exemplo, veem o valor da poupança diminuir. Isso acontece porque cerca de 30% do patrimônio desses planos estão aplicados em ações.

Na Petrobras, é um escândalo atrás do outro…

A dica é do sempre presente comentarista Adriano Magalhães, que nos indicou esta surpreendente reportagem do Estadão, mostrando a que ponto chegou a desfaçatez das autoridades brasileiras, incluindo a presidente Dilma Rousseff e o ministro Guido Mantega. Confiram a reportagem sobre a Formula 1, que é outra mutreta antiga da estatal, que não ganha nada gastando fortunas no circo de Brian Ecclestone.

###

Petrobrás deu convite VIP para genro de Dilma

Andreza Matais e Murilo Rodrigues Alves Brasília – Lista inédita dos convidados VIP da Petrobrás para assistir ao GP do Brasil de Fórmula 1, em novembro, revela que o agrado, originalmente usado pela estatal “para relacionamento com grandes clientes corporativos”, teve como beneficiados o genro da presidente Dilma Rousseff, Rafael Covolo; dois filhos do ministro da Fazenda, Guido Mantega; e a irmã, o cunhado e a sobrinha da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, além de parlamentares da base aliada e seus familiares. Mantida em segredo pela gerência executiva de Comunicação Institucional da Petrobrás, a lista foi obtida pelo Estado via Lei de Acesso à Informação. O cargo é ocupado desde 2003 por Wilson Santarosa, sindicalista amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O pedido de informações foi negado duas vezes, e só foi atendido por decisão da presidência da Petrobrás. As cortesias dão direito à vista privilegiada da pista do Autódromo de Interlagos, além de acesso aos boxes das escuderias, hospedagem em hotel cinco estrelas e buffet de bebidas e comidas durante o GP. Estima-se que o custo unitário dos convites oferecidos pela Petrobrás chegue a R$ 12 mil – o ingresso mais caro vendido ao público no ano passado, com benefícios semelhantes, valia R$ 11.200. A Secretaria de Comunicação Social do governo afirmou ontem que Covolo “compareceu ao GP Brasil” a convite da Petrobrás, desacompanhado da mulher, Paula Rousseff, e que Dilma não sabia do convite. “A presidenta disse que, se tivesse sido (consultada), teria dito para ele não comparecer. Isso porque, embora não exista irregularidade, não vale o incômodo.” Procurado, Covolo avisou pela secretária que “não tinha interesse em se manifestar”. O secretário adjunto do gabinete de segurança da Presidência, coronel Artur José Solon Neto, também foi convidado. O oficial confirmou o convite, mas disse não saber por que foi escolhido. Pedido. Dois filhos de Mantega, que preside o Conselho de Administração da Petrobrás, estão na lista VIP da estatal, assim como amigos deles. O pedido de ingressos para Carolina e Leonardo Mantega partiu do próprio ministro. Procurada, Carolina fez um pedido. “Por favor, eu gostaria que você não escrevesse essa matéria.” Perguntada se ganhou o ingresso do pai, repetiu: “Eu não quero falar sobre isso”. Leonardo não foi localizado. Os filhos de Mantega levaram um amigo, Felipe Isola. “Eu fui convidado porque gosto de assistir à Fórmula 1. O camarote é minha posição preferida”, afirmou. Questionou se tinha algum negócio com a estatal que justificasse a cortesia, Isola disse que a pergunta deveria ser feita à Petrobrás. “Não sou da empresa, mas conheço pessoas de lá”, afirmou. Em nota, Mantega afirmou que “os convites mencionados pela reportagem foram dados pela empresa devido ao fato de o ministro ser conselheiro da companhia, tratando-se de uma prática usual da Petrobrás para com seus conselheiros”. Miriam Belchior é outra ministra e conselheira da Petrobrás cujos parentes foram ao camarote. Irmã da ministra, Virgínia confirmou ao Estado ter recebido o ingresso, mas desligou o telefone ao ser perguntada sobre como ganhou o convite. Por meio de sua assessoria, a ministra afirmou que membros do Conselho de Administração constituem um dos diversos “públicos” de interesse da estatal. “Esse procedimento é praxe por parte de qualquer empresa pública ou privada que patrocina grandes eventos. Não infringe nenhuma norma estabelecida.” O marido da titular das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, o subtenente do Exército Jeferson da Silva Figueiredo, também foi convidado para o camarote VIP. A ministra recebeu o convite, mas afirmou não ter ido ao evento. Figueiredo não quis falar sobre o assunto. Base. O ex-presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), também tem um parente na lista VIP da Petrobrás. O neto do senador, João Fernando Sarney, não quis falar sobre o convite. O Estado identificou na lista nove deputados federais, um distrital e dois senadores, além de suas mulheres, irmãos, namoradas e filhos. Lá estão o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e o senador Gim Argello (PTB-DF), dois dos principais articuladores contra a CPI da Petrobrás. O gabinete de Argello confirmou o uso da credencial, estendida ao irmão e à mulher, mas disse que “não utilizou o serviço de hospedagem a que tinha direito”. Chinaglia não quis comentar. Por meio de assessoria, Marcus Pereira Aucélio, subsecretário de Política Fiscal do Tesouro, Paulo Fontoura Valle, subsecretário da Dívida Pública do Tesouro, e Marcio Holland, secretário da Fazenda, confirmaram a presença no evento, mas disseram que, ao aceitarem o convite, “consideraram que a Petrobras é uma empresa pública e não enxergaram nenhum potencial conflito de interesses, por se tratar de evento promocional e com convite extensivo a várias outras autoridades”. 

Aviso aos navegantes: E-mail IG com problemas, fora do ar

Carlos Newton

O e-mail IG, um dos mais antigos, sempre funcionou adequadamente. Mas depois que sofreu uma “reforma”, há cerca de um mês, passou a ter vários problemas e hoje saiu do ar.

Desde esta manhã tento acessá-lo, mas não consigo. Através do servidor Mozilla, há vários dias já era simplesmente impossível fazê-lo. Pelo servidor Google Chrome, vez por outra se conseguia entrar no IG Mail, por serem da mesma coudelaria (o servidor IG foi comprado pelo Google há tempos), mas agora o acesso também está impedido.

Faço esse alerta porque vários comentaristas costumam se comunicar comigo por e-mail, embora eu desconheça como conseguiram meu endereço.

Abraços a todos e bom final de semana.

Não é hora de comprar imóveis no Rio, dizem economistas

Cristiane Cardoso
G1

Às vésperas da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o Rio deJjaneiro vive um momento peculiar no mercado imobiliário, segundo economistas. De acordo com o índice Fipezap, da Fundação de Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a capital fluminense foi a única em todo o país que apresentou aumento superior a 1% em relação à inflação no valor do metro quadrado dos imóveis em fevereiro de 2014. Os preços médios ficaram em R$ 10.361. Com as altas dos preços, que chegaram a 300% em cinco anos, o G1 conversou com especialistas para tentar esclarecer a dúvida: é hora de comprar, vender ou alugar?

Para Luís Carlos Ewald, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), não há questionamento: “É melhor alugar. Os preços dos imóveis anunciados e turbinados pelos corretores é uma fantasia. Apesar disso, tem os preços dos imóveis que eventualmente são negociados. Os especuladores apostaram na Copa como se os estrangeiros fossem comprar imóveis muito mais caros aqui do que nos seus países. Claro que é melhor alugar. Você paga no máximo 0,5% mensais de aluguel ou paga no mínimo 1,0% ao mês de juros para comprar. Alugue e poupe a diferença”, aconselhou Ewald.

Segundo o especialista, as possibilidades de financiamento e a facilidade no pagamento aqueceram o mercado imobiliário quando a Selic, taxa básica de juros, chegou a 7,25% em 2011.

“Agora já está em 10,5% ao ano. Os bancos querem é comprar títulos do governo. Eles rendem mais, sem risco e sem trabalho. Está tudo parado. Tem gente que quer vender e não consegue. Os imóveis residenciais só encontram inquilinos pagando no máximo 0,35% ao mês do ‘valor fantasia’ do imóvel [termo utilizado por economistas para definir os valores pedidos em uma venda], e nas capitais”, explicou.

Aumento de até 300%
Luís Carlos Ewald afirmou que nos últimos cinco anos no Brasil os imóveis subiram de 100% a 300% nos lançamentos e nos “preços fantasias”. Segundo ele, no entanto, pelo menos cinco construtoras estão à beira da insolvência, com quedas nas cotações da bolsa.

“É sinal de quê? Lançaram ações, levaram grana boa para especularem nos preços de terrenos e agora estão superestocadas aguentando devoluções. A única que tem preço razoável é o Minha Casa, Minha Vida, da Caixa Econômica Federal, mas as pessoas têm que ter renda de até R$ 5 mil. Uma coisa é preço anunciado e outra muito diferente é o preço que consegue vender. Se tiver comprador, venda. Meu recado é esse”, garantiu o economista.

Para Ewald, comprar agora está praticamente inviável para a maioria das pessoas. “Qualquer um que queira vender um imóvel agora tem que baixar até 30% se quiser vender rápido. Um imóvel de classe média intermediária em Botafogo [Zona Sul do Rio] que pedem R$ 800 mil, terá entrada de R$ 300 mil. A primeira prestação em financiamento de 100 meses pelo SAC [Sistema de Amortização Constante] custará R$ 5 mil de juros (1%) mais R$ 5 mil de amortização (1%), total de R$ 10 mil mais seguros e taxas. Para comprar, tem ganhar no mínimo R$ 35 mil por mês. Quem que pode? Em 200 meses seria R$ 7,5 mil. E o condomínio, IPTU, mobília?”, completou Ewald.

Boas oportunidades pós-Copa
Para o mestre em Administração e Finanças pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP), Gustavo Cerbasi, o que tem mantido o mercado aquecido é o processo de reorganização da cidade — com grandes obras em andamento — para receber a Copa e as Olimpíadas somado à grande visibilidade que a cidade está tendo no exterior.

“Os grandes projetos na Zona Portuária e em Jacarepaguá [na Zona Oeste] afetam os preços de toda a cidade e o grande número de compradores estrangeiros na Zona Sul segura os preços, principalmente após a alta do dólar”, explicou.

Cerbasi acredita ainda que após a Copa do Mundo haverá boas oportunidades para quem pensa em investir em um imóvel. “Parte desse crescimento não se sustenta e certamente haverá oportunidades interessantes após a Copa do Mundo. Não estranharei se encontrarmos descontos superiores a 10% em algumas regiões”, garantiu.

 

Faltaram os estrategistas

Tostão
O Tempo

Apesar de o baixinho Mascherano como zagueiro, o Barcelona continua forte, para decepção dos que só viam, antes do jogo, virtudes no Real Madrid e problemas no Barcelona. A troca de passes do time catalão não é deficiência. É virtude.

Se o Barcelona tivesse um grande estrategista, dificultaria as jogadas de Di Maria, com o apoio de Marcelo. Do outro lado, um estrategista no Real Madrid não deixaria o Barcelona trocar tantos passes pelo centro nem daria espaço para Messi receber a bola livre na intermediária.

Quando o técnico Tata Martino descobrir a maneira de adicionar ao estilo do Barcelona o de Neymar, sem um estilo atrapalhar o outro, o time vai voar no ataque. Os dois passes excepcionais de Messi para Neymar, livre, nas costas dos zagueiros, foram uma amostra.

Outro dilema do técnico é escalar os quatro armadores (Xavi, Busquets, Fábregas e Iniesta), o que faz com que Iniesta atue pela esquerda, como prefere. Isso prejudica Neymar, que atua melhor da esquerda, e não da direita para o centro.

Faltaram os estrategistas, como Mourinho. Por outro lado, eles poderiam atrapalhar a beleza do grande clássico. O jogo pode ser visto de várias maneiras.

NEFASTA DITADURA

Ao mesmo tempo em que tenho orgulho de ter sido campeão por um dos maiores times da história, sinto-me, às vezes, incomodado, quando escuto que a seleção de 1970 foi o ópio do povo e que foi usada pela ditadura. Todos os governos, de todo o mundo, ditaduras e democracias, como a atual do Brasil, fazem o mesmo, ainda mais em uma Copa no próprio país.

Muitos jovens imaginam que, na concentração da seleção, havia um ambiente de terror, com cartilhas sobre o que os jogadores poderiam falar ou fazer. João Saldanha, homem corajoso, independente, não permitiria. Saldanha foi o técnico, desde as Eliminatórias de 1969 até meses antes da Copa. O reacionário Zagallo entrou, mas não mudaram as regras.

Para ganhar a Copa, o que era importante para o governo da época, como será para o atual, houve um longo e excepcional planejamento. Os atletas viveram o Mundial com intensidade. Eles e a população desconheciam também as atrocidades que ocorriam no país. Isso tem sido revelado com o tempo. Eu me informava com meus irmãos mais velhos, politizados e, como eu, contrários à ditadura.

Na época, em uma longa entrevista ao Pasquim, jornal de resistência intelectual à ditadura, critiquei a falta de liberdade de expressão no país e elogiei Dom Hélder Câmara, censurado pela ditadura. Dias depois, um desconhecido me disse para ter cuidado com o que falava. Não sei se era um conselho ou uma advertência.

Havia uma paranoia coletiva, um medo de ser denunciado como subversivo e de ser preso. Em 1975, Henfil criou o personagem “Ubaldo, o paranoico”.

MINAS POR CIMA

O esporte mineiro está por cima! O Cruzeiro é campeão brasileiro, e o Atlético, da Libertadores. Além de Jô, provavelmente, teremos um jogador que atua em Minas na Copa: Victor e/ou Dedé, que perdeu pontos contra o Defensor. Está mais para Victor. Durante todo o Mundial, o Chile ficará em Belo Horizonte, e a Argentina e o Uruguai, próximos. O Mineirinho será o palco do Mundial de Clubes de Vôlei. O Sada Cruzeiro é campeão sul-americano e mundial.

O Minas Tênis Clube, orgulho de Minas Gerais, será a casa dos ingleses e do campeão Cesar Cielo até as Olimpíadas Rio-2016. Cielo já treina no clube. Todos estão impressionados com a simpatia e o profissionalismo do nadador

Um desesperado poema de amor de Manuel Bandeira

O crítico literário e de arte, professor de literatura, tradutor e poeta Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho (1866-1968), conhecido como Manuel Bandeira, no poema “Boda Espiritual”, mostra toda a intensidade do amor verdadeiro

BODA ESPIRITUAL
Manuel Bandeira

Tu não estás comigo em momentos escassos:
No pensamento meu, amor, tu vives nua
– Toda nua, pudica e bela, nos meus braços.

O teu ombro no meu, ávido, se insinua.
Pende a tua cabeça. Eu amacio-a…afago-a
Ah, como a minha mão treme…Como ela é tua…

Põe no teu rosto o gozo uma expressão de mágoa.
O teu corpo crispado alucina. De escorço
O vejo estremecer como uma sombra nágua.

Gemes quase a chorar. Súplicas com esforço.
E para amortecer teu ardente desejo
Estendo longamente a mão pelo teu dorso…

Tua boca sem voz implora em um arquejo.
Eu te estreito cada vez mais, e espio absorto
A maravilha astral dessa nudez sem pejo…

E te amo como se ama um passarinho morto.

     (Colaboração enviada por Paulo Peres – Site Poemas & Canções)

É comovente o esforço das Organizações Globo para manter em alta o valor dos imóveis no Rio

Deu em O Globo

A valorização do metro quadrado da cidade do Rio, de 10,1% em 2013, pode ser considerada expressiva, mas menos intensa que a de 2012, quando houve alta de 12,9%. Em janeiro de 2013, o valor do metro quadrado na cidade era de R$ 8.060 e, em dezembro, de R$ 8.871. Zona Sul e Barra foram as regiões que mais puxaram a alta de preços, com valorização de 14,5% e 14,3%, respectivamente, contra 11,6% e 16,3% do ano anterior Os dados são do Panorama do Mercado Imobiliário 2013, divulgado nesta quinta-feira pelo Sindicato da Habitação (Secovi -Rio).

Já no segmento de locação, 2013 revelou uma surpresa: o valor médio do metro quadrado na cidade, caiu de R$ 42,31 em janeiro para R$ 41,53 em dezembro — uma redução de 1,8%. Na Zona Sul, a queda chegou a 5,7%. Segundo o Secovi-Rio, essa queda da locação tem a ver com o aumento no número de ofertas para aluguel, que foi de 38,4% ao longo do ano: de 3.046 unidades em janeiro para 4.216, em dezembro.

Esse crescimento expressivo tem duas razões. Muitos proprietários que deixavam seus imóveis fechados resolveram alugar ao ver a valorização do mercado. Por outro lado, os altos preços de venda vêm dificultando o fechamento de negócios e para não deixar o imóvel parado, muita gente tem corrido para o aluguel.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG De fato, é comovente esse esforço de O Globo/Secovi para manter em alta o valor dos imóveis no Rio de Janeiro, enquanto os preços já estão despencando em todo o país. Por coincidência, o “indicador” dos preços é fixado pelo Zap, site de classificados online de imóveis do jornal O Globo, vejam a que ponto chega a desfaçatez dessa gente…

A explicação de quemuitos proprietários que deixavam seus imóveis fechados resolveram alugar ao ver a valorização do mercadoé ridícula. Na verdade, ele só estão tentando alugar porque não conseguem vender. A maior imobiliária do Rio, a Julio Bogoricin, já publicou anúncio em O Globo com o seguinte título: Cansou de perder dinheiro com imóvel? É hora de alugar!. Não é preciso dizer mais nada. Os aluguéis estão despencando no Rio, e o valor dos imóveis vai cair inexoravelmente. É a velha lei da oferta e da procura. (C.N.)

A última pesquisa do Ibope é altamente contraditória

Sergio Oliveira

Na primeira parte da última pesquisa Ibope/CNI, a aprovação do governo dilma: ótimo/bom: 36%; regular: 36%; ruim/péssimo: 27%; não sabe/não respondeu: 1%. Quanto à expectativa em relação ao restante do governo: ótimo/bom: 36%; regular: 31%; ruim/péssimo: 28%; não sabe/não respondeu: 4%; diferença de 1%. E a aprovação da maneira de governo de dilma: aprova: 51%; desaprova: 43%; não sabe/não respondeu: 6%  Confiança em dilma? Confia: 48%; não confia: 47%; não sabe/não respondeu: 5%

Aí vem a segunda parte, quando se refere às áreas de atuação, onde ela é desaprovada em todas, a saber:

Educação: aprova (32%); desaprova (65%); não sabe/não respondeu (2%); diferença (1%);
Saúde: aprova (21%); desaprova (77%); não sabe/não respondeu (2%);
Segurança pública: aprova (22%); desaprova (76%); não sabe/não respondeu (2%);
Combate à fome e à miséria: aprova (48%); desaprova (49%); não sabe/não respondeu (3%);
Combate ao desemprego: aprova (41%); desaprova (57%); não sabe/não respondeu (3%);
Meio ambiente: aprova (41%); desaprova (54%); não sabe/não respondeu (5%);
Impostos: aprova (18%); desaprova (77%); não sabe/não respondeu (5%);
Ccmbate à inflação: aprova (24%); desaprova (71%); não sabe/não respondeu (5%);
Taxa de juros: aprova (21%); desaprova (73%); não sabe/não respondeu (6%).

Somando-se os nove percentuais, na aprovação temos a soma de 267, que, dividida por nove, resulta em 29,67% de aprovação. Quanto à desaprovação, a soma é 599, cuja divisão por nove resulta em 66,56% de desaprovação.

Não sabe/não respondeu: 33 + 1 da diferença do primeiro item = 34. Dividindo-se por nove resulta em 3,77%. Somando: 29,67% + 66,56% + 3,77% = 100%.

E aí, mas uma vez questiono: as pessoas que responderam a segunda parte da pesquisa foram as mesmas da primeira parte? Não dá para entender.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A pesquisa foi realizada de 14 a 17 de março, antes do escândalo da refinaria de Pasadena, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistadas 2002 pessoas, em 141 municípios. Isso significa que ouviram cerca de 14 pessoas em cada cidade. Cá entre nós, esse tipo de pesquisa realmente não pode ser confiável… (C.N.)