Número de relatórios do Coaf cresce 27%, bate recorde e assusta corruptos e sonegadores

Charge do Décio Ramirez (Arquivo Google)

Marco Grillo
O Globo

O número de Relatórios de Inteligência Financeira (RIFs) produzidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) subiu 27% em 2020 e chegou ao recorde da série histórica, iniciada em 2007, mesmo ainda restando quatro meses para o fim do ano.

O volume foi atingido depois de um 2019 conturbado, em que uma liminar do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, impediu por pouco mais de quatro meses o compartilhamento dos documentos com órgãos de investigação, como o Ministério Público, sem autorização prévia da Justiça.

“RACHADINHA” – Relatórios do Coaf estão no centro de investigações, por exemplo, como a do esquema da “rachadinha” que seria comandado por Fabrício Queiroz no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Entre janeiro e agosto deste ano, 7.975 RIFs foram feitos pelo Coaf. O número também é 8,5% maior que o de 2018, ano com o maior volume até então.

Dois fatores principais explicam o crescimento atual. Como a liminar vigorou até dezembro, quando foi derrubada pelo plenário da Corte, os primeiros meses de 2020 foram marcados pela produção de documentos que haviam ficado “represados” no período em que o impedimento prevaleceu – a decisão impedia a disseminação sem anuência judicial, mas as informações enviadas por bancos sobre transações suspeitas, por exemplo, continuaram chegando ao Conselho.

Outra razão do aumento é que cartórios, desde fevereiro, têm que comunicar algumas operações ao Coaf, como os casos de escrituras em que houve pagamentos em espécie superiores a R$ 30 mil e qualquer registro de transmissão sucessiva de bens, em prazos inferiores a seis meses, em que a diferença entre os valores declarados seja superior a 50%. Os acréscimos à lista de transações cujos setores regulados são obrigados a avisar o Coaf foram feitos com base em uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicada no ano passado.

“CURVA DE TOFFOLI” – A queda no número de relatórios produzidos em 2019 – investigadores passaram a chamar o movimento, ironicamente, de “curva de Toffoli” – interrompeu uma trajetória contínua de alta que vinha ocorrendo desde 2011, a uma média anual de 26%. Os documentos também foram usados em outras investigações de impacto, como o mensalão e em diversos desdobramentos da Lava-Jato.

Os RIFs são elaborados quando há indícios de lavagem de dinheiro em operações financeiras. Os parâmetros que definem se uma transação deve ser comunicada são estabelecidos pela legislação e por normas do Banco Central. Nem toda comunicação ao Coaf gera um documento – bases de dados são consultadas para saber se há inconsistências ou se os envolvidos têm lastro financeiro para a transação analisada. Os relatórios, quando prontos, são disseminados para os órgãos com a atribuição de investigar o eventual crime praticado.

MOVIMENTAÇÕES DE WASSEF – Em 2020, por exemplo, a Polícia Federal já recebeu 1.715 RIFs, enquanto 438 documentos foram direcionados para o Ministério Público Federal (MPF) e 1.022 para as unidades estaduais do Ministério Público. Cópias do mesmo documento podem ser enviadas para mais de um órgão, como foi o caso do relatório feito a partir das movimentações do advogado Frederick Wassef, revelado pelo O Globo na semana passada.

Foi também um RIF que chamou a atenção para as operações financeiras de Queiroz e Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), ambos investigados pelo Ministério Público do Rio no caso da “rachadinha”. Em julho do ano passado, a liminar de Toffoli havia interrompido a apuração sobre Flávio e todas aquelas em que relatórios tinham sido compartilhados sem autorização prévia da Justiça. Em dezembro, no entanto, a decisão foi revertida pelo plenário do STF, e as investigações foram retomadas, com o voto do próprio presidente da Corte.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Para proteger Gilmar Mendes, Dias Toffoli e respectivas esposas, além dos milhares de envolvidos na corrupção, o pacto entre os três Poderes conseguiu paralisar o Coaf durante alguns meses, por determinação de Alexandre de Moraes, relator do inquérito sobre ameaças ao Supremo. Mas o ministro paulista teve uma iluminação, notou que estava sendo usado e conseguiu apoio no STF para ressuscitar o Coaf, cujo nome o governo já tinha até trocado. O resultado aí: o Coaf voltou à cena batendo recorde de relatórios. Ainda bem que no Brasil  nem todo mundo é corrupto.  (C.N.)

10 thoughts on “Número de relatórios do Coaf cresce 27%, bate recorde e assusta corruptos e sonegadores

  1. STOP fake news, sofismas, mentiras e enganações, basta, chega dos me$mo$, fora todo$, o Brasil agora é dose pra Revolução Pacífica do Leão, redentora da política, do país e da população. A RPL-PNBC-DD-ME ADVERTE: não faremos pacto nenhum com bandidos do sistema podre, corrupto, e dele$ a única coisa que queremos o mais tardar até 2022 é a rendição, pacífica, em prol do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. E é por ai que o Bicho vai pegar nas urnas ou nas ruas, a depender da decisão do PSOL , que, a esta altura do campeonato, já está atrasado para um possível novo campeão de votos em 2022, que tem que dizer o mais breve possível o que ele quer ser em 2022, face às duas únicas opções que tem à sua frente, a saber: ser hospedeiro do Novo de Verdade, ou continuar sendo apenas puxadinho do PT e linha auxiliar do lulopetismo, a exemplo de 2014 e 2018. E de nada adianta FHC e o LULA se comportarem como BOLSONARO, à moda fake news, sofista e enganosa com cada um forçando a barra para fazerem seus respectivos gados enxergarem fantasmas em plena luz do sol do meio dia. A RPL-PNBC-DD-ME é clara, palpável, não tem nada a esconder de ninguém, não tem o rabo preso com a corrupção, e veio ao encontro da população que não acredita mais no sistema político podre. População essa composta por cerca de 1/3 do eleitorado brasileiro, no mínimo, que, cansado do mais dos me$mo$ , do ruim e do pior, do sujo e do não lavado, tem votado em branco, nulo, ou abstenção. FHC, por sua vez, não obstante 90 anos de idade e mais de 70 de militância política, é outro que já deu flor, fala, fala, fala, há trocentos anos, mas não consegue dizer nada no sentido do novo de verdade, do descortino de novos horizontes, e fica ai só nessa de puxar as brasas para as suas sardinhas não obstante podres pugnando pelo continuísmo da mesmice do sistema podre, corrupto, forjado e protagonizado pelo militarismo e o partidarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, na contramão dos sonhos e da pretensão da maioria da população deste país que, desde Junho de 2013, pede nas ruas do Brasil a Democracia Direta, com Meritocracia, tal seja o projeto novo e alternativo de política e de nação, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que, infelizmente, continua cercado pelo sistema político podre, corrupto, desde Junho de 2013, não obstante o país se desmilinguindo dia a dia, sendo transformado pelos me$mo$ numa Brazuela, exatamente por falta do projeto novo e alternativo de política e de nação que pugna pela transformação do Brasil numa Nova Europa brasileira. https://www.brasil247.com/brasil/fhc-que-apoiou-o-golpe-de-2016-avalia-que-psdb-nao-faz-oposicao-porque-tucanos-namoram-bolsonaro

  2. Notadamente está existindo uma censura aqui na TI so sobre matérias que contrariam as opiniões comunistas desse jornaleco eletrônico posts que fazemos contra a verão comunista da redação.
    Vão continuar comendo o pão que o diabo amassou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *