Como enfrentar a baderna

Carlos Chagas

“Não dá mais para segurar”, diria o saudoso Gonzaguinha. A referência vai para a continuação das manifestações de rua verificadas em todo o país, com ênfase para o Rio e São Paulo. Protesta-se contra tudo, é um direito democrático, mas,  como rotina,  paralisar cidades e depredar patrimônio público e privado é crime. Ainda mais quando praticado por minorias que se antes manifestavam-se pacificamente, agora já começam  seus protestos com baderna e violência.

Indaga-se da reação do cidadão comum, aquela imensa maioria que todos os dias passa pelo constrangimento de  não poder ir para casa ou de não poder sair de casa.

Foi assim que nasceu e cresceu o nazismo,  quando as famigeradas S.A. ocuparam Berlim e outras cidades da Alemanha.  Um  sentimento nacional  de indignação já substituiu as primeiras reações de apoio aos jovens que com toda razão foram para a rua, em junho, exigindo melhor qualidade de vida. De lá para cá, deteriorou-se o movimento. Protesta-se com o rosto encoberto, pedras na mão e, não raro, coquetéis molotov na mochila. Interrompe-se o tráfego como se toma um copo d’água.

Convenhamos, é hora de um basta. Afastada por  contraditória  a hipótese de os revoltados com as passeatas organizarem a sua própria, melhor  solução  para evitar o caos social está no apelo às forças de segurança. Pouco adianta levar alguns  fascistas para a delegacia e soltá-los horas depois.  É preciso que fiquem engaiolados e sejam processados. Também não resolve descarregar balas de borracha nos manifestantes ou lançar sobre eles bombas de gás lacrimogêneo ou sprays de pimenta. Torna-se necessário mobilizar a inteligência para identificar os líderes responsáveis, começando pelos vândalos que quebram tudo, porque são os mesmos. Muitos com passagem pela polícia, sem profissão. Que vão para a cadeia e de lá  não voltem tão cedo.

Em caráter emergencial, não deve haver hesitação em mobilizar as forças armadas para policiamento ostensivo nos principais centros onde as badernas acontecem. Sua presença teria sentido dissuasório, obviamente sem canhões nem tanques.

NÚMEROS PREOCUPANTES

Em audiência pública no Congresso, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, apresentou números que preocupam. Disse que se a presidente Dilma decidir na próxima semana a aquisição dos 36 aviões de caça prometidos há oito anos, serão necessários de oito a dez meses para a celebração dos contratos com a empresa fabricante que for escolhida. Depois, para recebermos a primeira aeronave, serão decorridos de quatro a oito anos. Bem antes disso, pois agora em dezembro, serão desativados os caças Mirage, que recebemos em 1972.

Mesmo dispondo  de 40  F-5 remodelados, é muito pouco para garantir a soberania nacional. Enquanto isso, sabemos que cada um dos vinte  porta-aviões dos Estados Unidos carrega 90 caças de última geração, sem  falar nas múltiplas bases aéreas instaladas em território americano e no resto do mundo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Como enfrentar a baderna

  1. Ilustre Jornalista.

    Todos nós sabemos que é a própria esquerda que promove as arruaças com agitações, nos moldes das praticadas na Italia no período que antecedeu a Segunda Guerra Mundial, com o claro intuito de responsabilizar a direita brasileira (?) inexistente infelizmente. Quando membros da Presidência da República, todos petistas, foram presos depredando e incendiando, o que esperar dessa gente?
    Eles exercem insuportável ódio contra as forças armadas, procuram ridicularizá-las, sucateam seu material bélico, seus soldos são ridículos, se esquecem que um oficial-general (de qualquer arma) tem que ser tratado como excelência e não comandar invasão de favelas. Tenho esperança de que um dia, porvir, essa camarilha incompetente e corrupta que nos mal governa será varrida de nosso sólo pátrio.

  2. Fique frio, a polícia democrática cuida dos desordeiros: ainda tem muita pimenta e balas de borracha e de sal para queimar nas bundas dos vândalos-ditatoriais e deturpadores dos movimentos sociais sadios, pacíficos e democráticos. “Em caráter emergencial, não deve haver hesitação em mobilizar as forças armadas para policiamento ostensivo nos principais centros onde as badernas acontecem. Sua presença teria sentido dissuasório, obviamente sem canhões nem tanques.” Fala sério. Será que vc ainda não percebeu que a violência das ruas é fomentada e patrocinada exatamente pelas viuvas do gollpismo-ditatorial e seus tentáculos (que vivem nas redes pedindo punições para tudo e todos menos para os criminosos, heróis macunaímicos, da famigerada ditadura militar, únicos interessados na confusão e na baderna para se apresentarem como “salvadores da pátria” delles e dos eternos privilegiados que mandam nelles, ao velho estilo, como, p. ex., no Egito ? É isso que vc quer outra vez para o Brasil ? Já não bastam os 21 anos de loucuras, miséria, favelização do país, finais de ano cheios de aperturas, castração das liberdades, torturas, assassinatos, imprensa calada, liberdade de expressão popular silenciada, impunidade perpétua dos criminisos fardados que tudo podem contra tudo e todos ? Vade retro Satanás.

  3. Estranhas ocorrências

    1) As chamadas “manifestações de ruas”, inicialmente constituídas de massas de jovens de classe média, bem nutridos, de escassa politização e rala noção sobre custo de vida, em súbita e bem coordenadas ações, tomaram as ruas do Brasil, pacificamente reivindicando centavos nas passagens de ônibus, dentre outras. Junto a esses manifestantes, invariavelmente ia a turma do trabalho sujo, responsáveis pelas badernas e vandalismos contra propriedades pública e privadas, bem como, persistentes saques de lojas. Essa mesma turma, continua sempre presente nas “manifestações de ruas” e, a julgar pelo publicado, divulgado e visto, basicamente, seriam recrutados nas comunidades;

    2) Com tantos políticos bandidos, ricos e livres, de há décadas, conhecidos e esparramados por todo o Brasil, os coordenadores das manifestações de ruas, escolhem justamente dois únicos governadores, do Rio de Janeiro e de São Paulo, os maiores e mais importantes centros industriais, econômicos e financeiros da América Latina, para alvos de continuadas “manifestações de ruas”, sempre acompanhadas de vandalismos e agressivos bloqueios do trânsito, inclusive, com diversas violências a motoristas de carros, perplexos e indefesos;

    3) Apesar de termos um aparato policial caríssimo, muito bem equipado (tradicionalmente envolvido em corrupções e coisas erradas) nunca conseguem impedir o costumeiro vandalismo, violências e saques contra propriedades privadas e públicas;

    4) Em qualquer época, atos explícitos de vandalismo, violências e furtos, bem as vistas da polícia e de todos, a grande mídia sempre caia de pau com manchetes garrafais, sem dó nem piedade, nada a ver com o passivo comportamento de hoje, morno, muito tolerante e estranho;

    5) Um dos novos partidos, aparece na TV pregando contra os pagamentos de bilhões de reais dos juros da dívida pública, nunca saldada. Sem dúvida alguma que é muito revoltante estar sempre entregando, siderais fortunas públicas aos banqueiros. Se esse dinheiro fosse aplicado na saúde, educação, ciência e tecnologia, o Brasil saltaria para o primeiro mundo, em poucos anos. Mas essa turma, aparentemente defendendo a suspensão do pagamento da dívida pública, deveria explicar, quais os seus planos para por fim a essa gigantesca evasão de recursos, sem causar as inevitáveis consequências econômicas e financeiras para o Brasil, decorrentes da pronta reação mundial dos poderosos banqueiros internacionais;

    6) Lugar de ladrão e de corrupto é na cadeia. É o que se espera. Mas, o show-julgamento-mensalão, nunca teve a menor intenção de inaugurar a honrosa e esperada época de intolerância contra a velha roubalheira das elites, passando a julgar e sentenciar, essa turma de bandidos, em histórico marco de exemplar reviravolta da Justiça contra conhecidos políticos, corruptos, livres e ricos. À frente desse grande picadeiro, surge Joaquim Barbosa, em triste papel de conduzir esse inacreditável espetáculo midiático, inusitado julgamento, sem provas concretas, fazendo uso do domínio do fato, dentre outros absurdos. A mesma estranha, extravagante, rude e arrogante personalidade, que foi contra os aposentados do AEROS;

  4. Eu não sei que depredação é essa toda.

    Ando todos os dias pelo Centro, sempre passo pelas manifestações e chamadas “ocupações”.

    Os fatos são totalmente diferentes.

    Não vejo depredação de nada. Não há algo diário, sistemátivo.

    O que ocorre é que eventualmente estabelecimentos de grandes corporações multinacionais e bancos tem suas fachadas pichadas e quebradas. Isso no Brasil, na Inglaterra, nos EUA.

    E PQ? Não é óbvio?

    De qualquer forma, nada tão escandaloso quanto 20 Bilhões em impostos não pagos por um banco por aí… ou quase 1 Bi que uma rede de televisão deve a receita… ou sistemáticas licitações de cartas marcadas… ou um cartelão ali um mensalão aqui… Nada tão escandaloso quanto um miliciano na presidencia da CPI do transporte.

    Se as corporações fazer o que querem com a vida humana e o planeta Terra, quem irá chorar uma vidraça quebrada cujo dono é um ser sem rosto que vive da exploração e corrupção? É ser contra a violência pois ela é violenta?.. ok.

    Isso é apenas simbólico e desesperado.

    Um ato juvenil e inofensivo.

  5. Já pensaram se esses banqueiros ficarem com raiva e mandarem dar um curto circuito definitivo na rede que opera a movimentação do dinheiro virtual? Aí, os baderneiros não terão dinheiro para as passagens e acabam-se as “manifestações”. É melhor fazer isso do que ouvir o conselho do Chagas. As FFAA vão ficar muito mal na fita, se forem para a rua baixar o pau no povo, como estão fazendo lá no Egito. Né, Chaguinhas? Será que vão topar?

  6. Esses banqueiros são tão malvados quanto aquele avarento que insistia em receber seus juros na noite de natal. Dívidas existem para serem perdoadas. Generosamente, amplamente, irrestritamente.

  7. E impressionante a imbecilidade do Brasileiro. Agora vem o Carlinhos falar de baderna como se existisse uma ordem estabelecida. Oh Carlihos vc nao quer se transformar em uma chaga do jornalismo, que??? Entao vamos la. Que ordem que se vive nessa porra de pais? Saimos na rua e deparamos diariemente com o caos diario. Ruas mal asfaltadas, mal sinalizadas, um trasito caotico e infernal, estacionamento carissimos, metro lotado, onibus lotado, trem lotado, barcas lotadas, estradas com preco de pedagios que beiram a extorcao. A seguranca publica se resume a um pensamento diario de todo Brasileiro vivendo nas principais metropoles do pais: REZO PRA VOLTAR VIVO PRA CASA. A polica e mal treinada, mal paga, bandida, perigosa e corrupta. A bandidagem e cruel e assassina. GRANDE ORDEM ESSA! A infra-estrutura do pais e decadente e praticamente inexistente. Os aeroportos, os portos, o sistema ferroviario, metroviario, e as estradas no geral estao em pessimo estado ou nao existem. Temos um judiciario, legislativo e executivo AFUNDANDO NA CORRUPCAO, Viciados nos crimes de peculato e concussao. A putaria e tao grande que ate vereador tem carro particular, motorista e cartao de credito pago pelo contribuinte otario. Na Inglaterra, um familia Brasileira encontrou o primeiro ministro Ingles, de ferias, dentro do mesmo aviao que eles. Na classe ECONOMICA!!!!! Os pilotos da Aeronautica Brasileira, nada mais sao hoje do que pilotos dos canalhas e canalhas corruptas do poder brasileiros. Mas voltando a essa grande ordem que tem que ser preservada a qualquer custo. Um professor da redes estaduais, Brasil afora, tem que ter pelo menos 3 empregos para sobreviver. O que eles ganhan tendo que trabalhar o ano inteiro e o que o Presidente do Congresso gastou com um jantar em Brasilia para os outros gangesters da quadrilha dele. Que grande ordem em Carlinhos. Os hospitais publicos… primam em matar pacientes por falta de atendimento. O Chagas, vai passar um noite no Souza Aguiar tentando conseguir atendimento. A sua realidade e apenas uma celula nessa fabrica social necrosada por inteiro pela corrupcao, sonegacao, injustica, odio e indiferenca das elites economicas e politicas do Brasil. Por mais que vc queira protejer essa celula tem mais jeito nao Carlinhos, o corpo social ta carcomido por inteiro, e essa sujeira so vai ser limpa com amputacao e muito sangue derramado. EU REZO TODOS OS DIAS PARA QUE MEU BRASIL VIRE UM EGITO!!!! O Brasileiro precisa aprender a respeitar seus patricios. Ou nao somos todos Brasileiros? As tais reformas tao apregoadas, nao sairam do papel. Pra vc ve Carlinhos, um montao de Brasileiros foi pra ruas protestar e nao mudou porra nenhuma. Eles nao tem respeito pelo povo, tao viciados na robalheira, sonegacao, e privilegios exorbitantes. O governo federal arrecada bilhoes todos os meses do povo trouxa pra sustentar a sacangem federativa pagar a divida interna Brasileira. So no ano passado foi quase 140 bilhoes, SO DE JUROS. De uma divida que a origem e o montante deveriam ser questionados. Um grupo de 5.000 familias detem 45% da riqueza e da renda no Brasil. QUE GRANDE ORDEM EM CARLINHOS!!!! Todas as liderancas politicas brasileiras de uma maneira ou outra estao envolvidas em algum escandanlo envolvendo dinheiro publico, do povo trouxa que paga imposto!!! O cara chega em um posto de servidor publico e vai logo se servindo do poder. Mete a mao em um 200 milhoes de dolares e se torna intocavel, um HOMEM DE BEM, DE BEM ALHEIO. GRANDE ORDERM ESSA!!! Governadorzinho gangster com frota de 9 helicopteros, mansoes e apartamentos de milhoes de reais… Uma auditoria dos bens pessoais desse puto usurpador do dinheiro publico nao sobreviveria cinco minutos. FODA SE ESSA ORDEM QUE IMPOE O CAOS PRA GRANDE MAIORIA DO BRASILEIROS. QUEBRA TUDO, TACA FOGO NO PAIS. QUE A SELVAGERIA SEJA ESTABELECIDA, POIS GRANDE PARTE DA POPULACAO JA A VIVE. VAMOS SOMENTE DEMOCRATIZA-LA.

  8. Aqui pra nós Carlos Chagas… com todo respeito devido a um jornalista de longa data e história… mas que reaça “bem intencionado” o senhor se transformou… concordo plenamente com o texto do Marcelo e acrescento o seguinte; o senhor precisa se informar mais ou então está agindo de má-fé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *