Cerveró vai culpar Dilma, e o Planalto tenta blindar a presidente

João Valadares
Correio Braziliense

O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, preso desde quarta-feira da semana passada, ia prestar depoimento esta quinta-feira, na Polícia Federal (PF), sobre a polêmica compra, em 2006, da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). Mas seus advogados informaram que a Polícia Federal decidiu cancelar o depoimento dele à PF, alegando “questões técnicas internas” para o adiamento.

Na manhã de ontem, após visitar o cliente na carceragem da PF, em Curitiba, o advogado Edson Ribeiro afirmou que, agora, Cerveró “será contundente”. Ele ressaltou que o ex-diretor vai apontar a responsabilização do Conselho de Administração da estatal e da presidente Dilma Rousseff, que, na época, presidia o colegiado. O Palácio do Planalto está em alerta. Nos bastidores, existe o temor de que Cerveró traga novas informações e puxe a presidente novamente para o centro do escândalo. Até o fechamento desta edição, a assessoria de comunicação da PF não havia confirmado o horário do depoimento.

De acordo com a defesa, a tese que será defendida pelo ex-diretor é de que, se Dilma diz que tomou a decisão de compra com base em parecer falho, a petista não foi diligente ao analisar os documentos. A compra da refinaria, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), causou um prejuízo de US$ 792 milhões à estatal. Aos que visitam Cerveró na prisão, o ex-executivo tem demonstrado sua mágoa com a maneira como foi tratado pela petista. “Ele está indignado com a situação. Desta vez, o depoimento será contundente. Ele não teve contundência (contra a presidente Dilma) anteriormente por determinação minha. Por quê? Estávamos num período pré-eleitoral e eu não quis que Nestor fosse usado por um partido ou por outro”, explicou Ribeiro.

O defensor afirmou que Cerveró, ao contrário do que se espalhou em Brasília, não é um homem-bomba. “Ele apenas vai falar a verdade. Quem descumpriu o estatuto social da Petrobras foi o Conselho de Administração. Vai dizer que, se o parecer era falho, a presidente Dilma, que presidia o conselho, tinha obrigação de chamá-lo para tirar todas as dúvidas.” De acordo com Ribeiro, no depoimento de hoje, Cerveró será bastante objetivo. “Vai apontar o que for para apontar. Essa responsabilização (da presidente) será dita aqui. Ele não tem nenhum trunfo. Só vai dizer o que realmente aconteceu”, declarou.

PLANALTO EM ALERTA

A artilharia voltada para a presidente colocou o Planalto em alerta desde a prisão de Cerveró, no dia 14, quando Edson Ribeiro afirmou que a presidente da Petrobras, Graça Foster, também deveria ter sido presa. Para os palacianos, as acusações soaram completamente fora do tom. A ordem no Planalto é blindar a presidente ao máximo para evitar que essas declarações respinguem em Dilma. Na terça-feira, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas, repetiu o discurso que tem sido adotado quando a presidente ou Graça Foster são citadas em denúncias que envolvam a Petrobras. Segundo ele, não há nenhuma responsabilização de Dilma, e quem vier a dizer isso terá que provar. O ministro ressaltou que a petista não foi citada por nenhum órgão que investiga ilícitos na Petrobras. Ontem, o Planalto não comentou as novas declarações da defesa de Cerveró.

9 thoughts on “Cerveró vai culpar Dilma, e o Planalto tenta blindar a presidente

  1. Cerveró até agora continua com um olho no prato e outro no gato. Literalmente. Ou continua mordendo e assoprando.

    Por enquanto só tem ameaçado, mas ainda não abriu o bico de verdade. De repente achou que nunca seria preso preventivamente, e estava tranquilamente planejando a sua nova vida de milionário na Espanha.

    Será que daqui pra frente o tempo vai fechar? Os próximos episódios serão eletrizantes, como diz Carlos Newton.

  2. Nestor Cerveró é réu da Lava Jato por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro . A ação penal lava jato não tem nada a ver com a compra da refinaria de Pasadena. A Presidente não é corrupta.

    • Renato
      Nos dois governos Lulla/Dillma, tudo tem a ver com tudo.
      São muitos “rabos” amarrados entre si. É uma rede de corrupção. Não consegues enxergar isto? Não falo com satisfação: sou um dos milhões de prejudicados mas jamais defenderia críticas infundadas ou acusações falsas.
      Toda a cúpula do PT e dos partidos aliados (podes incluir os de oposição também) sabem de tudo e participaram e continuam participando.
      Acreditas que a “chinelagem” dos paus mandados iriam fazer isto, ficar com todo o dinheiro recolhido das estatais e de outros veios e os “líderes” chupando o dedo e assistindo a roubalheira?
      Queria que a Receita federal levantasse os números de antes e de agora de todos aqueles que passaram e ainda estão no poder.
      O mundo viria abaixo. É muito pior do que qualquer máfia que existiu ou ainda existe. Nunca desviaram tantos recursos como nestes últimos 20 anos.
      E o povinho abobado, aparvalhado, debiloide e sem caráter mão quer ver, não sabe de nada. Quando acordar estará com a alça da sacola esmola na mão.
      Renato, d eixa de defender pilantras. Se pegarem o Cerveró de jeito, ele vomitará como os outros. Acredite: bobalhão foi só o Marcos Valério. Ele deve bater a cabeça na parede todos os dias. Deve estar arrependido até a alma.
      Vamos lá amigo, não é falar mal de Dillma: é enxergar o que ella realmente é e o que está fazendo.
      Abraço e saude.

  3. Quem não assistiu ao ótimo filme “Êxodo” eu recomendo, está em cartaz. Aquela massa humana de escravos interpretei como o povo brasileiro. Ainda não nasceu um Moisés no para guiar o nosso Povo rumo à Terra Prometida da Ética e da Moral. Os antigos Hebreus ficaram 400 anos na Escravidão, o Brasil já está há 515 anos presenciando Corrupção, somos os primeirões… que tristeza !!!!!!!!!!

    • Excelente filme.
      O ator que interpreta Moisés está fantástico.Aliás, todo elenco é de primeira.
      As cenas finais são, realmente, fantásticas.
      Recomendo a todos.Vale a pena vê-lo.
      Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *