Com a variante delta, o Brasil deve ultrapassar os EUA em número de mortos pela Covid

Ilustração do sequenciamento do vírus

Variante delta causa disseminação mais rápida do virus

Dráuzio Varella
Folha

Assisti incrédulo ao final da Eurocopa, em Londres. Aquele bando de homens suados, pulando, gritando e se abraçando não podia acabar bem. Com base na redução do número de casos, de hospitalizações e de mortes no Reino Unido, o governo planejara para 21 de junho o “freedom day”, quando todas as medidas restritivas seriam suspensas. Como faltou combinar com o coronavírus, a chegada da variante delta fez crescer o número de doentes e adiou para 21 de julho a data tão aguardada.

REAÇÕES VEEMENTES – Não houve consenso entre os países membros. A Inglaterra aboliu o uso de máscaras e liberou as aglomerações; Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, não.

Entre os especialistas, as reações contrárias foram veementes. Peter English, ex-presidente da British Medical Association, afirmou: “Não há absolutamente nenhuma justificativa para relaxar as restrições agora”. Mais de cem cientistas britânicos e de outros países encaminharam uma carta para a revista médica The Lancet, na qual acusaram o governo de “embarcar num experimento perigoso e antiético”.

Mike Ryan, diretor do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, advertiu que “a pressa para reabrir as economias, que aceita as novas infecções como inevitáveis e as encoraja a ocorrer mais cedo, é reflexo de vazio moral e estupidez epidemiológica”.

DEU NO QUE DEU. O aumento do número de casos no Reino Unido acontece apesar de cerca de 68% dos britânicos já terem recebido a primeira dose, e 52%, a segunda, números bem mais favoráveis do que os nossos.

Fenômeno semelhante aconteceu na Holanda, que levantou a obrigatoriedade do uso de máscara e promoveu reabertura total do comércio em 26 de junho. Duas semanas mais tarde, o recrudescimento da epidemia obrigou as autoridades a voltar atrás.

Em plenas Olimpíadas, Tóquio assiste ao aumento do número de casos. Nos Estados Unidos a variante delta tem provocado disseminação rápida do vírus. Responsável por 83% dos casos atuais, ela é pelo menos duas vezes mais transmissível do que a cepa anterior. E, pior, dá origem a cargas virais nas vias aéreas mil vezes mais altas.

COLCHA DE RETALHOS – Aproximadamente 50% dos americanos já receberam a segunda dose, nível que não é atingido em cerca de dois terços dos municípios. As desigualdades dos índices de vacinação nas diversas regiões transformaram o mapa do país numa colcha de retalhos.

Os cinco estados com menores índices de imunização —Alabama (34%), Arkansas (35%), Louisiana (36%), Mississippi (34%) e Wyoming (36%)— estão vivendo nova onda da Covid.

Nesses estados, 80% dos que têm 65 anos ou mais já receberam pelo menos a primeira dose, mas na faixa etária dos 18 aos 65 anos os índices são bem menores. Entre os adolescentes, taxas de vacinação que variam de 15% a 25% deixam esse grupo vulnerável à transmissão da variante mais contagiosa.

ERRO DAS AUTORIDADES – Os dados mostram que os Centers for Disease Control, ou CDC, erraram ao suspender a obrigatoriedade das máscaras e cancelar a proibição de aglomerações em bares e restaurantes no país inteiro.

De nada adiantou a oposição dos infectologistas e epidemiologistas das universidades mais importantes do país.

Como consequência, dois dias atrás, os CDC reconheceram o equívoco e recomendaram que, nas cidades em que o número de casos aumenta, todos devem usar máscara e evitar aglomerações em ambientes fechados.

E NO BRASIL? – O que acontecerá no Brasil quando a variante delta se espalhar pelo país inteiro?

Até agora só conseguimos administrar a primeira dose para 45% da população. Apenas 18% receberam a segunda dose, necessária para completar a imunização. Adolescentes e crianças ainda não vacinadas formam um reservatório suscetível de pelo menos 50 milhões de indivíduos.

Quando olhamos para os índices de imunização nos Estados Unidos e no Reino Unido, não é difícil concluir que a chegada de uma nova onda entre nós não será surpresa.

Se pensarmos que o Brasil é governado por um presidente sempre empenhado em dar exemplos de como se faz para disseminar a epidemia, um Ministério da Saúde em que técnicos competentes foram substituídos por militares despreparados e subservientes, vacinas em quantidades insuficientes e um Programa Nacional de Imunizações que foi desmontado, concluiremos que estamos a caminho de ultrapassar os americanos para nos tornarmos o país com mais mortes no mundo.

16 thoughts on “Com a variante delta, o Brasil deve ultrapassar os EUA em número de mortos pela Covid

  1. Verdade.
    Vamos ultrapassar os americanos em número de mortos por esta pandemia.

    Faltam 75 mil vítimas fatais para mais esta tragédia, que seria o Brasil ter sido o país onde mais morreu gente através do Covid19.

    Nesse meio tempo – Bolsonaro sabemos que está de braços cruzados, como sempre se portou nesta pandemia -, o congresso só discute o Fundão e financiamento de campanha, exigindo 6 bilhões de reais para se divertir!

    Segue o desemprego, a miséria, a pobreza, a violência, a saúde depauperada, educação negligenciada, e a fome aumentou para o povo!

    Diante desta realidade incontestável, custo a crer nas leituras de certos comentários postados na TI que ofendem, agridem, depreciam, quem critica o atual presidente.
    Sem apresentarem fatos concretos sobre tais melhorias no país, o objetivo é continuar culpando o comunismo, como se esse regime fosse alguma vez implantado no Brasil.

    Curiosamente, o congresso tem vários partidos que se denominam de comunistas, socialistas, democratas, ruralistas, evangélicos, bancada da bala … temos até o Centrão!
    Mas, inexiste no antro de venais, uma bancada do povo!

    Portanto, se atingimos 555 mil mortos, trata-se da consequência do descaso, desprezo, repúdio dos governantes para com o cidadão.
    Contribui para esta quantidade inacreditável de vítimas fatais nós mesmos, o povo!

    Fazemos algo em nosso benefício?
    Nada.
    Reclamamos a respeito das aquisições de vacinas?
    Nada.
    Protestamos com relação às verbas bilionárias decididas pelo congresso para serem gastas em campanhas políticas?
    Nada.
    O que somos, então?
    Nada!

    E nada seremos dentro de pouco tempo, pois está em pleno processo e, exitoso, o plano para diminuir o pobre, miserável, desempregado, doente, aposentado, vítimas da pandemia …
    Meio milhão de pessoas que deixaram de ser atendidas pelo governo é uma vitória, uma realização, que agrada Paulo Chicago Guedes Boi e seu presidente.

    Enfim, assisti duas entrevistas do presidente do PTB, Roberto Jefferson:
    a primeira no Jornal da Cidade e, a outra, através de Nunes na Jovem Pan.

    Bob só não chamou os ministros e as senhoras ministras do STF de santos porque não quis.
    Urubus, bruxas, corruptos, puxadinho da esquerda …
    Sobre Barroso, credo, sai de baixo!
    Quanto ao glabro ministro Alexandre, para o chefe do PTB é o inimigo público nº 1!

    Afora, seus rompantes, prepotência, arrogância, caras e bocas, fiquei impressionado mesmo, quando afirmou que Bolsonaro seria Cristo na terra!!!
    A cada cinco palavras proferidas, três diziam que Bob era cristão, conservador, defensor da vida, e que precisa-se limpar o STF, TSE, TCU … porque todos são comunistas!

    Não lembro que assunto ele se referia quando, desafiadoramente, disse que só por cima de “nossos” cadáveres!
    O meu não!

    Sobre o Centrão, deu plena razão a Bolsonaro, caso contrário não conseguiria governar!

    Jamais assisti duas entrevistas e com o mesmo personagem, cujas respostas estavam prontas porque seus entrevistadores fizeram parte do jogo da direita, dos conservadores, “dos defensores da vida”, dos cristãos, então foi fácil perceber o ping pong jogado nas duas emissoras.

    Como sabemos que Bob não prega prego sem estopa, evidente que ele está namorando os evangélicos, querendo aumentar o número de filiados ao seu partido.
    Basta falar em Cristo, ser contra o aborto, falar mal de comunistas e socialistas, que esta terra é abençoada por Deus, que a eleição está certa.

    Agora, causa espécie, mesmo, o silêncio do Supremo com as ofensas de Jefferson, os ataques, as agressões.
    Diga-se de passagem, um comportamento indecente de um presidente de partido político.
    Nesse momento das ofensas, inclusive “sobrou” para o governador do RS, que ele chamou de “leite moça” e o mesmo com Kassab, que deveria sair do armário, o ex-deputado federal varria as pessoas com sua metralhadora giratória.

    O ódio lhe dilatava as pupilas, fazia-lhe diminuir a respiração, o asco por Lula e Zé Dirceu era evidente.

    Fiquei pensando no modelo de cristão demonstrado pelo Bob, e terminei de ver as entrevistas mais consciente do que nunca, pois ser isto ou aquilo em termos religiosos é cinismo, hipocrisia mentira absoluta!

    Mil vezes um ateu, que os falsos cristãos!!!

      • O mesmo Médico Ator Globeleza não teve a coragem e sensibilidade de ir até a casa do Pai e Mâe da criança abusada , assassinada, e depois jogada na porta da casa da família., para abraçar a família e se comover com a perda de ter um filho assassinado por um Monstro-Lulanático, este teve um abraço de “amor fraternal do Médico-Atorzinho.
        Coitada da família ter de novamente passar por essa tragédia por causa de alguns milhões na conta e audiência…, e tapinhas nas costas do Médico-Globeleza…..

        PS. Como já disse em outros posts, esse médico não chega nem perto dos meus animais de estimação…..

        Bons rugidos, e estamos agora com 7o.C, na Cidade Devastada pela Quadrilha do FHCorrupto e Luladrão.

        • OPs, esqueci

          Quanto a se retratar depois da mérida que fez.
          Veja o video completo do monte de asneiras que saiu pela boca.
          Como diz aquele velho deitado….

          “O que é um pum para quem já tá todo cagado”,..

          Meu nome é FUI….

    • Considerações da maturidade…
      Pelo menos, o Dr Dráuzio reconheceu o equívoco. Enquanto o nosso presidente continuou fazendo pouco caso, mesmo diante das evidências.

  2. Três tipos de nações: As que aprendem com os erros das outras, são as mais adiantadas; as que aprendem com os próprios erros, são as normais e finalmente as que não aprendem nem com os próprios erros, são as atrasadas, as fadadas ao fracasso, as que só servem como colônia.
    Infelizmente, estamos entre as que não aprendem nem com os próprios erros.
    Vamos passar os EUA em número absoluto de mortos e eles, tem 100(cem) milhões de cidadãos a mais que nós.

  3. Amigo Bendl, bom dia.
    Dentre a hipocrisia maior dos parasitas da pátria; eles, para se elegerem, falam em educação e saúde e quando assumem, nada fazem e se podem atrapalham quem quer fazer.
    Vamos nos cuidar para não perdermos nosso maior bem que é a saúde de nosso avatar.
    Bom final de semana.

  4. A vacinação está estagnada nos EUA em 200 mil, 300 mil aplicações diárias (já incluindo os que tomam segunda dose) – não mais aquele de mês atrás que chegava a 3, 4 milhões.

    Isso porque o negacionista e o movimento antivacina é grande.

    Também não é diferente aqui. Tem médico que não toma vacina e continua exercendo a profissão. Ora. O consultório devia ser interditado…

  5. Prezado Pereira Filho,

    Bom dia.

    As promessas em tempo de campanha são as mais diversas e exóticas; as mais fantasiosas e ridículas possíveis.

    No entanto, o povo gosta de ser enganado, envolvido pelas palavras do candidato “que é bom”.

    Sabendo, quem foi eleito, que o eleitor se esquece até em quem votou, ele não precisará honrar o que prometera.
    Uma vez dentro do legislativo ou executivo, ele vai tratar da sua vida, de enriquecer, de aproveitar o seu mandato para garantir o seu futuro e de sua família.

    Claro, ele denomina essa relação abjeta entre eleito e eleitor de “política” quando, na verdade, somos roubados, explorados e manipulados.
    A curiosidade ou o enigma a ser descoberto, diz respeito à experiência que temos, onde ninguém vale nada no legislativo mas, mesmo assim, depositamos nossos votos reelegendo principalmente quem não presta!

    Vivemos em um círculo vicioso pérfido, vil, pernicioso, que, mesmo nós tendo consciência deste enredo maligno, ele nos atrai a cada dois anos para fazermos sempre o mesmo papel:
    depois das eleições nos mostramos decepcionados!

    E, segue o teatro, a pantomima democrática brasileira, com espectadores que lotam o local da mesma peça repetida, para ver sempre as interpretações de atores canastrões, e atrizes que deixam muito a desejar.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  6. Eu sinto um certo prazer, nos ditos “formadores de opinião!
    Percebe-se uma torcida quase que eufórica, para que que passemos outros países em número de mortes.

    Como se diz no popular, eu heim.
    Vade retro…

Deixe um comentário para Haremhab Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *