Com Eduardo Paes à frente da Olimpíada, dá até vergonha de ser brasileiro

Paes, Lula e Cabral – formação de quadrilha na Olimpíada

Carlos Newton

A vergonha é enorme. Primeiro foi Copa do Mundo, com o Brasil imitando a África do Sul ao espalhar elefantes brancos pelo país, apelidados de “arenas” e que hoje não servem para nada. A maioria dos gigantescos estádios não tem mais serventia, está ao abandono, como acontece com o histórico Maracanã, que não realiza mais partidas de futebol, embora continue a ser procurado por turistas do mundo inteiro, que insistem em considerar o Rio de Janeiro uma cidade maravilhosa.

Organizada pelo trio Lula da Silva, Sérgio Cabral e Eduardo Paes (verdadeira formação de quadrilha), a Copa do Mundo foi apenas uma maneira de facilitar o enriquecimento ilícito desse tipo de político, com superfaturamento de obras suntuosas e inúteis, que jamais poderiam ter sido consideradas prioritárias num país ainda subdesenvolvido como o Brasil.

Mas apenas a Copa não era o bastante para satisfazer esses políticos roedores, eles tinham também de dar um jeito de realizar uma Olimpíada, mesmo depois do fracasso financeiro de Atlanta, nos Estados Unidos, de Barcelona, na Espanha, de Atenas, na Grécia, de Pequim, na China, de Sidney, na Austrália, e de Londres, na Inglaterra, segundo uma análise implacável feita pela Associação Internacional de Economistas e Esportes (IASE).

NÃO DÁ LUCRO – Olimpíada pode dar prestígio e até atrair turistas futuros, mas não registra lucro. O resultado é sempre o mesmo: dívidas, estádios e parques vazios, desilusão. Um estudo feito pela Monash University da Austrália descobriu que não houve nenhum benefício tangível  ou “impulso econômico” a partir dos Jogos Olímpicos de Sidney.

Em todos os países, as autoridades se vangloriam dos lucros e dos legados.  Os ingleses gastaram 9 bilhões de libras, uns R$ 30 bilhões.  David Cameron, primeiro- ministro, anunciou um lucro final de “13 bilhões” de libras, algo como R$ 42 bilhões. Houve gargalhadas e deboche na mídia. O respeitado The Guardian, mais importante jornal inglês, ridicularizou as declarações sobre o falso lucro:  “Isso é lixo”.

Nem mesmo Barcelona serve de exemplo de suposto sucesso. Um ano depois da Olimpíada, os hotéis tinham uma queda entre 50% e 80%. A prosperidade da cidade, que veio depois, é atribuída aos vôos baratos e ao posterior boom espanhol.

Por fim, o relatório da IASE sobre a Olimpíada de Atlanta (EUA) poderia se aplicado ao Brasil: “Desvios de recursos escassos que poderiam ter uso mais apropriado e produtivo no combate às lentas taxas de crescimento econômico”.

FRACASSO ANUNCIADO – Agora, vem aí a Olimpíada da Irresponsabilidade, a ser vencida pelos políticos brasileiros, com Lula, Cabral e Paes subindo juntos ao pódio. Antes mesmo da abertura, a vergonha já é imensa. Muitos atletas estrangeiros se recusaram a vir, por causa das doenças transmissíveis. Além disso, obras sendo acabadas às pressas, um governador incompetente que decreta “calamidade pública” na cidade e provoca devolução de 50 mil ingressos, um prefeito idiota que dá seguidas entrevistas à imprensa estrangeira falando mal da cidade e dizendo que a Olimpíada foi uma “oportunidade perdida”. É constrangedor.

Agora, as delegações estrangeiras estão chegando à Vila Olímpica, que o eterno cartola Carlos Arthur Nuzman, enriquecido ilicitamente por conta do esporte, classificou como “as melhores instalações da História das Olimpíadas”. Mas não é verdade, era tudo conversa fiada, há problemas nas instalações de gás, elétricas e hidráulicas, sem falar na sujeira ambiente, que surpreendeu a delegação australiana, enquanto a Folha informava que delegações de outros países tiveram a cautela de contratar operários para dar acabamento às obras de suas instalações.

E o prefeito Eduardo Paes ainda tem coragem de abrir a boca para fazer piadas e dizer que vai botar cangurus na Vila Olímpica para agradar a delegação visitante…

É nessas horas que a gente até sente vergonha de ser brasileiro. Se fosse no Japão, o prefeito se curvaria diante dos estrangeiros e pediria desculpas por seus erros, antes de sair para praticar um ligeiro haraquiri.

###
PSFormação de quadrilha é o artigo 288 do Código Penal, quando três ou mais pessoas se unem “para o fim específico de cometer crimes”, como ocorreu no caso de Lula, Cabral e Paes.  (C.N.)

32 thoughts on “Com Eduardo Paes à frente da Olimpíada, dá até vergonha de ser brasileiro

  1. Pois é, caro escriba! Tudo isso é um lixo, as iniciativas, más iniciativas!, pois todas politiqueiras, personalistas e delirantes; os projetos, ah!, os projetos, aqueles que são derrubados por ondas e não dão alojamento adequado a atletas; as declarações nacionais e internacionais que mostram o viés idiotizante dos que nos (des)comandam; e os dinheiros que nos são roubados e serve para o enriquecimento de poucos para todos pagarem.

  2. Um evento internacional sob o comando de uma quadrilha não poderia dar certo. E sendo bandidos, não tem pátria, família ou respeito ao próximo que os sensibilizem. Não podemos esquecer que eles tem até uma bandeira própria.

  3. Caro Newton, assino em baixo, o artigo mostra a verdade VERDADEIRA.
    DEGAULLE TEVE RAZÃO AO DIZER, O BRASIL NÃO É SÉRIO, E RUI BARBOSA: EM SUA POESIA/PRECE:TENHO VERGONHA DE MIM EM SER HONESTO, E A PRECE “DEUS”, QUE ROGA AO PAI CELESTIAL, SER DIGNO E HONRADO, COMO CIDADÃO A SERVIÇO DA JUSTIÇA, QUE FEZ PARA ELE, MAS QUE SERVE A TODOS OS POLÍTICOS.
    Infelizmente, da década de 60 para cá, os assaltantes do cofre público, de falsos políticos, descobriram que a Justiça os libera da “CANA”, só prende ladrão de galinha dos 3Ps – pobre, preto e puta, polítiqueiros, deixaram os milhões, entraram na casa dos bilhões.
    Uma LUZ SURGIU NO FIM DO TÚNEL, O JUIZ MORO E EQUIPES MPF E PF, EXEMPLO DE AMOR FRATERNO A SEU POVO QUE SE ENCONTRA NA MISÉRIA E POBREZA, COMO ESCRAVOS DA CORJA, QUE ROUBA A SAÚDE, A EDUCAÇÃO, etc..
    87 anos, nesta casa que DEUS me emprestou para minha ALMA caminhar para a LUZ, perto do retorno ao Mundo Espiritual, parto com a consciência tranquila, mas levo uma preocupação pessoal, deixarei 2 filhas neste Oceano de Lama, e ao trabalhador honesto que rala pelo pão de cada dia.
    Além túmulo, teremos 2 condições: PAZ E LUZ ou RANGER DE DENTES, como resultado de nossas obras, no BEM ou no MAL, conforme alerta do MESTRE JESUS,O CRISTO: A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS, acreditemos ou não, mais a vida continua.
    Infelizmente as seitas religiosas, que se dizem CRISTÃS, não respeitam e amam o EVANGELHO DE JESUS, O CÓDIGO DA VIDA, na mensagem “AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SÍ MESMO, AI ESTÃO TODAS AS LEIS E PROFETAS (NA ACEPÇÃO DA PALAVRA,que nos informa sobre os falsos profetas de sua época, e no transcorrer dos
    milênios.
    PAGARÁS ATÉ O ÚLTIMO CEITIL JESUS, POR TUAS OBRAS NO MAL,
    QUE DEUS NO ABENÇOE.

      • ATÉ O NOBLAT VIROU COMUNISTA !!!

        O colunista Ricardo Noblat divulgou levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, entre os últimos dias 20 e 23, sobre o cenário político, que corrige o erro do Datafolha:
        11,1% dos entrevistados responderam que preferem a volta de Dilma Rousseff à presidência da República. A permanência de Michel Temer como presidente foi a resposta de 23,8%, bem menos do que os 50% apontados pela Folha em sua pesquisa forjada. Pouco mais de 62% disseram preferir a realização de novas eleições.
        Como a tese de novas eleições depende da volta de Dilma, que faria uma consulta popular sobre o tema, os senadores, se ouvirem a voz do povo, rejeitarão o impeachment.
        Ainda segundo a pesquisa, por enquanto, a população continua cética. Quando se lhe indaga se sua situação financeira melhorou, piorou ou permaneceu igual depois que Temer assumiu o governo no lugar de Dilma, responde: melhorou (11,3%), piorou (20,7%), permaneceu igual (65,9%).
        Sobre o futuro do ex-presidente Lula, 15,2% dos entrevistados pelo Instituto Paraná Pesquisas responderam que preferem a volta dele à presidência da República.
        Contra 34,1% que disseram preferir que ele simplesmente se aposentasse da política. E 47,7% que fosse preso pelo juiz Sérgio Moro. Não souberam ou não quiseram responder, 3%

  4. 1) Maracanã … “embora continue a ser procurado por turistas do mundo inteiro” = primeiro parágrafo.

    2) Tem razão CN, outro dia acompanhei comitiva de 50 budistas japoneses, leigos e monges que faziam questão de conhecer de conhecer o Maracanã.

    3) Comentei … eu não sabia que budista gostava tanto de futebol …

    4) Alguém respondeu: lembre-se que a alegria é um dos fatores da iluminação …

  5. Não é a toa que Eduardo Paes é o candidato a presidente da república em 2018 de Eduardo Cunha. Foi o próprio Cunha quem disse. Lógico que é um cabo eleitoral de muito prestígio e dinheiro. Essa da delegação da Autralia é de envergonhar os 220 milhões de brasileiros.

  6. Eu não tenho vergonha de ser brasileiro. Afinal somos mais de 200 milhões e a grande maioria trabalha muito para sustentar esta corja de políticos safados. Desta sim, eu tenho muita vergonha.

    • O Jaspion foi montar uma tinturaria ! kkkaass

      Vamos Pras Ruas
      Brasil 25.07.16 07:58
      O Movimento Brasil Livre desistiu do ato de 31 de julho.
      Só sobrou o Vem Pra Rua.
      O Antagonista apoia o ato e convida todos os seus leitores para a festa do domingo. Nós vencemos. Vamos às ruas comemorar nossa vitória.

  7. Esse paes é uma pessoa preconceituosa, ditatorial e nojenta. Imaginemos se o fato ocorresse na Austrália e a comitiva do Brasil se recusasse a ocupar prédios mal acabados e o prefeito de Sidney dissesse que iria colocar macaquinhos na Vila Olímpica para que os brasileiros se sentissem em casa. Seria unanimemente chamado de fascista e “racista pela imprensa brasileira. Já quando o dudu mimado fala isso os jornalistas se omitem e não opinam, apenas noticiam sem comentários.

  8. Sou carioca, vivo nesta cidade fazem 59 anos. Nunca estivemos sob uma gestão tão descompromissada com o cidadão. Tudo é feito para um futuro incerto e para tapear os turistas que se arriscarem a visitar o Rio. As obras feitas sem cuidado e sem planejamento causam um enorme transtorno para quem vive aqui, com a alegação de que serão necessárias para o futuro da cidade. Que futuro? Precisamos de conforto e tranquilidade para viver, nosso futuro nós mesmo apontamos, cabe a prefeitura organizar e priorizar as demandas dos cidadãos. Ao invés disso o prefeito e seu time de incompetentes gestores ficam criando ilusões, apenas ilusões, porque a realidade são construções mal feitas, que não servem para nada e põe em risco a segurança do usuário. Vide o desabamento da ciclovia e as obras inseguras da Vila Olímpica. Ainda temos a grande piada que é o sumiço de 5 vigas de 20 toneladas que o “esperto” prefeito e sua corriola não sabem onde foi parar. Esse idiota é uma piada de muito mal gosto.

    • Em final de mandato, Paes testa nova vocação

      Josias de Souza
      25/07/2016 04:02
      ——-

      Na reta final do seu mandato, o prefeito carioca Eduardo Paes aproveita os Jogos Olímpicos para testar um insuspeitado projeto de redirecionamento profissional. Tomado pelas palavras, Paes parece ter encontrado uma nova vocação. À falta de melhor opção, já pode trabalhar em circos ou no lucrativo mercado das festas infantis.
      Apinhada de problemas, a Vila Olímpica tornou-se o primeiro obstáculo a ser transposto pelos atletas antes de disputar medalhas. Após deparar-se com sanitários entupidos, vazamentos em tubulações, piso úmido e sujo, fiação elétrica exposta e escadas sem iluminação, a delegação australiana preferiu instalar-se em hoteis.
      Eduardo Paes reconheceu os problemas. Prometeu saná-los nos próximos dias. Em seguida, voltou a aventurar-se no mundo da anedota: “…Vamos fazer os australianos se sentirem em casa aqui. Estou quase botando um canguru na frente [do prédio] para pular na frente deles”, disse o alcaide.
      Diretor de Comunicação do comitê olímpico da Austrália, Mike Tancred, reagiu mal à tentativa de anedota: “Não precisamos de cangurus, precisamos de encanadores para dar conta dos vários lagos que encontramos nos apartamentos.”
      A cinco meses de virar ex-prefeito, Eduardo Paes não pode se deixar abater. Ao contrário, precisa radicalizar nos testes. Deveria tentar o nariz vermelho, o colarinho folgado e os sapatos grandes. Se nada funcionar, ainda poderá recorrer às lágrimas de esguicho. Certos tipos de reciclagem às vezes exigem longos períodos de treinamento.

  9. Preliminarmente !Não confundir Triatom, com Trio à toa! O Brasil teria grandes possibilidades de melhorar o número de medalhas nessas “olimpíadas” se permitissem as seguintes modalidades ainda não reconhecidas pelo comitê olímpico.Seria imbatível certamente com medalha de ouro nas modalidades, sequestro relâmpago,bala perdida ,arrastão,assalto a mão armada e escapismo político nos processos de corrupção e uma infinidade de outros esportes da nossa insólita nação tupiniquim

  10. Muita vergonha. Nossos políticos vieram de outro país ?Foi outro povo q votou neles ? Sociedade corrupta e pilantra. Povo considera mais a simpatia do que a honestidade. Temos milhões de 171 simpáticos e carismáticos. Quantos não comemoram campeonatos ganhos de forma desleal ? Quantas vezes eu ouvi a expressão ” malandragem do futebol” para elogiar jogadores q iludem o juiz ? A sociedade leva esta malandragem para toda vida. Simples.

    • A cinco meses de virar ex-prefeito, Eduardo Paes não pode se deixar abater. Ao contrário, precisa radicalizar nos testes. Deveria tentar o nariz vermelho, o colarinho folgado e os sapatos grandes. Se nada funcionar, ainda poderá recorrer às lágrimas de esguicho. Certos tipos de reciclagem às vezes exigem longos períodos de treinamento.

  11. O Islã é aqui !!!

    ” 25/07/2016 11h53 – Atualizado em 25/07/2016 11h53
    Polícia Civil investiga sequestro de lutador da Nova Zelândia no Rio
    Crime teria ocorrido em Duque de Caxias, durante suposta blitz da PM.
    Jason Lee contou o ocorrido e lamentou em redes sociais.
    O caso de um lutador de jiu-jistu da Nova Zelândia, que relatou em redes sociais que sofreu um sequestro relâmpago por homens com farda policial no Rio, está sendo investigado pela Polícia Civil. Segundo informações da Delegacia de Atendimento ao Turista, diligências estão sendo realizadas para apurar o crime. Segundo a especializada, o crime teria ocorrido numa suposta blitz da Polícia Militar em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

    Segundo postou Jayson (Jay) Lee neste domingo (24), ele foi obrigado a entrar em um carro e a rodar por caixas eletrônicos para sacar dinheiro.
    “O que fizeram de bom ontem? Eu fui sequestrado. Go Olympics! #Rio2016”, postou no Twitter o lutador, que não compete na Olimpíada – jiu-jitsu não está entre as modalidades.
    O crime teria ocorrido no sábado (23) quando ele estava a “cerca de 20 minutos do Rio”, segundo escreveu. Lee disse que voltava de uma competição em Resende, Sul Fluminense.
    No Facebook, Lee explicou a dinâmica do crime. “Então, ontem [sábado] eu fui sequestrado no Brasil. Não por algumas pessoas aleatórias com armas, mas por policiais em serviço com uniforme completo. Fui ameaçado de prisão se eu não entrasse no carro particular e os acompanhasse até dois caixas eletrônicos para retirar uma grande soma de dinheiro para suborno”, escreveu.
    O atleta fez ainda uma reflexão sobre o crime no país. “Eu não tenho certeza o que é mais deprimente, o fato de essas coisas estarem acontecendo com os estrangeiros tão perto dos Jogos Olímpicos ou o fato de que os brasileiros têm de viver em uma sociedade que permite que essa brande besteira diariamente. Este lugar é bem e verdadeiramente f… em todos os sentidos da palavra que se possa imaginar.”
    Até a publicação desta reportagem, as polícias Civil e Militar não haviam se posicionado sobre o crime relatado.
    Segundo o site neozelandês ZN Herald, Lee está no Brasil há cerca de um ano e veio ao país para aperfeiçar a técnica no jiu-jitsu brasileiro, considerado o melhor do mundo.

  12. ‘Cidade olímpica’: mais algumas das grandes obras da Odebrecha. Obras faraônicas, inacabadas, superfaturamento e comissões ‘africanas’. Vaza tudo: água, dinheiro, sujeira, eletricidade. Tudo chefiado por Eduardo Paes, o ‘soldado’ do Lulla, eu prefiro o sargento Garcia ou então o Cel. Nicholson. Aquele da ciclovia que caiu, digo, ponte Rio Kwai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *