Com relator petista, CPI da Petrobras tinha de acabar em pizza

Luís Sérgio, excelente pizzaiolo

Eduardo Bresciani
O Globo

Quase oito meses após a instalação da CPI da Petrobras, criada para investigar o escândalo de corrupção revelado pela Operação Lava-Jato, o relator da comissão, Luiz Sérgio (PT-RJ), apresentou nesta segunda-feira um parecer final em que ataca os delatores do esquema, culpa empreiteiras e isenta políticos de responsabilidade pelo cartel instalado na estatal. O documento diz que não há provas contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, mesmo após a revelação de que ele mantém contas não declaradas na Suíça, que teriam sido abastecidos por recursos desviados.

O documento também isenta a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e os 62 políticos envolvidos nas investigações da Lava-Jato.

Para Luiz Sérgio, a Petrobras foi vítima de um cartel de empreiteiras que contaram com a complacência de funcionários da companhia. Os parlamentares citados no esquema ficaram de fora com o argumento de que a CPI não é Conselho de Ética. O relator fez ainda ataques à Lava-Jato, criticando o “excesso de delações premiadas”. Deputados de PSOL e PSDB anunciaram que vão apresentar votos em separado. O texto final da comissão deverá ir a voto até sexta-feira, quando acaba seu prazo de funcionamento.

INOCENTANDO…

“É importante ressaltar um fato que tem passado despercebido da população: não há menção dos delatores sobre o envolvimento dos ex-presidentes da Petrobras José Sérgio Gabrielli e Graça Foster ou de ex-conselheiros da estatal, como a presidente Dilma Rousseff. Também não há nos autos da CPI qualquer evidência neste sentido, seja em relação à presidente Dilma ou do ex-presidente Lula”, afirma o texto do relator.

Em relação a Eduardo Cunha, Luiz Sérgio diz que não há provas a comissão não recebeu provas: “Em que pesem as inúmeras notícias veiculadas recentemente sobre contas bancárias no exterior das quais o deputado Eduardo Cunha seria beneficiário, o fato é que esta CPI não recebeu prova alguma destas afirmações, não cabendo a este relator adotar providências”, alega o petista.

Luiz Sérgio diz ainda que caberá ao Conselho de Ética realizar o julgamento. E, repetindo discurso de Cunha, lamenta que outros parlamentares envolvidos não tenham feito o mesmo que o presidente da Câmara, que se apresentou de forma “espontânea” para depor. Foi neste depoimento que Cunha disse não possuir contas no exterior.

O relator ressalta no texto que apenas o ex-tesoureiro de seu partido, o PT, foi preso, apesar de vários partidos terem recebidos recursos de empreiteiras para campanhas eleitorais.

“MAUS FORNECEDORES”

No parecer, o petista questiona a existência de “corrupção institucionalizada” na Petrobras e diz que a empresa foi vítima das grandes empreiteiras. Sugere, ainda, que a mesma combinação pode ter sido feita em outras obras.

— A mais importante conclusão dessa CPI é que a Petrobras foi vítima de um cartel de maus fornecedores — afirmou Luiz Sérgio, na leitura de um resumo de seu relatório.

Foram várias as críticas às delações premiadas da Operação Lava-Jato. Ele questionou o fato de o doleiro Alberto Youssef ter conseguido fazer o acordo de delação mesmo já tendo descumprido os termos firmados no caso Banestado. Disse haver um “excesso de delações premiadas”, e que isso pode resultar em impunidade. Criticou a colaboração de réus presos e o fato de um mesmo advogado defender mais de um cliente. O relator propõe que uma comissão especial da Câmara discuta a revisão da lei que trata do tema. Pede ainda que seja investigada a advogada Beatriz Catta Preta, que trabalhou para delatores e abandonou a profissão dizendo sofrer perseguição de integrantes da CPI.

SEM NOVIDADES

O texto repete lista de indiciados da Lava-Jato, entre eles o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa e o ex-gerente Pedro Barusco. Pressionado, ele acabou acatando alguns indiciamentos recomendados por sub-relatores, como o dos empreiteiros Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, e Otavio de Azevedo, da Andrade Gutierrez.

Iniciada no fim de fevereiro, a CPI ouviu 132 pessoas. Muitos interrogados, porém, usaram o direito de permanecer em silêncio. A comissão gastou R$ 1 milhão para contratar a empresa Kroll para investigar se delatores da Lava-Jato tinham ocultado patrimônio, mas o trabalho não foi concluído diante da repercussão negativa. O presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB), fez avaliação positiva dos trabalhos, ressaltando as dificuldades de avançar devido às limitações da comissão em suas investigações:

— A CPI não acaba em pizza, na minha opinião.

O texto ainda propõe abertura de inquérito contra delegados da PF que cuidam da Lava-Jato, acusados de envolvimento em vazamento de informações. (Colaborou Evandro Éboli)

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Com um relator do PT, nada se poderia esperar desta CPI, a não ser pizza. (C.N.)

17 thoughts on “Com relator petista, CPI da Petrobras tinha de acabar em pizza

  1. Excelente vigarista, isso sim.
    Como todos eles. Sei não o quê vai ser disso aqui.
    Vocês, jornalistas, que ajudaram essa corja a chegar ao poder, e ainda hoje tem cerca de 95% apoiando a quadrilha, são responsáveis pelo estado de degradação, principalmente moral, que se chegou “nef paif’.

  2. Como é que um sujeito como este, inespressivo e desclassificado pode ser indicado relator de uma CPI desta importância. Mas um motivo para escoraçarmos esta corja que está no poder.

  3. Despesas com passagens, horas extras dos ditos assessores e da turma da câmara, cafezinho, refrigerantes, refeições, hospedagens, transporte, luz, ar condicionado, etc. tudo sem necessidade.

    Resumindo “Dinheiro Jogado No Lixo”!

    Depois o governo PT e aliados divulgam que estão economizando e que apesar de tudo é necessário a CPMF.

    Crise? Que crise?

  4. Todos sabiam como iria terminar esta CPI, o relator do PT fez seu papel sujo, livrou a cara de políticos (CORRUPTOS) e responsabilizou os empresários (CORRUPTORES), é, esta biografia vai para o sr. deputado Luiz Sérgio, muito bem você fez ao Brasil.

  5. CPI, quanto papel gasto, quanto tempo perdido, quanto dinheiro jogado no lixo ! Como um deputado ordinário, limitado, semi alfabetizado, comprometido e, o pior, petista, poderia relatar algo que era para ser tão sério ?? Haja saco para conviver com todas e infindáveis desventuras patrocinadas pelos mallandros que ocupam o poder há longuíssimos doze anos e dez meses !!

  6. A farra com o dinheiro público distribuído entre Legislativo e Executivo, ocasionou esta falta de recursos que hoje a presidente Dilma berra querendo o retorno da CPMF, além de aumentar impostos.
    Não é possível que cada parlamentar embolse mais de cem mil reais por mês, além de médico e dentista para si e familiares.
    Lembro que dois, três anos atrás, o senador Simon havia gasto mais de OITENTA MIL REAIS com seus dentes!
    Pois nem o lendário personagem cinematográfico, o boca de ouro, gastaria essa fortuna com a sua dentadura, porém, em se tratando de um parlamentar brasileiro, ele trata as suas flatulências em Boston, EUA!
    Desta forma, uma CPI cujo relator é petista, o resultado não poderia ser diferente de um deboche, um escárnio à sociedade, à honestidade, e ode ao roubo, ao assalto à Petrobrás.
    Tenho reiteradamente escrito e criticado veementemente o poder Legislativo, a ponto de me tornar repetitivo. Não importa. A questão é que esta gente merece todos os adjetivos pertinentes a comportamentos devassos, desonestos, criminosos, que os caracterizam.
    Portanto, este parlamentar cínico e hipócrita da foto, do PT-RJ, apenas cumpriu com a sua obrigação de marginal, de bandido, de traidor do país e do povo brasileiro.
    Queriam o quê?!
    Uma CPI séria?!
    Por favor, meus caros colegas, deixem de devaneios e sejam mais realistas.

  7. …deveria ser responsabilizado por crime ambiental, usando tanto o papel comum ou o especial…deixem o relatório às traças e ao cupim…se for queimado, a fumaça/fuligem ainda causarão desgraças…

  8. O Brasil e sua gente estão sendo governados por gente que faz conchavos, falcatruas, gente mentirosa e corrupta para simplesmente se manterem no poder. Vergonhoso tudo isto. Este senhor relator desta CPI que não deu em nada e só gastou rios de dinheiro não seria diferente defendendo a corja da qual ele faz parte.

  9. Alguém se importou com o resultado de mais essa CPI? É claro que não! Pois foi mais uma embromação dos nossos “nobres” parlamentares. Uma vergonhosa pizza, como já virou moda. O problema é que ela custou uma boa grana: dos cofres públicos, naturalmente!

  10. “É uma piada de mau gosto e um total desrespeito ao trabalho da operação Lava Jato”, afirmou nesta terça-feira o líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno, ao analisar o relatório final da CPI da Petrobras, apresentado pelo deputado Luiz Sérgio (PT-RJ). No texto, o petista ataca o instrumento da delação premiada, responsável por levar vários de seus colegas para a cadeia, e ainda poupa os políticos envolvidos no esquema de desvio de recursos da estatal.

    Para o líder do PPS, o relator cumpriu a risca as ordens do governo da presidente Dilma Rousseff. “Ele se concentrou em atacar os delatores que revelaram os detalhes do funcionamento da organização criminosa comandada pelo PT e seus aliados. E, sem um pingo de vergonha, botou a pizza na mesa, colocando toda a culpa no cartel de empreiteiras, como se o governo fosse vítima e não ator principal do esquema. É um jogo tão combinado que casa com a declaração absurda que Dilma deu hoje alegando que seu governo não está envolvido em nenhum escândalo de corrupção”, criticou Rubens Bueno.

    O deputado condenou ainda a resistência do comando da CPI em prorrogar os trabalhos da comissão. “Nós estamos insistindo para que isso aconteça, mas querem enterrar logo o assunto. Agora, se houver prorrogação, será necessário que se mude o relator e alguns membros da comissão que só trabalham para barrar as investigações”, ponderou o líder do PPS.

    Outro ponto que emperrou o andamento da CPI, ressaltou o parlamentar, foi a dificuldade para se aprovar quebras de sigilo e os empecilhos colocados para que os deputados tivessem acesso aos documentos enviados para a comissão. “O excesso de centralização dos trabalhos também atrapalhou. Além disso, foram tomados vários depoimentos desnecessários que levaram a comissão a ficar a reboque da Lava Jato, quando sua verdadeira função deveria ser a de investigar os agentes políticos”, finalizou Rubens Bueno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *