Cesar Maia critica Eduardo Paes, que critica o ministro da Saúde, que critica o SUS…

Carlos Newton

A repórter Luciana Nunes Leal, do Estadão, relata que, antes que as divergências do prefeito do Rio, Eduardo Paes, com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, se transformassem em mais um componente da crise entre o PMDB e o PT, o chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, foi escalado para serenar os ânimos.

Na segunda-feira, Paes disse que recebeu “reações gentis do Palácio do Planalto”, mas voltou a classificar de “irresponsável” a divulgação de uma pesquisa sobre desempenho das cidades no Sistema Único de Saúde (SUS).

Na quinta-feira passada, o prefeito peemedebista fez duras críticas ao petista Padilha pela divulgação da pesquisa que apontava o Rio como a capital com pior avaliação no SUS.

O prefeito se revoltou com o fato de o levantamento reunir dados de 2008 a 2010 e não contemplar 2011, quando, segundo Paes, teria havido um salto de qualidade na saúde pública carioca. Embora tenha apontado avanços como a ampliação do programa saúde da família e aumento de recursos investidos, Paes reconheceu que a saúde na cidade ainda é “uma tragédia”.

Mas Paes ficou ainda mais aborrecido com a explosiva postagem de seu antecessor Cesar Maia na internet, que realmente merece reflexão:

###
ÚLTIMO LUGAR EM SAÚDE FAZ PREFEITO DO  RIO MENTIR!

Cesar Maia
       
1. (Globo, 03/03 e RJ-TV, 02/03) Prefeito: “Aplico 4 bilhões de reais em Saúde.”

A verdade: Diário Oficial do Município do Rio de 30 de janeiro de 2012, página 64. Execução orçamentária de 2011. Gasto em Saúde: 1 bilhão e 875 milhões de reais. Menos da metade do que foi declarado.
       
2. (Globo, 03/03 e RJ-TV, 02/03) Prefeito: “Aplico 25% em Saúde”. 

A verdade
: Diário Oficial do Município do Rio de 30 de janeiro de 2012, página 64. Execução orçamentária de 2011. Aplicações em Saúde: 19,69%.
       
3. (RJ-TV, 02) Prefeito: “Estou construindo 5 hospitais”. 

A verdade: Está sendo reformado o tradicional Hospital Pedro II em Santa Cruz e construído um pequeno hospital na entrada da Ilha do Governador.
       
4. (RJ-TV, 02) Prefeito: “A cobertura do programa saúde da família passou para 27,4%”.

A verdade: Como não há visita domiciliar de médicos e equipes, não é programa saúde da família, mas um posto médico com 3 especialidades no lugar das 12 especialidades dos postos de saúde, reduzindo a diversidade da atenção básica. E a conta de multiplicar o número de pequenos postos médicos adaptados ou construídos (clínicas da família) pela área de referência é falsa. São pontos fixos.
       
5. (Globo, 03) “Sobre Convênios com a Prefeitura do Rio, dados do Ministério da Saúde apontam que em 2008 foram repassados R$ 855 milhões, em 2009 repassados R$ 544 milhões, em 2010 foram R$ 764 milhões e em 2011 R$ 488 milhões.”

A verdade: Então a história que a prefeitura anterior não interagia com o governo federal é mentira. Os números (sem incluir a inflação) mostram que a prefeitura anterior recebia mais em Convênios com Ministério da Saúde que a atual.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *