“Chopp”, um poema de Carlos Penna Filho, que todos os brasileiros precisam saborear

TRIBUNA DA INTERNET | Um retrato campestre, na visão do poeta Carlos Pena  FilhoPaulo Peres
Poemas & Canções
O advogado e poeta pernambucano Carlos Pena Filho (1929-1960), no poema “Chopp”, mostra os desejos e os sonhos frustrados no refrão do famoso Bar Savoy, em Recife.
CHOPP
Carlos Pena Filho
Na avenida Guararapes,
o Recife vai marchando.
O bairro de Santo Antonio,
tanto se foi transformando
que, agora, às cinco da tarde,
mais se assemelha a um festim,
nas mesas do Bar Savoy,
o refrão tem sido assim:
São trinta copos de chopp,
são trinta homens sentados,
trezentos desejos presos,
trinta mil sonhos frustrados.
Ah, mas se a gente pudesse
fazer o que tem vontade:
espiar o banho de uma,
a outra amar pela metade
e daquela que é mais linda
quebrar a rija vaidade.
Mas como a gente não pode
fazer o que tem vontade,
o jeito é mudar a vida
num diabólico festim.
Por isso no Bar Savoy,
o refrão é sempre assim:
São trinta copos de chopp,
são trinta homens sentados,
trezentos desejos presos,
trinta mil sonhos frustrados

One thought on ““Chopp”, um poema de Carlos Penna Filho, que todos os brasileiros precisam saborear

  1. 1) Belos versos, lembrei do meu falecido pai, que também se chamava Antonio e era meu conterrâneo, certa feita ele fez uma poesia, mas eu só lembro do refrão:

    2) “Se recifense vivi / morrerei pernambucano”. Era um apaixonado pela Veneza Brasileira, descansa em paz, há muitos anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *