Como teatro, dez! Futebol, um!

Chico Maia
O Tempo
Luiz Felipe Scolari disse que fez tudo certo, e quem gostou, gostou; quem no gostou que v para o inferno!. Depende do ponto de vista sobre o tudo certo. Se falarmos de teatro, ele e Carlos Alberto Parreira realmente foram muito bem e merecem nota 10: disseram que o Brasil seria campeo, pois tinha essa obrigao; ensinaram os jogadores a cantar o hino nacional capela, com todo o vigor; alguns, como o David Luiz, aos berros, com cara feia. Tambm ensaiaram bem a nova moda de se entrar em campo trocando as mos dadas, inventadas por Dunga, pela mo no ombro do companheiro frente, em fila indiana. Inventaram tambm uma psicloga para conter a tremedeira do grupo quando comeou chegar a hora da verdade, como se um profissional desses resolvesse esse tipo de problema em algumas sees coletivas e em pblico, como foi feito. Mudaram a forma de atuar do assessor de imprensa Rodrigo Paiva, at ento, um sujeito cordial e prestador de bons servios CBF como jornalista. Virou leo de chcara para impedir perguntas inconvenientes de jornalistas e, depois, agredir jogador chileno no intervalo.
MANDINGAS
Acharam que foi o tero do goleiro Victor que salvou o Julio Cesar e o time nos pnaltis contra o Chile; a, tentaram transformar o Neymar, machucado, em mrtir e santo milagreiro. Puseram os jogadores e toda a comisso tcnica para entrar em campo contra a Alemanha com bon com o nome dele. Na hora do hino, mais uma dose cavalar com o capito David Luiz e Julio Cesar exibindo a camisa do Neymar.
MAUS ESPRITOS
E teve ainda o sal grosso que o preparador fsico Paulo Paixo espalhou no gramado do Mineiro antes da entrada dos times. Na Idade Mdia era usado para afastar os maus espritos, os demnios e as bruxas das casas, assim como nos dias atuais. No consta que espante tambm goleadas de times bem-treinados e com grandes jogadores bem-escalados. Mas como teatro, vale!

NO LUGAR ERRADO
Como teatrlogos e atores, os comandantes Scolari e Parreira merecem realmente nota 10, mas no foi para isso que eles foram contratados pela famigerada CBF. Como veteranos e rodados profissionais do futebol, s no merecem nota zero porque convocaram jogadores que a maioria dos treinadores convocaria. Faltou aos convocados um tcnico competente que treinasse o time.

MICO DA CARTA
Para completar, aquela ridcula entrevista coletiva no dia seguinte aos 7 a 1. Foram 49 minutos de bobagens, quando tentaram convencer a todos que a goleada foi fruto apenas de um apago de seis minutos que resultou nos quatro gols alemes. Tese tambm defendida pelos amigos e atores deles na imprensa. Com direito tal carta elogiosa da suposta senhora Lcia, que foi lida por Parreira.
Como teatrlogos e atores, Scolari e Parreira merecem realmente nota 10, mas no foi para isso que eles foram contratados.

 

5 thoughts on “Como teatro, dez! Futebol, um!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.