Clube Militar adverte o Supremo que “o foro privilegiado não é para bandidos”

Presidente do Clube Militar bota ainda mais lenha na fogueira

General Gilberto Pimentel
Site do Clube Militar

Como amplamente noticiado, Paulo Bernardo, ministro do Planejamento do governo Lula e das Comunicações no primeiro mandato de Dilma Rousseff, foi preso pela Polícia Federal, por determinação do juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, de São Paulo, acusado de integrar uma organização formada para fraudar um serviço de crédito consignado a funcionários públicos. A empresa a serviço dos fraudadores, o Grupo Consist, cobrava mais do que deveria e repassava 70% do seu faturamento para o Partido dos Trabalhadores e para políticos, segundo a Polícia Federal, a Receita Federal e o Ministério Público. A propina paga entre 2009 e 2015 teria alcançado cerca de R$ 100 milhões. Dezenas de milhares de funcionários públicos foram lesados segundo o apurado.

Paulo Bernardo é casado com a senadora petista Gleisi Hoffmann que por tal circunstância tem foro privilegiado, ela também denunciada junto com o marido, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. São acusados de receber dinheiro desviado da Petrobras.

BUSCAS NO APARTAMENTO – Para o prosseguimento das investigações criminais, o juiz Paulo Bueno determinou buscas no apartamento funcional da senadora onde ela mora com o marido Paulo Bernardo, acusado dos crimes, ele sem foro especial.

A ação da Polícia Federal, integrada com a Procuradoria da República e a Receita, provocou reações no Senado, onde colegas da senadora contestaram as buscas no apartamento funcional invocando suas imunidades. Não se trata apenas de corporativismo, é também o medo de grande parte deles, maioria talvez, envolvidos em atos de corrupção, incluindo os presidentes das casas parlamentares, serem atingidos por medidas semelhantes.

Esse é o Brasil dos nossos dias, valores invertidos, subvertidos, o bandido de colarinho branco disfarçado de autoridade, desacreditando e buscando sobrepor-se à Lei e à Justiça.

Os argumentos invocados pelo Ministério Público parecem irrefutáveis a qualquer cidadão leigo, mas do bem, e devem ser acatados em qualquer sociedade que se pretenda séria.

INTERESSE NACIONAL – “O direito à intimidade e à privacidade não são absolutos e devem ceder aos interesses da coletividade em ver apurados gravíssimos crimes de corrupção que, ainda mais quando, em larga escala (o total das investigações superaria cem milhões de reais), são capazes de causar prejuízos incomensuráveis ao país e à sociedade brasileira” ponderou o juiz.

E mais: “O mandado na residência de Paulo Bernardo é restrito aos seus bens, objetos e documentos, devendo ser preservados os bens, objetos e documentos pessoais da senadora Gleisi Hoffmann, que não são alcançados pela presente decisão”.

Mais claro impossível. Fora isso seria o absurdo da lei assegurar a impunidade a um bandido pelo fato de residir no mesmo local de alguém com foro privilegiado.

6 thoughts on “Clube Militar adverte o Supremo que “o foro privilegiado não é para bandidos”

  1. Vejam amigos a importância desta notícia.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,fim-da-satiagraha-libera-r-4-5-bi-aos-fundos-de-dantas,10000060606

    E pensar que a nulidade de toda essa investigação foi causada pelo fato de a Polícia Federal ter utilizado os serviços de agentes da ABIN para realização das escutas telefônicas sem que tivesse sido celebrado convênio entre as duas instituições para dar respaldo legal a essa situação. Daniel Dantas agora é premiado com a restituição de seus bens, e o delegado Protógenes foi demitido do serviço público e teve que pedir asilo político na Suíça. Com isso, toda a corrupção nas privatizações da era FHC ficará impune.

    • É muito interessante ler o material contido no link acima, indicada por Micha Elis. há duas entrevistas. Uma feita para um repórter da IstoE , revista que levantou a suspeita de que Temer teria recebido de um amigo a importância de R$ 1 milhão.

      Temer, educado e ponderado em sua revista, explica ao jornalista da IstoE que o dinheiro de que ele falava não era R$ 1 milhão, mas sim R$ 1.100.000,00 por serviços prestados a uma empresa. Temer não nega a estreita ligação com o prestador de serviços, mas indicou a uma revista concorrente da IstoE que seu amigo pagou R$ 1.100.000,00 por serviços prestados por uma empresa, que nada tem a ver com Temer. A revista foi até o contratante do serviço, amigo de Temer, e ele de fato disse que pagou a determinada empresa R$ 1.100.000,00 por serviços que a empresa a ele prestou. A revista concorrente foi até a empresa prestadora de serviço e este estabelecimento confirmou que, exatamente na época da boataria sobre Temer haver recebido R$ 1 mi , foi a empresa prestadora quem recebeu a quantia de R$ 1,1 mi, confirmada pelo próprio proprietário da empresa.

      Temer mostra na entrevista, sem cair nas pegadinhas do repórter da Revista IstoE e lhe trata com cortesia durante todo o diálogo entre os dois.

      Fala, ainda, nosso presidente interino, que já escreveu vários livros, mas livros de Direito e agora pretende escrever um livro literário e acha ele (com razão, mas com outras palavras) que todo livro, romance ou ensaísta que um escritor escreve, inevitavelmente lá está sua auto-biografia. Isto é inevitável, embora Temer acha que a partir do segundo livro o perfil auto-biográfico do autor fica mitigado, no que ele se engana.

      Há, abaixo, uma entrevista de Lula, que transpira ódio, dada Em entrevista à revista alemã Der Spiegel publicada neste sábado (02/07). Também nesta entrevista, o entrevistado se identifica com sua auto-biografia e projeta no outro o que ele é. Está nas minhas mãos um dos mais importantes livros de Psicanálise, o “Vocabulário da Psicanálise”, peça indispensável ao analista como a água para os humanos. O Dicionário explica o que significa projeção, com estas palavras: No sentido propriamente psicanalítico, projeção é operação pela qual o sujeito expulsa de si e localiza no outro – pessoa ou coisa – qualidade recusa nele. Trata-se aqui de uma defesa de origem muito arcaica, que vamos encontrar em ação particularmente na paranoia, mas também em modos de pensar “normais” , como a superstição.

      Explicado isso, vejam agora a projeção maciça que Lula faz em Michel Temer, ipsis litteris, não podendo haver exemplo melhor para o mecanismo projetivo. Diz Lula as seguintes palavras : “Para o ex-presidente, as chances de que o impeachment não se concretize são boas. Seria necessário conseguir o apoio de apenas mais seis senadores, disse. Além disso, o presidente interino, Michel Temer, “cometeu muitos erros”.

      “Ele se comporta como Fidel Castro, que se instalou em Havana com seus guerrilheiros. Temer parece acreditar que ficará no poder por 70 anos. Ele trocou o comando de todos os postos importantes, dos ministérios, do Banco Central, da Petrobras. Ele é absurdo”, criticou Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *