Como Jesse James ensinou, os maiores inimigos do povo são os banqueiros. Será que dona Dilma já esqueceu disso?

Paulo Solon

Durante a campanha para as eleições presidenciais no Brasil, recebi alguns correios eletrônicos advertindo que Dona Dilma havia sido guerrilheira e assaltante de bancos. A todos eu respondia: “Mas não espalhem, pois o povo detesta banqueiros e ela será eleita facilmente”.

Não sei se a lenda ajudou, mas dona Dilma, uma desconhecida para o povo até então, foi eleita com amplo apoio popular. Também ignoro quem comandou a publicidade de dona Dilma em sua campanha, mas certamente quem fez isto sabe o que se passa aqui nos Estados Unidos com relação ao assunto assalto, guerrilha e entusiasmo popular.

Aqui, muitas cidades que foram palco da epopeia dos irmãos James, a partir da metade do século dezenove, ainda comemoram, em pleno terceiro milênio, os feitos de Jesse James, como Kearney e Galatin, no Missouri; Russelville, Kentucky; Adair, Iowa.

No Rio de Janeiro fazem o festival Rock in Rio. Em Kearney, Missouri, é produzido a cada mês de setembro, o Jesse James Festival, que atrai milhares de visitantes.

Os prefeitos dessas cidades que faturam em cima dos feitos do famoso assaltante de bancos Jesse James alegam que estão saldando o débito de Jesse para com o condado (município), o que não é verdade. Estão faturando porque sabem que o povo adora ladrões de bancos.
Sabem como celebram? Com reapresentações de assaltos, maratonas a locais atingidos e até simulações de arrombamento. A 20 de março de 1868 a quadrilha roubou o Southern Bank of Kentucky, em Russelville, um evento que atrai milhares de espectadores quando é reencenado a cada Logan County Tobacco and Heritage Festival. Entre as muitas atrações festivas está a The Jesse James 5K Run/Walk.

A 13 de fevereiro de 1866, os irmãos James, juntamente com Cole Younger, seus irmãos e outros Confederados, como Arch Clemens, já haviam se envolvido no que se acredita ter sido o primeiro e bem sucedido roubo a banco em plena luz do dia nos Estados Unidos. Entraram superarmados, e de surpresa, no Clay County Savings Association em Liberty, Missouri.

É inevitável ligar esses assaltos a motivações políticas e ideológicas. O banco era propriedade de ex-oficiais Republicanos. Jesse passou a ser idolatrado pelo povo, tornando-se a face pública do bando.

Acho conveniente abrir aqui parênteses e falar sobre a história de Jesse Woodson James e de Alexander Franklin James. Começou em 5 de setembro de 1847, quando Jesse nasceu de Robert e Zerelda James, na fazenda da família, perto de Kearney, que funciona hoje como Fazenda e Museu Jesse James. Robert, o pai de James, era um pastor batista e fazendeiro. Portanto, Robert não era como espertos “pastores” brasileiro que roubam os pobres nas igrejas que eles mesmos inventam, como se fossem sapatarias.

A parte mais antiga de sua casa foi erguida com toras de madeira em 1822, tendo James nascido em um daqueles quartos. Ele tinha um irmão mais velho, Franklin, e uma irmã mais nova, Susan Lavenia James. Guias turísticos contam as histórias da família e reproduzem os passos dos James dentro da fazenda que o condado Clay comprou com toda a mobília dos netos de Jesse em 1978.

Visitantes podem ver a janela onde um agente do infame detetive Pinkerton (representante da Ferrovia de Chicago) atirou uma bomba incendiária durante um reide sobre a casa da família, estando ausentes os irmãos Jesse e Franklin. Neste bárbaro e covarde ataque foi morto o meio irmão Archie e severamente ferida a mãe de Jesse e Franklin. Ambos viraram feras quando souberam.

Jesse, que tinha um coração de pedra, cavalgou solitário e armado em busca do criminoso piromaníaco, matando-o à queima roupa em Kearney. Franklin, que era meio São Francisco de Assis, não queria fazer isto imediatamente. Em primeiro lugar, buscava o apoio do povo. Mas com a citada atitude de Jesse, começou de fato a carreira dos James.

Hoje, ao lado da casa na fazenda, existe um museu com fotografias da família, com a Bíblia e com as armas de Jesse, bolsas de selas e botas que estava usando quando morreu.

Muitos historiadores concordam que os James foram forjados durante os tempos turbulentos da Guerra Civil na divisa estadual onde sua família vivia no Sul. Quando tinha 16 anos, Jesse foi confrontado por soldados da União, que queriam informação sobre seu irmão Frank. que havia se juntado aos guerrilheiros de William Quantrill. Eles espancaram Jesse e penduraram num galho de arvore seu padrasto, Dr. Reuben Samuel.

A vida marginal de roubo de bancos, trens e diligências dos irmãos James começou assim, logo depois da Guerra Civil, quando o povo do Missouri continuou a ser fustigado por embates entre vizinhos e gangues armadas de veteranos dos dois lados. Nessa ocasião, muitos Confederados foram para outros países, inclusive Brasil, onde fundaram a Vila dos Americanos, perto de Campinas, SP (hoje município de Americana)

Dizem que existe uma lenda segundo a qual Jesse James era tido como verdadeiro Robin Hood, roubando dos ricos Yankees para dar aos pobres, como Cristo determinou ao homem rico na Bíblia. Não deve ser lenda, no entanto, já que o New York Times, em 1873, enaltecia os irmãos James, chamando-os de “os Robin Hood da fronteira”. Eles não roubavam de trabalhadores.

Certa vez um banqueiro, de nome John Sheets, foi cobrar uma divida da senhora Miller. Jesse assaltou o banco do Sr. Sheets, dizendo: “Um momento, senhor merda, vou pagar a divida da Sra. Miller”. E disparou na testa do banqueiro. O povo delirou.

Qual o pior bandido para o povo? É justamente o banqueiro. Não sei se dona Dilma já se esqueceu disto. Franklin perguntou a Jesse qual era sua melhor arma. Ele mesmo respondendo declarou: nossa melhor arma é o povo.

Em Gallatin, Missouri, o ponto de atração é a antiga prisão que funcionou até 1889. Foi em Gallatin que os irmãos James roubaram o Savings Association Office a 7 de dezembro de 1869. Foi quando Jesse disparou na testa do banqueiro John Sheets.

Em Adair, Iowa, residentes celebram o Jesse James Chuck Wagon Days a cada mês de julho, reproduzindo eventos de 21 de julho, 1873, quando a quadrilha de James descarrilhou e roubou o trem Rock Island. As celebrações incluem a coroação de uma Little Miss Jesse James e Little Mr. Gunslinger, bem como um desfile representando os vagões ferroviários Rock of Adair e Jesse James Express, no estilo Marquês de Sapucaí, no carnaval do Rio.

A locomotiva é preservada com uma placa onde está gravado: “Local do primeiro roubo de trem do Oeste, cometido pelo notório Jesse James e sua gangue, em 21 de julho de 1873″

Embora há muito tempo morto, Jesse James continua a ser respeitado e idolatrado pelo povo. “Temos que atacar os que fazem dano ao povo”, dizia Frank. Dona Dilma sabe disso muito bem.

Para o povo, ladrões eram a ferrovia, soldados yankees, políticos e banqueiros. O emissário da Central Ferroviaria que queimou a casa de seus pais fez isto dizendo ser “o vingador do Senhor”. Jesse logo depois disparou em sua cabeça dizendo “desta vez é a ti que chama o Senhor”.

Para terminar, a única cidade que não comemora a epopeia de Frank e Jesse James onde ela se desenrolou é Northfield, Minnesota. É que a população que vive lá, agora, na segunda década do século XXI, cento e trinta anos apos a morte de Jesse James, sabe que Pinkerton não passava de um covardão que não era páreo para enfrentar Jesse James cara a cara. Teve que usar o traidor Robert Ford e armar uma cilada, incentivando o grupo de Jesse a roubar o First National Bank, o que ocorreu a 7 de setembro de 1876.

Apos uma batalha feroz com armas disparadas por todos os lados, dois assaltantes tombaram mortos e dois feridos. Frank e Jesse escaparam de modo espetacular, após derrubarem vários pistoleiros da milícia armada por Pinkerton. Northfield é a única cidade que comemora o feito com um feriado. Em Northfield não há festival.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *