Com a libertação de Dirceu, a bola da vez agora é o habeas corpus de Vaccari

Resultado de imagem para joao vaccari preso

Vaccari tem esperanças de também ser libertado

Thiago Herdy
O Globo

O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, deverá ser um dos primeiros a serem soltos em breve do Complexo Médico-Penal, em Curitiba, caso a segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) estenda a outros réus da Lava-Jato o entendimento que levou à soltura do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. Pelo menos essa é a expectativa do advogado Luiz Flávio D’Urso, que defende o ex-tesoureiro na Lava-Jato:

“A decisão do STF é um alento e mostra que as coisas estão voltando aos eixos. A proliferação de prisões temporárias e das conduções coercitivas sem intimação são coisas que estavam fora de lugar” — disse D’Urso.

HABEAS CORPUS – Há cerca de dois meses o defensor aguarda a inclusão na pauta da segunda turma de julgamento do pedido de habeas corpus de Vaccari. A argumentação do advogado é de que a decretação de prisão preventiva do seu cliente “já não se justificava há mais de dois anos, quanto mais a sua manutenção até agora”.

“Não houve razão fática, fundamento, caso concreto, que justificasse a prisão preventiva. Temos a mesma expectativa desde o primeiro habeas corpus impetrado: se houver olhar técnico e jurídico sobre o caso, ele será colocado em liberdade” — disse D’Urso.

Vaccari foi condenado em quatro ações penais a penas que somam 41 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. As decisões aguardam julgamento de recursos no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

FALCÃO APLAUDE – Nesta terça-feira, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, mencionou o ex-tesoureiro do PT ao comentar, em nota, a decisão do STF de libertar Dirceu.

“Saudamos a decisão do STF de libertar José Dirceu e esperamos que a mesma decisão se estenda ao companheiro João Vaccari” — escreveu o dirigente petista, que não citou Antonio Palocci na nota.

“Desde quando foi preso, em abril de 2015, João Vaccari optou pelo silêncio em depoimentos à Polícia Federal e também à Justiça.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A libertação temporária de Dirceu foi um alento para os petistas, que temiam uma delação de Vaccari. Mas não vai adiantar nada, porque Tribunal Regional Federal vai repor as coisas em seus devidos lugares. Há informaçõess de que o ex-ministro Antonio Palocci, preso desde setembro do ano passado, vai desistir de fazer delação, depois de já ter mandado separar os documentos. Vai quebrar a cara. É só questão de tempo, e o tempo é o senhor da razão, já dizia Fernando Collor, antes de sofrer impeachment e cair na real. (C.N.)

6 thoughts on “Com a libertação de Dirceu, a bola da vez agora é o habeas corpus de Vaccari

  1. Lulla e Palloci ameaçaram entregar banqueiros e juizes ilibados. Daí a chapa esquentou. Daí o STF resolveu começar a trabalhar para soltar “us mano”…

  2. Concordo plenamente com seu comentário CN. Acho até que a tal delação de Palocci deveria ser recusada pelo MPF. (Afinal, com o que está aí o Mais Honesto já está encrencado o suficiente). Palocci merece levar uma condenação exemplar e cumpri-la integralmente.

  3. Estou certo de que uma intervenção militar por breve tempo (o suficiente para extirparmos os canalhas de todas as cores e credos) será relevada pelos paises estrangeiros – eles conhecem as injustiça que nossas autoridades nos impingem e a miséria em que vivemos. Por mim, os verdes-olivas seriam bem-vindos.
    A razão que embasa meu desejo é simples:
    Não é certo termos uma força disciplinada, e que tudo pode, enclausurada nos quartéis seguros, enquanto os civis sofrem a violência das ruas e o abuso das autoridades que deveriam servi-los.
    Chega de afrontas como as do seu Gilmar Mendes, do Lewandowsky e do seu Toffoli, do escárnio do Lula e seus asseclas. Atingimos o tipping point – é esta a hora. Que eles tomem o poder e nos restituam o Brasil que amamos e desejamos para os nossos filhos. Abaixo a podridão. Fora com os filhos das putas (pardon my french)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *