Comissão de Ética pede que Afif deixe o Ministério e Kassab protesta

Deu na Folha

Fiador político da presença do vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, no Ministério das Micro e Pequenas Empresas, o presidente do PSD, Gilberto Kassab, minimizou hoje a decisão da Comissão Geral de Ética de São Paulo, que considerou “indevido e inconveniente” o acúmulo de cargos por Afif.

Para Kassab, “a questão é muito mais política do que jurídica e moral”.
“Não tem nada que o desabone no campo moral, nada que o desabone no campo ético, nada que mostre que existe alguma ilegalidade. A questão é política, e nesta questão específica, as pessoas com o tempo, todas, vão perceber que nem a questão política deve prevalecer”, afirmou Kassab, ex-prefeito de São Paulo, ao comentar a decisão da comissão.

O tom de Kassab ecoa o do próprio Afif, que ontem, em nota, sugeriu influência do PSDB, partido do governador Geraldo Alckmin, na decisão da comissão, que seguiu a posição do relator do caso, o ex-secretário de Justiça Eduardo Muylaert.

“O máximo que disseram [na comissão de ética] é que seria inconveniente. Inconveniente para quem? Para um partido político ou para o Brasil?”, escreveu Afif.

A posição da Comissão Geral de Ética tem caráter apenas consultivo, e seu parecer será encaminhado para a Assembleia Legislativa.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *