Confirmado: Decisão dos senadores foi um golpe para beneficiar Cunha

Resultado de imagem para Eduardo Cunha

Cunha será beneficiário da “bondade” do Senado

Carlos Newton

Com o máximo respeito às opiniões em contrário, a meu ver o fatiamento da sentença condenatória de Dilma Rousseff foi mesmo uma trama para beneficiar o deputado afastado Eduardo Cunha e todos os políticos que têm contas a pagar à Justiça, uma espécie de habeas corpus preventivo para beneficiá-los em caso de futura cassação. Como diz o velho ditado, onde passa um boi passa uma boiada. A partir de agora, com a Constituição revogada por decisão de apenas 36 dos 594 parlamentares federais, pode se repetir a cassação de mandatos sem que ocorra a obrigatória perda dos direitos políticos por oito anos, conforme está determinado no texto constitucional.

Por coincidência, é claro, a primeira cassação a ser votada logo agora em 12 de setembro será justamente… a do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em sessão já convocada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas que deve ser adiada por falta de quorum, em função do período de campanha eleitoral.

COINCIDÊNCIA? – Diz outro velho ditado que, depois dos 40 anos, ninguém pode acreditar em coincidências.  É claro que existem, mas no caso presente seria muita ingenuidade engolir essa extrema bondade dos senadores em relação a uma presidente que cometeu crimes de responsabilidade em série, criou a maquiagem das contas públicas sob o codinome de “contabilidade criativa”, fez as maiores loucuras na condução da economia, permitiu que a corrupção na administração federal ameaçasse a Petrobras e praticamente levou o país à bancarrota.

Com esse currículo, realmente Dilma Rousseff deveria ser excluída da vida pública de maneira permanente, é isso que o Senado precisava ter votado, agravando a punição dela, na forma da lei.

JUSTIFICATIVA? – O mais incrível é a justificativa de tal magnanimidade. Os petistas alegaram que Dilma estaria interessada em dar aulas em faculdades públicas, seria o grande sonho dela. Mas que universidade aceitaria uma professora dessa categoria, que fraudou o próprio currículo, ao afirmar que estava fazendo doutorado sem jamais ter feito mestrado?

Essa argumentação não tem pé nem cabeça. Como disse aqui na “Tribuna da Internet” o comentarista Antonio Santos Aquino, a própria Dilma não pode ter participado dessa armação, porque, ao aceitá-la, isso significaria que ela estaria reconhecendo que não houve golpe. Justamente por isso, em seu discurso de despedida, duas horas após a cassação, ela não deu uma palavra a respeito.

COMPROVAÇÃO – No início da noite, surge a prova de houve uma grande armação – o PSDB e o DEM anunciaram que não pretendem recorrer ao Supremos contra o estupro da Constituição pelos 36 senadores. O motivo? Ora, tucanos e democratas também estão envolvidos nas maiores patifarias.

O resultado é que agora Cunha pode ser cassado e manter seus direitos políticos, circunstância que permitirá nova candidatura dele em 2018 , para retomar o mandato e depois ser novamente eleito presidente da Câmara, a exemplo do que aconteceu há alguns anos a Renan Calheiros, que renunciou para não ser cassado e depois voltou, lépido e fagueiro, como se dizia antigamente.

E o Brasil mergulha, cada vez mais, numa tenebrosa esculhambação institucional.

32 thoughts on “Confirmado: Decisão dos senadores foi um golpe para beneficiar Cunha

  1. Somos todos iguais nesta noite
    Na frieza de um riso pintado
    Na certeza de um sonho acabado
    É o circo de novo

    Nós vivemos debaixo do pano
    Entre espadas e rodas de fogo
    Entre luzes e a dança das cores
    Onde estão os atores

    Pede a banda
    Pra tocar um dobrado
    Olha nós outra vez no picadeiro
    Pede a banda
    Pra tocar um dobrado
    Vamos dançar mais uma vez

    Pede a banda
    Pra tocar um dobrado
    Olha nós outra vez no picadeiro
    Pede a banda
    Pra tocar um dobrado
    Vamos entrar mais uma vez

  2. O grande Nelson Sargento..

    “O nosso amor é tão bonito
    Ela finge que me ama
    E eu finjo que acredito

    O nosso falso amor é tão sincero
    Isto me faz bem feliz
    Ela faz tudo que eu quero
    Eu faço tudo que ela diz

    Aqueles que se amam de verdade
    Invejam a nossa felicidade”

    (Por isso e que eu vivo a dizer)

  3. Por outro lado, caro CN, a pátria pode estar salva.

    Num olhar mais acurado, talvez se possa chegar à conclusão de que ela não está inabilitada para exercer cargos públicos (em geral, por exemplo, merendeira de uma escola no agreste do Piauí), mas, pela Lei da Ficha Limpa, automaticamente, está inelegível por oito anos, por ter praticado crimes de responsabilidade fiscal.

    Vejamos o comando do art. 1º da Lei Complementar n.º 64/1990, com a redação dada pela Lei Complementar nº 135, de 2010, conhecida como Lei da Ficha Limpa).

    Art. 1º São inelegíveis:

    I – para qualquer cargo:
    (…)
    g) os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição.

    Creio que a pátria está salva!

  4. ORGANIZAÇÕES TABAJARA ! kkkaasss
    31/08/2016 20h24 – Atualizado em 31/08/2016 20h32
    Joaquim Barbosa chama impeachment de ‘tabajara’ e ‘patético’
    Ex-presidente do STF diz que Temer não terá o respeito dos brasileiros.
    Para Barbosa, grupo conservador agora no poder ‘não tem votos’.
    O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, voltou a comentar o impeachment de Dilma Rousseff nesta quarta-feira (31) no Twitter, após definida a condenação da presidente no Senado. “Não acompanhei nada desse patético espetáculo que foi o ‘impeachment tabajara’ de Dilma Roussef. Não quis perder tempo”, afirmou.
    “Mais patética ainda foi a primeira entrevista do novo presidente do Brasil, Michel Temer”, prosseguiu.
    “O homem parece acreditar piamente que terá o respeito e a estima dos brasileiros pelo fato de agora ser presidente. Engana-se” disse o agora aposentado juiz.
    Ele também fez comentários em inglês e francês. “É tão embaraçoso! De repente, forças políticas altamente conservadoras tomaram o Brasil. Tomaram tudo! Dominam o Congresso. Cercam o novo presidente (um politico que pode ser comparado aos velhos ‘caudilhos’ latino-americanos)”, prosseguiu. “Eles conduzem a mídia, incluindo as emissoras de TV. Mas sabem de uma coisa? Eles não têm votos. Esperem um par de anos!”, disse.
    Em francês, Barbosa prosseguiu suas críticas: “Michel Temer pensa que um ‘toque de varinha jurídica’ lhe dará legitimidade. O pobre!”
    Nesse trecho, o ex-presidente do STF usou a expressão “coup de baguette juridique”, que, ao mesmo tempo em que significa “toque de varinha jurídica”, inclui também a palavra “coup”, que em francês, separadamente, também significa golpe.

    http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/08/joaquim-barbosa-chama-impeachment-de-tabajara-e-patetico.html

  5. Manhêêêê, peguei a minha panelinha de Inox pra protestar contra o acordão entre PMDB e PSDB, mas tô com vergonha de ir pra rua!!! Tá muito vazio, mãe!!! Cadê o japa do MBL??? Por que ninguém fala em ir pra rua agora???

  6. Dilma não só aceitou, como foi ela própria quem propôs o escárnio

    “Foi num jantar na residência do presidente do Senado, Renan Calheiros, na última sexta-feira (25) que teve início a articulação para manter a habilitação da ex-presidente Dilma Rousseff para ocupar cargos públicos.
    Segundo relatos.

    Dilma manifestou o seu desejo para a bancada do PT no Senado por intermédio do advogado e ex-ministro José Eduardo Cardozo.

    “Não foi uma boa solução, pois tira parte do nosso argumento de que houve um golpe. Isso legitima o processo”, argumentou um senador petista. “Mas se a Dilma pediu, não tinha como a bancada ficar contra”.

    ***********
    RESUMINDO: MEDO DA LAVA JATO
    “O coração valente” preferiu sacrificar o roteiro filme, a sentir o peso do martelo de Moro

    http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/post/genese-da-articulacao-de-renan-e-do-pt-em-favor-de-dilma.html

    • Grato pela informação, Arthur.

      Como se vê, ao contrário da alegação, não foi Dilma quem pediu, mas seu advogado que teria sugerido. Esta “versão” mostra apenas que Cardozo poderia estar na jogada, ele próprio está sendo processado no Supremo (por obstrução à Justiça, junto com Lula e Dilma).

      É uma “versão” petista, que não desmente o fato, serve apenas para alegar que não foram enganados por Renan, que conduziu a jogada em defesa própria e de Cunha e dos demais corruptos.

      Abs.

      CN

  7. Espanta-me alguém se considerar surpreso com com os acontecimentos políticos recentes. Color, lula, dilma e outros canalhas da mesma quadrilha, inclusive 99% de todos os senadores e deputados, foram postos aonde estão por nós mesmos !!!! Culpados são os eleitores !!!
    Não reclamem !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *