CNBB vê democracia em risco e diz temer que surja um “salvador da Pátria”

Deu no Estadão

Resultado de imagem para secretário-geral da CNBB, L

Dom Leonardo Steiner leu a mensagem da CNBB

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota em que afirma que o estado democrático de direito “corre riscos”. “O Estado democrático de direito, reconquistado com intensa participação popular após o regime de exceção, corre riscos na medida em que crescem o descrédito e o desencanto com a política e com os Poderes da República cuja prática tem demonstrado enorme distanciamento das aspirações de grande parte da população”, diz texto lido nesta quinta-feira, 4, pelo secretário-geral da CNBB, Leonardo Ulrich Steiner, durante encerramento da 55.ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP).

O documento faz um alerta contra o possível surgimento de um ‘salvador da pátria’ no contexto atual de crise política e econômica. “Desconsiderar os partidos e desinteressar-se da política favorece a ascensão de “salvadores da pátria” e o surgimento de regimes autocráticos”, diz o texto. A conferência afirma que é preciso abandonar a prática do “toma lá dá cá como moeda de troca para atender a interesses privados em prejuízo dos interesses públicos”.

CAPITALISMO DESUMANO – A CNBB faz críticas à política econômica que prioriza o capital no lugar do ser humano. “Intimamente unida à política, a economia globalizada tem sido um verdadeiro suplício para a maioria da população brasileira, uma vez que dá primazia ao mercado, em detrimento da pessoa humana e ao capital em detrimento do trabalho, quando deveria ser o contrário. Essa economia mata e revela que a raiz da crise é antropológica, por negar a primazia do ser humano sobre o capital”. Mais adiante, acrescenta que “quando é o mercado que governa, o Estado torna-se fraco e acaba submetido a uma perversa lógica financista”.

O texto destaca ainda a necessidade de o Brasil “reconstruir seu tecido social”. “O desprezo da ética leva a uma relação promíscua entre interesses públicos e privados, razão primeira dos escândalos da corrupção. Urge, portanto, retomar o caminho da ética como condição indispensável para que o Brasil reconstrua seu tecido social.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Quando fala em “salvador da Pátria”, a CNBB estará se referindo a Jair Bolsonaro, João Dória, Lula da Silva ou Augusto Heleno? Fiquei na dúvida. (C.N)

46 thoughts on “CNBB vê democracia em risco e diz temer que surja um “salvador da Pátria”

    • Que sabe com doses cavalares de Rivotril antes dos seus pronunciamentos, o Bolsonaro consiga pelo menos nos explicar as suas pretensões. E como é que ficou aquela história do seu irmão, comerciante no Vale do Ribeira e empregado da Assembleia Legislativa de SP ? O Brasil não precisa de “Salvadores da Pátria ” coisa nenhuma. O Brasil precisa apenas de um Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, capaz de tirar o Brasil do buraco negro em que a demência do velho continuísmo da mesmice do velho $istema político podre o meteu, após 127 anos de usança e abusança, e que o partidarismo-eleitoral e o golpismo-ditatorial, velhaco$, enquanto representantes do velho que já morreu, rendam-se ao novo que já nasceu, cresceu e agora precisa ocupar o lugar do “de cujus”, que precisa ser enterrado, até porque tá fedendo à beça.

    • PARA PRESIDENTE, RACHEL SHEHERAZADE

      Tudo aconteceu numa sexta feira. Era horário de fim de expediente e as vias do Eixo Monumental estavam congestionadas. Ninguém andava nem para a frente e nem para trás. A multidão tomava, literalmente, todos os espaços do asfalto e, dentro dos carros e ônibus, os motoristas já haviam desistido de buzinar.
      A polícia não tinha como avançar com os seus veículos, nem mesmo com o auxílio ruidoso das sirenes abertas e nem com o lampejar das suas luzes coloridas. A massa humana era tal que somente os das beiradas podiam andar um pouco.
      Estava tudo fora de controle e a ira geral cuidava de alavancar os brados e os gestos do mar humano. Do alto dos edifícios, na Esplanada, os servidores olhavam a massa imaginando-se protegidos pela rigidez do concreto. Mas, a maioria desejava estar lá em baixo, protestando e engrossando o barulho da inconformidade.
      Os canais de televisão, impotentes no asfalto, cuidavam de assestar suas câmeras a bordo de helicópteros, sem coragem para vôos a baixa altura. Tinham receio de ser atingidos por “artefatos” e sofrerem alguma avaria. Um acidente naquelas circunstâncias ceifaria algumas centenas de vidas numa só tacada…
      Os seguranças que cuidavam das entradas dos prédios públicos já estavam cuidando de safar-se dos indefectíveis ternos pretos e se ocultarem por dentro de alguma bermuda ou um jeans qualquer. As ameaças de invasão eram iminentes e cada qual só pensava em salvar a própria pele.
      De repente, o vozerio aumentou de maneira ensurdecedora. Um grupo de revoltados que havia invadido um dos prédios em que se abrigavam os da Justiça viram ser arrastados para o meio da rua, altos dignitários da corte, togados e becados, todos pedindo socorro, a plenos pulmões.
      Como se obedecessem a uma só ordem, ao mesmo tempo, dos outros prédios também saíam os altos figurões das hierarquias executivas e legislativas, também arrastados, levados pelo povo para o meio das ruas. Em seguida, pelo povaréu, eram todos amarrados aos postes da Esplanada, aos sopapos e safanões.
      Aquela sexta-feira ficou sendo conhecida como “A Sexta da Porrada”. Sem dó nem piedade, os populares acabaram com a farsa e com os abusos a que foram submetidos durante todo o tempo em que creditaram seus votos a esses repugnantes representantes, corruptos e corruptores, bem como aqueles que não julgavam o que deveriam julgar…
      Muito poucos foram os que escaparam. O populacho resolveu tomar para si, o direito de exercer os Três Poderes. O Poder da Indignação, o Poder da Vingança e o Poder da Restauração.
      Acalmada a fúria, voltaram-se contra os “Black Blocs” e cuidaram deles do mesmo jeito que dos demais. No meio da multidão, alguém levantou uma grande faixa verde, amarela e azul com os dizeres: “Para presidente, Rachel Sheherazade!
      Na faixa, lá estava a foto da diva do SBT, mais linda do que nunca, com aquele maravilhoso sorriso que desbancava o da Mona Lisa. Leonardo da Vinci, enquanto o pau comia lá em baixo, possesso, do alto do Memorial JK, junto com Juscelino, praguejava contra o governo e os seus falidos Três Poderes:
      “Para as profundas dos infernos, todos eles! Do Inferno de Dante! Raquel Sheherazade no Planalto!”

  1. Esses padres não se emendam. Enquanto o mais honesto e a mulher-sapiens destruiam nossa democracia eles não temiam nada, achavam tudo certo. Foi só seus amigos vermelhos serem defenestrados que eles passaram a se preocupar com”salvadores da pátira”.

    • A Igreja reúne pessoas e pessoas, geralmente, são políticas.
      Por causa disso, a Igreja abriga diversas correntes, até por ser a política uma prática de cidadania.

      O que pode confundir pessoas desavisadas é que a Igreja opta pelos pobres e essa prática não pode ser distante da política.
      Apenas para explicar melhor: nós, católicos, não temos bancada no Congresso.
      Na paz.

  2. CNBB falou tá falado. Vou seguir cegamente. Já foi tempo em que minha razão tendia a me lembrar dos velhos erros da Igreja, tal como a Inquisição. Isso já passou, o mundo se modernizou, quem sabe a Igreja também mudou. Há problemas ainda não solucionados, como os casos de pedofilia de que padres foram acusados (nos USA) e muitos estão ainda sendo processados (a Diocese de San Diego concordou em pagar $198.1 milhões e a de Los Angeles $600 milhões a vítimas de abuso). Mas tenho esperanças de que a Igreja tenha melhorado. Não seria por falta de conselheiro, Nosso Senhor, que está certamente ao seu lado.
    Só peço que os clérigos evitem a política brasileira, cuja prática rotineira é mau exemplo até para o Diabo.

    • Quem sabe dessa grande mudança da Igreja é o Pe. Miguel Poradowski. Ele conta tudinho no seu livro “A Gradual Marxistização da Teologia”! Um barato! Vale a pena ler!

    • Seus comentários estão longe de pertencer a alguém que diz seguir cegamente a igreja. Quanto aos casos de pedófilia, já vi que vc não tem outros dados, se não de uma versão. Mas, sua malícia em expor a igreja que diz seguir, está clara! O que tem haver a CNBB com esse seu comentáriozinho de comadre de porta?

    • Jorge
      Por favor, como falarão da corrupção?
      Alguns papas tentaram “reduzir” a do vaticano e dormiram antes do tempo.
      Para esta turma, corrupção é pior do que demônio!
      No mais, não apoiaram/apoiam o PT, Dilma e Lula?
      Não existe mais cola para grudar esta gente.
      Quem sabe rezamos por eles?
      Abraço e saúde.
      Fallavena

      • Caro Fallavena, suas intervenções são muito boas e as leio todas.
        Mas não se pode responsabilizar a Igreja pelas corrupções no Brasil nem a Ela pertence a missão de apurá-las.

        Sérgio Moro e os procuradores da Polícia Federal cumprem muito bem o seu papel e devemos apoiá-los.
        No caso da Igreja, também rezar por eles (Igreja somos todos nós, seguidores).
        Na paz.

        • Prezado jared
          Jamais culpei ou culparia a igreja, ou quem quer que seja, por nossos erros. nascemos, pensamos, estudamos, vivemos, portanto, existimos e com o livre arbítrio.
          A igreja católica, mesmo que muitos não concordem, é responsável por muitas coisas boas que ocorreram. Algumas más também.
          Que usou a corrupção, não precisamos nem discutir. Que nunca difundiu ou sugeriu, também. Fazia (e continua fazendo) com aquele jeitinho de que é “só para nós”.
          Nossa corrupção vem do descobrimento aos dias atuais, em camadas e enraizada. Ultrapassou a pele, a carne e foi até os ossos!
          E mais? a CNBB é uma parcela da igreja. Sua atuação complicou-se quando descuidou de preparar cristãos e tentou construir líderes políticos e fez algumas escolhas… Valha-nos Deus!
          Obrigado por leres meus comentários. Espero continuar merecendo a amizade e atenção do amigo.
          Abraço e saúde.
          Fallavena

  3. Lembrei-me desta música do Gilberto Gil:

    Se eu quiser falar com Deus
    Tenho que ficar a sós
    Tenho que apagar a luz
    Tenho que calar a voz
    Tenho que encontrar a paz

    Então não preciso destes alienados para me relacionar com Deus.

    A cnbb vendeu a alma ao diabo.

    • Aprovo a nota da CNBB.
      Ao menos se manifestaram criticamente sobre o momento político.
      Se todas as instituições acordassem a tempo não teríamos, põe exemplo, uma OAB tão desestruturada como temos hoje.
      A igreja é uma instituição como qualquer outra. Possui méritos e contradições. Simples.

        • Caro Francisco,
          me baseio em meus estudos. Sei que muitos não concordam. Tem uma obra do Freud (Totem e Tabu) que explica muito bem o papel cultural e político das instituições como fonte contraditória de organização social. Este fez um estudo antropológico e etnológico sobre civilizações antigas e mostra, desde a organização pela horda primitiva dos clãs (exogamia, casamento, familia, pajé…), até a invenção da igreja, do exército,etc, como o homem usa de seus meios e necessidades para sobreviver contrapondo razão e fantasia.
          Assim sendo, a igreja não é diferente de uma universidade ou do Estado em termos ideológicos.
          Ambos demandam racionalidade, dominação, organização social e, ideologia.
          A igreja não é mais ideológica do que outras instituições consideradas o supra sumo da racionalidade civilizada.
          Assim, a igreja é reminiscência de grupos primitivos assim como o Estado é reminiscência da necessidade de manter o poder e a dominação, bem como, atende à necessidade da organização social.
          E assim, toda instituição tem seu lado contraditório. Pode levar à humanização ou á desumanização. Não obstante, penso que qualquer instituição deve ser desmistificada, da igreja à academia brasileira das letras.
          É polêmico, mas interessante.

      • Por que eles nunca se manifestaram durante os quatorze anos que este partido esteve no poder? Por que eles nunca emitiram uma nota de repúdio a corrupção associada durante este governo de corruptos? Por que esta instituição como você escreveu, nunca emitiu uma nota pelo pt apoiar os regimes ditatoriais? Por que esta “instituição” nunca emitiu uma nota pelo pt ter perdoada dívidas de regimes ditatoriais na África? Por que esta “”instituição”. Por que esta “instituição” nunca emitiu uma nota pelos médicos cubanos que são explorados que ganham aproximadamente 1/3 pelo custo do programa mais médicos? Sei que na igreja católica existem padres que são conta esta aberração chamada pt.

        • Exato Jorge,
          da santa inquisição até equívocos apontados por você a igreja reúne um misto de poder, dominação, conhecimento, violência e injustiças.
          Freud era ateu e não sou católica. Apenas reconheço que a religião pode contribuir muito para a melhoria da sociedade assim como pode levar milhares à morte, inclusive pelo fanatismo.
          O que quero dizer é que nada, mas nada pode ser visto apenas como sendo bom ou mal simplesmente.
          Acho esse pensamento pertinente porque vita preconceitos. Muitos jovens são retirados do mundo das drogas pela igreja, por exemplo.
          A CNBB errou mesmo. mas ainda está em tempo de rever seus equívocos.
          Assim espero como alguém que ainda tem esperança na humanidade.

          • O CNBB só vai rever os seus equívocos quando vier a público e reconhecer que o PT foi uma fraude. Até lá, é pura conversa mole de quem está tentando voltar ao poder através do que há de pior no Brasil. Com Freud e sem Freud.

      • Se é uma instituição como as outras, pergunto: paga imposto de renda?
        Se não paga, melhor que direcione a cauda para outro lado e saia de mansinho. Vou fazer de conta que não li este artigo.

    • É uma opção do cantor Gilberto Gil, grande artista da MPB, que eu o respeito muito.
      Que ele siga sua verdade, até porque a forma com que ele defende seu ponto de vista é muito elegante.
      Fiquem com Deus, Gil e Jorge.
      Na paz.

  4. É sempre assim.

    É preciso que se respeite a vontade popular, desde que tal “vontade popular” esteja de acordo com o palco que já esteja montado e que o povo vote em um candidato apoiado pelos “intelectuais”, “antropólogos” e “sociólogos”, TEÓRICOS DE MESA DE BAR, entre uma picanha na chapa e outra, que se consideram SERES ILUMINADOS, donos da razão e únicos conhecedores do que a realmente a manada de brasileiros necessita e do caminho que os governantes precisam trilhar para que se alcance a felicidade nacional.
    -Isso é chamado de DEMOCRACIA!!!

    Agora, se o povo opina diferente desses “intelectuais”, a opinião popular é desqualificada e não merece crédito (conforme disse recentemente um ministro do Supremo, considerado mais “sábio” do que as pessoas comuns, mas, com certeza um dos responsáveis pela corrupção e pela criminalidade existentes nos gabinetes e nas ruas, filhas da impunidade). Foi por isso que esses “intelectuais” só aceitaram fazer o referendo do desarmamento depois que as pesquisas apontavam a vitória do “sendero luminoso” escolhido pela elite intelectual do Governo. Eles não aceitam o contraditório. E só iniciam o mingau depois que a farinha já esteja garantida…

    Se esquecem que foram os “intelectuais” (que nos roubaram e que ainda nos roubam) que conduziram o país nos últimos 50 anos e nos jogaram no atual caos econômico, social e político, mesmo depois de décadas de reuniões ministeriais, congressos, simpósios, comissões, emendas constitucionais, pacotes econômicos e reformas políticas.

    -Não foram os ILETRADOS que fizeram uma dívida pública de 4 TRILHÕES DE REAIS que sorve todos os nossos recursos com os pagamentos de juros não.
    -Também não foi o tal “SALVADOR DA PÁTRIA” que não entende nada de economia também não.

    FORAM ESSES TAIS “ESPECIALISTAS” e “INTELECTUAIS”, todos humanistas, que dizem saber o que é melhor para o povo e para o país!!!

    • -Não foram os ILETRADOS que fizeram uma dívida pública de 4 TRILHÕES DE REAIS que sorve todos os nossos recursos com os pagamentos de juros não.

      Sr. Vieira, quero ver de onde vai tirar todo esse dinheiro para pagar essa dívida trilhadária….

    • “Especialista é aquele sujeito que sabe cada vez mais sobre cada vez menos, até que um dia vai saber tudo … de nada!” (George Bernard Shaw).
      É uma frase polêmica, mas que espelha bem uma realidade “intelectual”.

  5. Toda imoralidade e corrupção que levou o país a essa crise, sem precedentes, foi justamente o partido ( PT ), que a CNBB apoiou.
    Quanto aos nomes.citados pelo CN, eu ficaria como salvador da pátria, o Gal. Heleno, já deu demonstrações que é um nacionalista..

  6. Amigos Tribunários
    Quando mistura-se crenças, ação social e política, o resultado é muito confuso.
    A CNBB, ao longo de sua história, tem tio posições estranhas.
    Alias, a função para a qual deveria dedicar-se, está esquecida. Faz tempo que só falam em política e quando falam no que se deveriam preocupar dá isto. Pelos compromissos assumidos no passador recente, pelas posições tomadas e as parcerias construídas, devem ficar de fora da política e se dedicarem a sua missão.
    Sempre que se meteram em política perderam espaços e credibilidade.
    Fallavena

  7. Parabenizo mais uma vez a Silvia pela consideração com o Francisco Vieira, que merece a atenção que lhe foi dada por esta dama da TI.

    As justificativas a respeito da função da Igreja, do Estado, do Exército, foram primorosas, que ratificam a importância da mulher neste espaço democrático, tanto pela cultura quanto conhecimentos a respeito do desenvolvimento da sociedade e ainda atrelada a resquícios do passado em certas áreas, principalmente quando estabelecidas no domínio da mente ou fé ou crença ou metodologia ou ideologia.

    Movimentos sociais, culturais, políticos e religiosos constituídos por seres humanos, evidentemente que sempre apresentarão deficiências, imperfeições, e ocasionarão, em decorrência, vários questionamentos sobre suas decisões que, se anteriormente eram de uma forma, no presente poderão ser diferentes não se traduzindo em contradições, porém aperfeiçoamentos de suas posições ou correção dos rumos tomados no passado.

    Se a CNBB sempre esteve ao lado do PT, “dos pobres”, constatou que a quadrilha petista era adepta dos ricos criminosos, dos enganadores, dos traidores, dos corruptos e desonestos, situação que deixava a imagem dos bispos muito arranhada aos fiéis e à sociedade.

    Envolvida em escândalos internacionais com referência à pedofilia, igualmente participando de movimentos de esquerda íntimos ao socialismo e comunismo, a Igreja perde gradativamente seguidores para as neopentecostais, que enaltecem a prosperidade, a riqueza, a opulência, exatamente em sentido oposto à cátedra católica romana, que se somam aos que dela também se afastam pela suas posições políticas.

    A CNBB acorda estremecida pelo pesadelo de rapidamente o Catolicismo deixar de ser a preferência dos sul-americanos, e apresentar um balanço negativo desde que oficializada por Constantino, em 313, e tornada a religião do Império Romano em 390, por Teodósio, onde neste período de mais de 1.500 anos somente teve crescimento em suas fileiras de seguidores.

    Das duas uma:
    Ou muda o pensamento ou a queda será iminente, nada diferente dos grandes impérios ao longo da História!

    A Igreja sabe que ainda tem um relativo domínio sobre as mentes de incultos e incautos e de pessoas cuja fé inabalável a seguem professando. No entanto, a organização da Santa Sé tem sido questionada e contestada contundentemente nos últimos 30 anos, significando que o Catolicismo pode perder muito mais fiéis cristãos, que migram para outras crenças sem alterar a essência, a crença em Cristo.

    Mais uma vez a Silvia enaltece a Tribuna da Internet com o seu comentário e conhecimentos, que a classificam como imprescindível neste blog, razão pela qual esta minha postagem é em sua homenagem.

    • Caro Bendl,
      não posso deixar de agradecer pelo respeito com que lida com os comentaristas da TI. Na verdade o senhor é quem enaltece este blog com seu conhecimento e generosidade.
      Muitas vezes expressamos mal ou somos incompreendidos. Não faz mal, todos têm o direito de emitir opinião desde que sem agressões.
      No fundo, a TI aparenta apenas um detalhe no contexto de cada um, mas, assim como outras frentes de nossa vida, expressa muito do que somos. Não somos diferentes fora daqui, nem mesmo os anônimos o são.
      Aqui está a beleza disso tudo. Nem tudo está perdido e sei que o senhor entende o que digo.
      Mais uma vez obrigada pela generosidade.
      Tenha um excelente fim de semana.
      Grande abraço.

  8. denuncia do blog garotinho (inegavelmente bem informado e sabedor e principal denunciante das podridoes do estado na gestao cabral/ pezao)

    Querem entregar o maracana a rede globo de mao beijada
    Esta tudo armado

    ”  disse hoje no meu bate-papo pelo Facebook, a obra do Maracanã teve um gigantesco superfaturamento, que gerou propina a Sérgio Cabral e outros políticos. A Odebrecht, que assumiu a liderança do consórcio, quando estourou o escândalo da Delta, ficou responsável também pela gestão do estádio. Deu no que já se esperava. O estádio foi abandonado, sete mil cadeiras roubadas, a grama do campo deteriorada e milhões de reais jogados na lata do lixo. 

    A Odebrecht, obrigada pela Justiça do Rio a cumprir o contrato e assumir a gestão do estádio procurou uma parceria internacional e encontrou na Lagardére, uma empresa francesa, que administra 60 arenas no mundo, que faturou no ano passado 10 bilhões de euros, um parceiro interessado em assumir o Maracanã e cumprir todo o edital. Pois bem, ao Estado só cabe dar o “de acordo” no negócio privado entre a Odebrecht e a Lagardére. Depois de tudo acertado com os franceses, que receberam de Pezão a palavra empenhada, ele agora quer voltar atrás. 

    Por que será? 

    Por que o Estado, que não tem dinheiro para manter as suas escolas, hospitais, nem mesmo pagar os salários de seus funcionários, não quer dar o aval para o acordo entre duas empresas? O que quer Pezão? Deixar o Maracanã apodrecer no tempo?  ”

    ” empresa francesa enviou por escrito ao governador cópia do seu acordo com a Odebrecht. Entre outras coisas, a Lagardére assumirá o valor da outorga ao Estado, no valor de R$ 600 mil / mês, investirá R$ 300 milhões em obras durante o tempo da concessão, e transformará o Maracanã na maior arena de eventos esportivos e culturais do país. Ainda utilizará os espaços internos do estádio para a implantação de uma universidade. 

    Um mistério: por que Pezão não quer que o acordo seja fechado? A Odebrecht não quer, o Estado não tem dinheiro, R$ 600 mil por mês de outorga é melhor do que nada, R$ 300 milhões em obras, dinheiro novo, vindo do exterior, sem custo para o governo, e Pezão não quer. Muito estranho… 

    Acho que nesta altura o governador ou dá o “de acordo”, ou municipaliza o estádio, porque os franceses também têm interesse no Parque Olímpico, que daqui a pouco também estará destruído sem não tiver uma manutenção adequada. Pezão diz que o Flamengo tem interesse. Todo mundo sabe que sou um flamenguista apaixonado, mas o estádio não pode pertencer a um clube, tem que ser de todos os clubes que quiserem jogar ali. É o templo do futebol brasileiro, e além do mais, o Flamengo não tem dinheiro para fazer as obras complementares do Maracanã. 

    A triste realidade é que Pezão, além de fraco e comandar um governo corrupto, tem uma equipe incompetente, despreparada, e que está espantando investidores, além de enterrar cada vez mais o estado. Vocês vão descobrir depois, se não houver uma pressão imediata da sociedade para que a Lagardére assuma o Maracanã, quem de fato está por trás dessa jogada que tem Pezão à frente. Como já sei o final da história anotem aí: Flávio Godinho, preso recentemente na Lava Jato, com US$ 52 milhões em contas no exterior, Eike Batista, Sérgio Cabral, e uma empresa de eventos esportivos ligada à Globo que quer melar o acordo com os franceses para ficar com o negócio.  ”

    Link:

    http://blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=23837

  9. Outro salvador? Não, por favor!
    O que foi crucificado veio para ficar ao nosso lado,
    Mas deu no que deu: em Niceia, falo do concílio,
    Inventaram que eram três os senhores
    E que do mesmo barro etéreo eram feitos
    Plenos de ternura e sem defeitos.
    O Pai e o filho eram unha e dente
    Um era o outro, embora fossem diferentes.
    O último era a pombinha repleta de encantos
    Mas que não chegava a ser nem deus santo

    Diante de tanta salada,
    Acham que vou cair noutra cilada?
    Vou ser é ateu, cuidar dos meus
    O Brasil que se afunde com a CNBB.

  10. Calma. o novo Salvador da Pátria ou o novo Super-Herói Brasileiro que vestirá a roupinha do Capitão América é nada mais nada menos que o Prefeito Johnny Bravo.
    Depois de escapar com vida esta semana do ataque da Velhinha-Terrorista-Comunista-Ciclista-Petralha de um “ataque suicida” com Flores-Bombas, é um forte candidato ao posto máximo da Nação
    Para limpar de vez com essa onda vermelha que infesta toda América Latrina……..

    E Viva La France.!!!!
    Dona janaina, Where Are You…???

    • A atitude dele foi deselegante, sem dúvida.
      Não levou em conta que hoje, em qualquer lugar, tem sempre alguém com um celular apontado pra você.
      Mas eu quero ver o político.
      Se ele arrumar São Paulo, demonstrar tino administrativo, sem dúvida será meu candidato.

  11. É muita imbecilidade, a começar pela CNBB que fica se metendo cada vez mais em politica e cada vez mais vê os fiéis outrora católicos indo para outras religiões, ou mesmo ficando ateus.
    Sequer enxerga que com a manutenção do atual sistema de presidencialismo de coalizão, que eu chamaria de presidencialismo de corrupção, é mais do que natural que surja a figura de um salvador da pátria. Ou surge um salvador da pátria ou um presidente(ou uma PRESIDANTA) fraca e sujeito a um novo impeachment. Mais do que nunca seria necessária estar se discutindo a implantação do Parlamentarismo. MAS QUEM É QUE SE INTERESSA? Instituições como a CNBB e INTELECTUALÓIDES(mistura de intelectuais e debilóides) só ficam bradando asneiras. E do jeito que vai indo as coisas o povo deve ficar entre o LULLARÁPIO ou o BOLSONARO. No caso de ganhar o BOLSONARO eu quero ver quem é que terá culhões para ” impichá-lo” e se o LULLARÁPIO vier a ser reeleito é o fim do Brasil como um país que vive dentro das regras do Estado de Direito. As pessoas e as instituições que sustentam o país simplesmente não aceitarão o absurdo de se eleger um réu em inumeros processos. Ebtão CNBB crie vergonha na cara e pare de ficar apoiando essa organização criminosa.

  12. A verdadeira democracia o voto deveria ser falcultativo, mas aqui no Brasil é a partir dos 70 anos e porque não a partir dos 60 anos, é preciso mudar esta lei, se esta democracia é capenga, deveria rever o voto facultativo.

  13. Mordaz,

    Macedo, Valdemiro, RR Soares, Agenor, Malafaia, incutiram na mente de seus seguidores não a fé, mas a troca de dízimos – e quanto maiores, melhor – por fartura patrimonial, por dinheiro no banco, por uma vida de riquezas!

    É a prosperidade, essência das neopentecostais contra a opção pelos pobres do Catolicismo, que não divulga e tampouco ensina como sair da situação de pobreza, alegando que “Deus quis assim”!

    Ora, diante de um fato determinado por Deus – ser pobre -, e perante a esperança que, se eu contribuir com os pedidos dos pastores, bispos, missionários, apóstolos, que ao doar o dinheiro que possuo serei atendido quanto a encontrar a riqueza – e testemunhos de pessoas confirmam este câmbio entre ofertas e “bênçãos” -, evidentemente os citados acima modificarão a mente de fiéis católicos romanos, onde o pobre é que será o abençoado e o rico o amaldiçoado!

    Neste aspecto, a Teologia da Libertação é a comprovação cabal do que afirmei.

    Se manipulação ou não, se jogo político ou não, entre a esperança de eu sair da miséria ou permanecer na carência, rapidamente mudo o modo de professar o Cristianismo, e passo a acreditar que ser rico é uma possibilidade e vai ao encontro dos desejos de Deus, inclusive.

    Um abraço.
    Saúde e paz.

  14. O conteúdo da nota da CNBB nos leva a uma reflexão, despida de qualquer consideração sobre o papel dessa instituição, ou da igreja Católica, ou de seus equívocos (a depender do crítico).
    Sim, eu prefiro um aventureiro!
    Desde que não seja qualquer um desses ladrões profissionais, apelidados de políticos, de tão nefasta atuação no nosso país, independente de ideologia ou de partido.
    Desde que não seja um novo Collor, tão gentilmente recebido e acomodado no seio lulista, assim como Jucá, Renan e, especialmente Paulo Maluf.
    A nota coloca uma dicotomia entre os aventureiros e os políticos tradicionais, como se esses, no início de sua militância política, não tivessem se aventurado no embate com seus opositores e, em determinadas circunstâncias, com seus mentores.
    Implicitamente, também, atribui um imperativo moral à ascensão pelos meios colocados pelo status quo político institucionalizado.
    Como todo revolucionário de carteirinha, imprime a todo aquele cidadão de bem que combate esse estado de coisa, e se posiciona como alternativa a pecha de aventureiro.
    É preciso estar atento a esses sofismas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *