Cerveró revela propinas de R$ 564 milhões, e sem atualização monetária

Charge do Fernando Cabral (Arquivo Google)

André de Souza e Carolina Brígido
O Globo

O ex-diretor internacional da Petrobras Nestor Cerveró apontou o pagamento de pelo menos R$ 564,1 milhões em propina envolvendo negócios da estatal e de uma de suas subsidiárias, a BR Distribuidora. Onze políticos são nominalmente citados como beneficiários dos desvios. Os detalhes estão na delação premiada de Cerveró, que está colaborando com a Justiça em troca de redução da pena. A cifra deve ser maior, uma vez que os valores não estão atualizados e não há informação de quanto foi pago em propina em parte dos negócios com irregularidades.

Individualmente, o valor mais alto se refere à aquisição pela Petrobras, em 2002, da empresa petrolífera argentina Pérez Companc. Segundo ele, o negócio rendeu US$ 100 milhões em propina para integrantes do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Usando o câmbio de sexta-feira passada, mas sem correção monetária, a cifra chega a R$ 354 milhões.

Em 2007, outro negócio relativo à Pérez Companc voltaria a render propina, segundo Cerveró. Foi durante a venda da Transener, principal linha de energia que liga a Argentina de norte a sul e que era da Pérez Companc. Em 2003, Nestor Kirchner assumiu a Presidência da Argentina e, segundo Cerveró, fez pressão para a Petrobras vender a Transener.

O negócio foi fechado com um amigo de um ministro da administração Kirchner e rendeu pelo menos US$ 300 mil (R$ 1,06 milhão) para Cerveró e outros US$ 300 mil para o lobista Fernando Antônio Falcão Soares, mais conhecido como Fernando Baiano. Mas, segundo o próprio Cerveró, a maior parte da propina ficou na Argentina.

PASADENA

De acordo com o ex-diretor da Petrobras, a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, rendeu US$ 15 milhões (R$ 53,1 milhões) em propina para o ex-senador Delcídio Amaral, Fernando Baiano e o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, entre outros. Mais R$ 4 milhões foram pagos a Delcídio em razão da reforma da refinaria. Em 2014, o Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu que Pasadena causou um prejuízo de US$ 792,3 milhões (R$ 2,804 bilhões) à Petrobras.

A aquisição de sondas também levou ao pagamento de pelo menos US$ 24 milhões (R$ 84,96 milhões) em propina. Cerveró apontou como beneficiários o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e Delcídio, entre outros.

BLOCOS EM ANGOLA

Segundo Cerveró, a compra de blocos de petróleo em Angola gerou propinas de R$ 40 milhões a R$ 50 milhões para a campanha presidencial do PT de 2006, quando Luiz Inácio Lula da Silva era candidato à reeleição. O ex-diretor da Petrobras disse que obteve essa informação de Manoel Vicente, presidente da Sonangol, empresa estatal de petróleo de Angola. As negociações do lado brasileiro teriam sido conduzidas pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci.

Cerveró citou ainda várias propinas para Fernando Collor envolvendo negócios da BR Distribuidora. Seriam pelo menos R$ 26 milhões. Em algumas das negociações, porém, não há informação de valores. Ele também falou de propina, mas sem entrar em detalhes, para a campanha de alguns petistas, como Jaques Wagner, em 2006.

IDELI SALVATTI

Além de propinas, Cerveró mencionou ingerências políticas, como a interferência da ex-ministra Ideli Salvatti para que a BR Distribuidora renegociasse uma dívida de R$ 90 milhões que a transportadora Dalçoquio tinha com a estatal. Outro ponto da delação é o prejuízo de US$ 40 milhões (R$ 141,6 milhões) com a interrupção da obra da fábrica de lubrificantes em Duque de Caxias (RJ). Disse ainda que o ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão ordenou o fundo de pensão da estatal, Petros, a investir no Banco BVA, que viria a falir.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
A corrupção vinha de longe, mas na Era do PT a coisa se institucionalizou e a Petrobras estava virando uma “Festa de Bacana”, como no grande sucesso do grupo Originais do Samba, de Ary do Cavaco e Bebeto de São João: “Se gritar Pega Ladrão, não fica um, meu irmão”. (C.N.)

6 thoughts on “Cerveró revela propinas de R$ 564 milhões, e sem atualização monetária

  1. O mais interessante nisto tudo, é a Recita Federal e
    o tal de COAF nada dizerem destas fortunas fortuitas circularem livremente sem serem detectadas.
    Quando qualquer cidadão fica com um “recibo Médico” sob suspeição, é chamado para dar explicações e invariavelmente leva uma “ferrada”
    de dar gosto do IR.
    Os corruptos passam livremente e não são incomodados, isso que é ser um pais justo.
    Severo com os honestos e leniente com os ladrões.

  2. O horda da TFP ao visto se juntou a Alkcminiana OPUS DEI, que usa até o auto flagelo, para cuidarem da vida dos outros no intuito de encobrir a lamaçal que aí está ! Sei bem como funciona, pois conheço todos os Monteiros da Rede Vida. Já o Estadão defender isso é irônico, pois o senhor que lançou debentures duplicadas do Estadão toma 2 litros de uísque por dia, mora lá no Pacaembú.

    Bem vindo a Idade Média !

    http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/ministro-quer-restringir-uso-de-bebida-alcoolica/

    Vão cuidar dos seus próprios rabos , os será o Temer um novo Kennedy com os seus navios ancorados esperando o fim da lei seca ???

  3. “mas na Era do PT “. Pra que isso, Carlos ? Isso é institucionalizado desde a volta dos banidos no acordo para que não se punissem os militares. Quer dizer que os ladrões anteriores eram “mais honestos” que os sucessores ? Francamente …
    Independentemente da volta ou não de militares, precisamos de um governo honesto (dificílimo, pela sociedade que temos) e forte, não pode abrir a guarda.
    PS: fale dos beneficiados pela Lei Rouanet, por favor.

  4. O negócio eu sei solução, morrem 80.000 pessoas por dia,morreriam muito menos,mas como sou da “paz”, prisão perpétua.
    Coloca o Juiz Sérgio Moro(viram que respeito), respeito não se impõe, se adquiri, no STF e muitos políticos já estariam presos, e estes querendo delação premiada, para a turma confirmar um ditado filosófico de que bandido não éamigo de ninguém.
    STF, é muita coisa para fazer, mesmo com assessores que sabem mais do que vocês, vocês são indicações, eles não, sem concursados e estudiosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *