Cavendish é condenado a 11 anos de prisão por fraude e lavagem em obras da Delta

Bretas condenou Cavendish a pagar uma indenização de R$ 21 milhões

Rayssa Motta
Estadão

O empresário Fernando Cavendish, ex-presidente da Delta Engenharia, foi condenado a 11 anos e 8 meses de prisão em regime fechado pelos crimes de fraude à licitação e lavagem de dinheiro nas obras de ampliação da Marginal Tietê, na capital paulista, realizadas nos anos de 2009 e 2010.

A sentença proferida pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, também condenou Cavendish a pagar indenização de R$ 21 milhões, correspondente ao montante supostamente desviado pelo empresário.

ESQUEMA – Segundo o Ministério Público Federal, o ex-presidente da Delta participou de um esquema para direcionar a licitação da obra de infraestutura. O grupo teria superfaturado contratos inicialmente estimados em R$287 milhões e desviado dinheiro público através de empresas de fachada. O valor total da obra chegou a R$ 358 milhões, depois de aditivos de quase 25%.

Em depoimento no ano passado, o próprio empresário, que assinou acordo de colaboração premiada com a Lava Jato, confirmou participação no suposto cartel comandado, segundo ele, pelo ex-diretor de Engenharia da Dersa, Paulo Vieira de Souza.

“A autoria de Cavendish encontra-se amplamente comprovada, seja pelos termos do seu acordo de colaboração e seu interrogatório, nos quais ele assume ser o sujeito ativo dos delitos”, escreveu Bretas, que completou: “Cavendish confirmou que teve ciência das obras que seriam licitadas no segundo semestre de 2008 pela Dersa e que havia interesse por parte desta na realização de um acordo que atendesse os seus interesses. Afirmou que, nos termos do “acordo”, seria necessário um pagamento antecipado para que a Delta fosse contratada em um dos lotes do certame, sendo negociado o montante de 8 milhões em espécie. Sustenta também que, ao longo da execução do contrato, fora pago o valor de 6% de propina”.

OPERAÇÃO SAQUEADOR – Cavendish chegou a ser preso em 2016 na Operação Saqueador, que mirou suspeitas de lavagem de R$ 370 milhões em obras da Delta no Rio e arrastou o processo sobre irregularidades nas obras de ampliação da Marginal Tietê, denunciado pelo promotor Marcelo Mendroni, do Ministério Público de São Paulo, para a Justiça Federal fluminense.

No processo, a defesa do empresário argumenta que a condenação deve ‘observar os patamares mínimos das penas, pois o acusado confessou os delituosos imputados e ratificou os termos de seu acordo de colaboração, manifestando claro arrependimento e trazendo à baila fatos novos’.

3 thoughts on “Cavendish é condenado a 11 anos de prisão por fraude e lavagem em obras da Delta

  1. Jaula! Era pra ter uma pena de trinta anos. Está milionário!! Onze anos tá de bom tamanho. Vai estudar na cadeia, virar evangélico, somado ao bom comportamento, sai em quatro anos.
    Vai dizer que não é um ótimo negócio? rsrs
    Viva a república dos cocos, vivaaa!!!
    Kkk
    Cordialmente.

  2. Sr. Newton,
    Se não me falhe a memória, quando foi feita a roubalheira, ops, as obras de expansão das marginais, o dono da cadeira doTucanistão era nada mais nada menos do Vampiro Sanguessuga….
    Se cavar mais aquele esgoto que não acaba nuncam, com certeza vai achar o Vampiro e sua Vampirinha de estimação…..

    Vive La france…!!!

    eh!eh!eh
    abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *