Confirmado o que todos já sabiam: investigações sobre políticos demoram mais que o normal

Carlos Newton

Não há a menor novidade. O que interessa é a comprovação. Por isso, é da maior importância o levantamento feito pelos jornalistas Rubens Valente, Fernando Mello e Felipe Seligman, da Folha de S. Paulo,  mostrando que inquéritos que tiveram políticos brasileiros como alvo nos últimos anos demoraram mais tempo do que o normal para chegar a uma conclusão.

Além disso, o minucioso trabalho demonstra que processos abertos pelo Supremo Tribunal Federal contra políticos se arrastam há mais de dez anos sem definição.

Durante quatro meses, a Folha analisou 258 processos que envolvem políticos e estão em andamento no Supremo ou foram arquivados pela corte recentemente, incluindo inquéritos ainda sem desfecho e ações penais à espera de julgamento.

Os processos envolvem 166 políticos que só podem ser investigados e processados no Supremo, um privilégio garantido pela Constituição ao presidente da República e seu vice, a deputados federais, senadores e outras autoridades.

A impressionante reportagem destaca que o senso comum indica que essa lentidão especial no que se refere a processos contra políticos aconteceria porque eles têm condições de pagar bons advogados para defendê-los na Justiça, mas a análise dos processos mostrou outra realidade: em muitos casos as investigações simplesmente não andam, ou são arquivadas sem aprofundamento.

E só dois casos do conjunto de 258 processos analisados pelo jornal estão prontos para ir a julgamento, vejam a que ponto chega a impunidade desses cidadãos de primeira classe, digamos assim.

Em média, a Polícia Federal leva pouco mais de um ano para concluir uma investigação. Inquéritos analisados pela Folha que já foram encerrados consumiram o dobro de tempo.

O levantamento mostra que deficiências do aparelho judiciário do país e falhas cometidas por juízes, procuradores e policiais estão na raiz da impunidade dos políticos brasileiros, provocando atrasos nas investigações e em outros procedimentos necessários para o julgamento dos acusados.

###
FOLHA TRANSPARÊNCIA

Documentos com a íntegra dos 258 processos que foram examinados estão disponíveis na página da “Folha Transparência”, conjunto de iniciativas do jornal para divulgar informações de interesse público mantidas sob controle do Estado.

Já estão disponíveis para consulta os nomes de 21 políticos: Abelardo Lupion, Ademir Camilo, Anthony Garotinho, Asdrubal Bentes, Carlos Bezerra, Edio Lopes, Elcione Barbalho, Flexa Ribeiro, Geraldo Simões, Jader Barbalho, Jayme Campos, Jilmar Tatto, João Ribeiro, José Otávio Germano, Leonidas Cristino, Marconi Perillo, Roberto Britto, Romero Jucá, Valdemar Costa Neto, Valdir Raupp e Zé Vieira.

Os outros 145 políticos processados não perdem por esperar. Em breve seus processos também estarão disponíveis.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *