Com a absurda agressão à jornalista, Bolsonaro consegue se isolar no plano político

Resultado de imagem para bolsonaro e patricia

Bolsonaro insultou propositadamente uma jornalista de renome

Pedro do Coutto

Com a mais que absurda agressão à jornalista Patricia Campos Melo, o presidente Jair Bolsonaro – conscientemente ou não – deu sequência a seu isolamento no plano político do país. Digo que ele deu sequência porque, ao substituir Onyx Lorenzoni pelo general Braga Neto, conferindo-lhe exatamente a Articulação Política do Planalto, o presidente da República revelou que deseja bloquear os contatos entre o Planalto e as legendas partidárias que o estão apoiando no Congresso Nacional.

Antecedendo a brutalidade do tratamento inqualificável que destinou à jornalista da Folha de São Paulo, as repórteres Angela Boldrini e Daniele Brant publicaram matéria na edição de 17 de fevereiro na própria Folha, chamando atenção para o sentido mais sentido da substituição exatamente dentro de tal lógica.

MAIA EM ALTA – A reportagem, consequentemente, prevê um fortalecimento de Rodrigo Maia nas relações entre Executivo e Legislativo. Mas essa hipótese foi ultrapassada velozmente.

O presidente Jair Bolsonaro vem se destacando negativamente pelas posições que assume fora do estilo que tem de marcar o relacionamento de um presidente da República com a opinião pública. Isso porque a ofensa lançada contra Patrícia Campos Mello deixou a grande maioria da população absolutamente indignada, surpreendida por mais uma quebra do decoro indispensável ao tratamento, não só entre os participantes do processo político, mas também entre as pessoas de modo geral. Incrível a atitude de Bolsonaro.

REAÇÃO IMEDIATA – Enorme foi a reação contrária que foi provocada pelo golpe desfechado contra uma profissional de imprensa de grande atuação e prestígio no jornalismo.

Uma das consequências, contra ele próprio, certamente refletiu-se na redução de seu campo de influência no processo político democrático. Mas fico pensando se ele de forma direta ou indireta não esteja procurando um meio de desestabilizar o relacionamento entre os poderes e o relacionamento com a opinião pública para deslocar os rumos do jogo democrático para as sombras que caracterizam as vésperas das rupturas institucionais. E não estou sozinho nessa observação.

NUVENS AMEAÇADORAS – No meu artigo de segunda-feira, citei uma coluna importante de Miriam Leitão publicada em O Globo. Nuvens que podem ser de tempestade estão nos céus de Brasília. Vamos ter atenção nas próximas etapas que antecedem a reforma administrativa e principalmente a reforma tributária. Mas esta é outra questão.

O que os acontecimentos envolvendo o presidente Bolsonaro e a jornalista Patricia Campos Mello revelaram foi uma impossibilidade total de o chefe do Executivo manter-se dentro das linhas rígidas do respeito e da liturgia que o cargo impõe. Esta liturgia abomina insinuações de baixíssimo nível que caracterizaram as falas do presidente ao longo de terça-feira. Política também é sinônimo de polidez. Seus limites foram incrivelmente rompidos pelas palavras do presidente da República.

12 thoughts on “Com a absurda agressão à jornalista, Bolsonaro consegue se isolar no plano político

  1. “Isso porque a ofensa lançada contra Patrícia Campos Mello deixou a grande maioria da população absolutamente indignada”

    A imprensa comunista vive numa bolha, falando apenas entre si. As mídias sociais mostram o contrário, o presidente esta certo, apenas repetiu o que a testemunha falou sobre o que a jornalista fez para conseguir a reportagem fake.

  2. Sinto dizer que a maioria da população nem deu bola para esse fuxico.
    Mas é fato que a maioria da mídia-ativista está quase calada sobre a absurda, patética, ridícula, violenta, homicida atitude do coroné cid gomes jogando uma retroescavadeira contra uma multidão composta também por crianças e mulheres.
    Isso é tentativa de homicídio coletivo, abuso de poder, falsidade ideológica, pois ele não é NADA no governo do Ceará e nem tem CNH para dirigir esta “arma”. E a imprensa que ficou “chocada” com palavras, ignora ATOS de um coronelismo absurdo. Imaginem o Eduardo Bolsonaro fazendo isso. Teríamos ONU, UNESCO, NYTimes e toda a mídia mundial, Macron, Bachelet, Greta, todo mundo dando pitaco. Mas como foi com o aliado ditador-coronel da esquerda…som de grilos.
    Vocês estão criando uma guerra civil no país. Atacam dia e noite um presidente eleito democraticamente e querem que a economia fique estagnada para dizerem: “viu? Piorou!” Ele é bronco, tosco? Lula também era. Não sabia nem falar direito. Porém deixaram ele governar. Deu merda, pois criou a maior rede de corrupção governamental do mundo. Paciência. Quando deu a população trocou. Entretanto vocês não deixam a DEMOCRACIA existir. Querem que o povo fique sempre achando que o poder é de quem tiver mais dinheiro e apoio da mídia. E tome fofoca, fakenews.
    O que vocês não calculavam é que essa perseguição sem fim dos poderosos transformou um cara pouco expressivo como o Bolsonaro no Coringa brasileiro. Como no filme a população, cansada da exploração dos poderosos, vê nele o símbolo da luta contra isso. O tiro saiu pela culatra.
    Outra notícia que passou calada hoje: Foram feitos mais de 500.000 disparos de whatsApp para o Haddad e 900 para o Bolsonaro. A folha e a Patricia deturparam, mentiram e omitiram isso na fofoca das fkenews.

    • O Bolsonaro fala muita xxx mesmo.
      Deveria aprender a controlar a própria lingua. Agora, dizer que 50%+1 dos brasileiros ficaram indignados…

  3. O mandatário maior deveria ter compostura. Deveria agir como um estadista. Mas não, se comporta muito mal. E pior, há gente que defende esse comportamento.

    O presidente até pode dizer ou fingir que não entende de economia para tentar se eximir da responsabilidade (como pode isso, se passou quase trinta anos votando matérias no congresso), porém, manter a postura seria o mínimo exigível de quem ocupa tal cargo.

    E aí vem as comparações, tais como: antigamente fulano de tal era pior, se comportava assim ou assado.
    E vamos nesses joguinhos tolos.

    Às vezes, acho até que é de propósito. Declarações desse tipo desviam o foco do principal que é a economia. As medidas tomadas só são restritivas. Um plano de desenvolvimento? Inexiste. Incentivo para reativação de nossas indústrias para gerar empregos mais qualificados e melhor remunerados? Esqueçam.

    O bom mesmo são essas discussões de costumes, são essas brigas inócuas, é a desnacionalização de nossa economia.
    Será que a nossa sina é essa? Sempre piorando?

    http://controversia.com.br/modelo-economico-condena-america-latina-ao-subdesenvolvimento-e-a-desigualdade/?fbclid=IwAR2SafBfl1wyUgv0olGAB4KK-va3Sx_P00dbB-ZNbIIt4H6zJo1AyhbFufM

  4. Concordo com os comentários de Aranha e Vidal, apesar de as suas razões se localizarem em caminhos diferentes.

    Aranha está completamente certo quanto à tentativa de assassinato do maluco senador Cid Gomes, que investiu dirigindo um trator contra homens, mulheres e crianças, de forma tresloucada, insana, como se estivesse possuído!
    A mídia, como sempre, muito mais comentou que o criminoso fora baleado, do que abordar o ato absurdo, deplorável e imperdoável que cometeu!

    Vidal está certo sobre a conduta de Bolsonaro, que deixa a desejar no que tange à educação, respeito, e desobediência absoluta à liturgia do cargo de Presidente da República.

    Independente de a imprensa cair de pau em Bolsonaro por qualquer bobagem, o ex-capitão deveria se conter, amarrar a língua, deixar de lado as suas respostas idiotas, imaginando que está sendo hilário ou inteligente quando, na verdade, demonstra total despreparo para a função pela qual foi eleito!

    E, Bolsonaro, parece que tem paixão por estar sempre na crista da onda midiática, esquecendo que está sendo contumaz negativamente com essas atitudes impensadas e irresponsáveis!

    Agora, se algumas quadrilhas entraram com pedido de cassação de Flávio Bolsonaro porque supostamente cúmplice de milicianos, quero ver como será a tal “comichão” de ética sobre o comportamento criminoso de Cid Gomes!

    Aliás, já tenho comigo a desculpa do antro de venais, que não moverá uma palha neste sentido:
    o senador estava de licença!

    Bom, se os parlamentares são conhecidos como corruptos, ladrões …. agora podemos acrescentar que também são assassinos em potencial!!!!

  5. Estão desconstruindo as Instituições. Estão comendo pelas beiradas. Acho que é prenuncio do golpe.Deve haver reação forte e imediata, senão, quando acontecer, talvez seja tarde demais.

  6. Imaginem se o Bolsonaro dissesse o que Lula falou sobre a cidade de Pelotas.
    O conteúdo da fala da Global, senhora Miriam Leitão e os Artigos do senhor jornalista Pedro do Coutto publicados neste espaço, são praticamente todos com viés socialista.
    Como defensores do marxismo já devem até estar anotado no dia a dia das suas agendas, algum tipo de acusação ao presidente ou ao seu governo.
    O Grande Negócio da Esquerda é bater no governo Bolsonaro, torcer contra seu governo e que é o mesmo que torcer contra o Brasil.
    Às vezes o atacando diretamente e às vezes indiretamente.
    Dessa vez é sobre o episódio com jornalista da Folha, jornal que um dia já foi mais imparcial.
    Lembro que nos anos 90, em pesquisa (acho que com empresários ou leitores), a Folha de S. Paulo foi considerado o jornal mais imparcial do Brasil, com algo em tono de 79% das opiniões. Lembro também que o Otávio Frias (falecido), falou ao Boris Casoy sobre a independência da Folha e até citou, se não me falha a memória, que a Odebrecht anunciava no seu jornal, mas naqueles dias o Jornal tinha feito matérias mostrando deslizes da grande empreiteira.

    Posso até estar errado, mas acho que a maioria dos colunistas da Folha nos dias atuais são comunistas, alguns deles tirando onda de isentões, mas sempre a favor de Lula lá.

    Em 2018, antes de ser preso o Lula em uma caravana pelo Rio Grande do Sul, chamou grandes produtores rurais de ingratos e caloteiros.
    Mas, não é a Venezuela que está dando calote no Brasil?
    O Lula acha que o Maduro é caloteiro?

    Assim como ACM, Bolsonaro é um homem de pavio curto, se irrita facilmente.
    Imagine, toda Esquerda de todo o Mundo atacando, difamando, mentindo, insinuando que o presidente tem ligações com milícias, ligando Bolsonaro à morte de uma vereadora completamente desconhecida do Brasil e colocando a população do Brasil contra o Presidente Bolsonaro, como aguentar calado todos esses insultos? Tem mesmo é que perder as estribeiras.
    E são ofensas pessoais, contra sua família e contra o seu Governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *