Congelar salrios leva queda do consumo e reduz tambm a arrecadao dos impostos

Resultado de imagem para capital e trabalho charges

Charge do Andr Dahmer (Arquivo O Globo)

Pedro do Coutto

Falando aos reprteres Manoel Ventura e Cssia Almeida, em O Globo de sbado, o economista Mansueto Almeida, secretrio do Tesouro Nacional, afirmou que, mesmo depois de aprovada a reforma da Previdncia, outras medidas precisam ser tomadas. Entre elas a suspenso dos concursos pblicos e o congelamento de salrios dos servidores. A opinio de Mansueto Almeida encontra-se no contexto de uma exposio do ministro Paulo Guedes.

O titular da Economia revela que o governo lanar medidas com foco no equilbrio fiscal, competitividade e melhora dos servios pblicos.

PRIVATIZAES – A reportagem ocupou pgina inteira do jornal, incluindo tambm afirmativas do presidente Jair Bolsonaro a respeito de privatizao de empresas estatais. O governo j tem como certa a desestatizao da Eletrobrs, e tambm na primeira fase o processo de privatizar os Correios.

Na minha impresso, o congelamento dos salrios representa uma opo amarga para os servidores das estatais e para os funcionrios federais. Alm de ser inconstitucional, essa poltica certamente terminar acarretando o resultado inverso do que aquele que o Planalto espera alcanar. No maneira de incentivar o consumo, uma meta que proporcionaria aumento da produo econmica. Na realidade, restringindo o poder de compra, a consequncia vai se refletir negativamente nos nveis de consumo.

PREVIDNCIA Este exemplo acontece na Previdncia Social. A Praa dos Trs Poderes, nela includo o Congresso, est aprovando restries aposentadoria. Pois h duas leis irrevogveis: a lei da gravidade e a lei do menor esforo. Se o ministro Paulo Guedes no tivesse a inteno de conter os gastos do sistema no teria elaborado o projeto que elaborou. O processo econmico social extremamente complexo porque tem de harmonizar a economia, as finanas e a remunerao do trabalho como pilares de qualquer projeto de governo. Afinal de contas a poltica existe e tem como objetivo essencial transformar-se num instrumento de avano da espcie humana.

Se assim no fosse no seria o instrumento de progresso que , trazendo conquistas que vo se acumulando atravs do tempo.

JUSTIA SOCIAL – O destino dos projetos tm que visar, acima de tudo, uma redistribuio mais justa de renda. No se trata de dividir o produto econmico por dois. Mas seria mais justo dividir por 10: nove para o capital e um para o trabalho.

Se ocorresse essa diviso minimamente justa entre capital e trabalho, destinando-se 10% do investimento empresarial pra pagamento de salrios, isso j seria suficiente para apagar a misria dos cenrios nacional e mundial.

4 thoughts on “Congelar salrios leva queda do consumo e reduz tambm a arrecadao dos impostos

  1. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, em sua viso Econmica Humanista, na busca de Justia Social, observa que as medidas de AUSTERIDADE do Governo para atingir o equilbrio Fiscal, reduzem o Consumo e a Arrecadao de Impostos, constituindo-se num freio para a necessria volta do crescimento redutor do Desemprego.
    Ocorre a nosso ver, que o Deficit Fiscal contnuo e crescente e seu efeito de Endividamento Pblico at o limite, causam um freio ao crescimento bem maior.
    necessrio porm tambm algum freio de AUSTERIDADE. No exagerado porm.

    O ponto fundamental de uma Economia sua PRODUTIVIDADE ( Produo por hora trabalhada), e a nossa muito baixa, +- 1/6 dos EUA.
    Ora, se nossa PRODUTIVIDADE muito baixa, o Salrio Mdio que igual a Produtividade Marginal do Trabalho, ( Excedente que o ltimo Trabalhador contratado pela Empresa gera) tambm muito baixo, ( R$ 2.500/ms) no permitindo que os Salrios Mdio dos Funcionrios Pblicos sejam muito altos, e mesmo assim ele atinge +- (R$ 3.800/ms), bem acima da Produtividade Mdia Salarial Brasileira.

    E porque nossa PRODUTIVIDADE ? to baixa?
    1- Culturalmente Ns Brasileiros de maneira geral no vemos o EMPRESRIO como o principal motor gerador de RIQUEZA, mas como um explorador do Trabalho Humano. Logo ele deve ser mal tratado pelo Governo, acumulado de Burocracias, Regulamentaces desnecessrias, Carga Tributria de 37% do PIB, etc, etc.
    Enquanto no mudarmos essa Mentalidade e no entendermos que o grande gerador de RIQUEZAS o EMPRESRIO, nossa PRODUTIVIDADE sempre ser muito baixa.
    2- Muitos Brasileiros fazendo TRABALHO INTIL, ( Trabalhos Domsticos, Guarda, Vigias, Cobradores, Frentistas, Seguranas, etc, etc, todo Trabalho que no gera Excedente de PIB ). O grande Economista ADAM SMITH j nos alertava para isso em 1776, da importncia de produzirmos TRABALHO TIL em vez do INTIL.
    3- Baixa quantidade de TECNOLOGIA e CAPITAL usada nos Postos de Trabalho.
    4- Infra-Estrutura de Transportes, Energia, etc, muito deficiente.
    5- Altos JUROS COMERCIAIS vigentes na Economia principalmente devido ao Governo necessitar girar +- R$ 1.500 Bi/Ano de Dvida Pblica.
    ……………………………
    Para melhores SALRIOS Pblicos e Privados temos que melhorar nossa PRODUTIVIDADE, e isso infelizmente no se faz com Leis.

    Agora, a nosso ver, sendo Verdade tudo o que foi dito acima, o Governo deve sempre dar preferncia para o CAPITAL NACIONAL, o nico que gera TECNOLOGIA NACIONAL E CAPITALIZA 100% AQUI DENTRO.
    Como sempre nos ensinou o grande Gov. CARLOS LACERDA, ( 1912 – 1977)”CAPITAL BOM O CAPITAL BRASILEIRO”.

  2. Chamam de investimento a venda de empresas lucrativas e estratgicas.
    Empresas estratgicas de fundamental importncia, atravs delas que o governo pode influenciar e controlar o mercado,
    Uma multinacional quando compra uma empresa, a primeira medida e enxugar a mquina, isto , desempregar, diminuindo a folha de pagamentos e aumentar o lucro, que vai direto para a matriz. Empresas estrangeiras no tm compromisso com o social, seu compromisso o lucro o lucro das empresas nacionais investido no prprio pas, que gera desenvolvimento.
    Inibir o consumo atravs de arrocho dos salrios, e do desemprego fazer o pas andar para trs, o atraso. Sem consumo no h progresso

  3. O empresrio brasileiro s gera riquezas a si mesmo, simples assim.
    O contrrio s se dar quando o capitalismo, no Brasil, for imposto aos ” capitalistas ” brasileiros.

    Exatamente isso, no Brasil: IMPOR o capitalismo aos ” capitalistas “.

  4. Artimanhas econmicas para melhor a condio de vida da populao aqui no Brasil j foram tentadas aos milhares.
    nenhuma deu certo.

    O que funciona mesmo e isto est comprovado nos pases ricos fazer a coisa certa, ou seja, abaixar o custo Brasil que altssimo: como melhorar a infraestrutura em estradas e portos, menos impostos na produo e consumo, diminuir o estado pela metade, acabar com direitos absurdos trabalhistas, etc,etc,etc.

Deixe um comentário para Carlos caze Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.