Complexo carbonatítico dos Seis Lagos: o início da redenção econômica do Brasil

Roberto Ilia Fernandes

Como já comentei anteriormente aqui nesta Tribuna, em post recente, os jazimentos de nióbio da reserva dos Seis Lagos,em São Gabrielda Cachoeira (AM), que perfazem um total de 2,9 bilhões de toneladas, adquirem para o Brasil a mesma importância dos hidrocarbonetos do Pré-Sal.

Analisada apenas pelo aspecto econômico e a preços de mercado do nióbio, a citada reserva foi avaliada pela CPRM em um trilhão de dólares! Somente esse aspecto já justificaria uma mudança de atitudes por parte do governo federal, entendida aí a implantação de um novo marco regulatório para a exploração do nióbio. Dispiciendo elencar aqui o que a nação brasileira faria com a exploração racional e patriótica do nióbio; o que esse trilhão de dólares representaria para a balança comercial, para o investimento maciço em educação e novas tecnologias.

A faceta geoestratégica do nióbio é que, ela sim, adquire verdadeiros contornos de salvação nacional: o mundo todo dependendo do nióbio para a geração limpa e perene de energia barata (termofusão nuclear); o mundo todo vindo comprar o nióbio da mão do Brasil! Será que os cabeças-de-planilha do tucanato que sempre comentam aqui neste site, defendendo a entrega do patrimônio mineral brasileiro, percebem a real dimensão do poder estratégico do nióbio?

Fenômeno semelhante está acontecendo agora: a China, maior e quase única fornecedora dos minerais de terras raras para o mundo, anunciou recentemente uma diminuição na exportação desses insumos, com uma alta imediata no preço de terras raras em mais de 400%, gerando reclamações dos EUA, União Européia e Japão.
Voltando ao Complexo dos Seis Lagos, é importante salientar o trabalho de prospecção feito pela CPRM, que resultou no seguinte sumário: o complexo carbonatítico dos Seis Lagos possui, além das 2,9 bilhões de toneladas de nióbio, jazimentos iguais ou superiores de titânio, em mineralizações associadas com o nióbio, associações com minerais de terras raras (ítrio e cério), ocorrências de fluorita, apatita, carbonatos de ferro, tantalita, columbita, ilmenita, rutilo, wolframita, diamantes, além de expressivas reservas de manganês e tório.

Os amigos dessa Tribuna conseguem avaliar o impacto de um país possuir um mix tão portentoso de reservas minerais tão estratégicas e variadas?
Aproveito o espaço generoso dessa Tribuna para lançar um apelo às autoridades: presidente Dilma Roussef, estanque essa sangria de nosso patrimônio! Institua um novo marco regulatório para a exploração de minerais estratégicos no solo brasileiro! A nação brasileira agradecerá!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Complexo carbonatítico dos Seis Lagos: o início da redenção econômica do Brasil

  1. Olá,

    Gostaria de saber se conhece alguém que me possa cerder uma imagem de seis lagos para publicação num pequeno livro sobre minérios metálicos.

    Obrigado.

    A. Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *