Congresso erra ao não impor limites a Bolsonaro, diz Alessandro Molon

Molon acha que ainda não existe clima para impeachment

Julia Chaib e Guilherme Mazieiro
Folha e UOL

Líder do PSB na Câmara, o deputado federal Alessandro Molon (RJ) afirma que o Congresso tem falhado por não impor limites a declarações polêmicas do presidente Jair Bolsonaro que provocam o Legislativo. O parlamentar avalia ainda que os partidos do chamado centrão — formado por PP, DEM, Republicanos, SD e PL — são sócios de resultados negativos na economia do país por apoiarem a agenda do governo.

As declarações foram dadas ao programa de entrevistas no estúdio compartilhado pela Folha e o UOL, em Brasília.

INCITAR A POPULAÇÃO -Para Molon, as falas de Bolsonaro que incentivaram os atos que ocorreriam neste domingo (15) servem para incitar a população contra o Congresso. Os protestos tinham como bandeiras apoio ao presidente e críticas ao Parlamento e ao STF (Supremo Tribunal Federal). Bolsonaro compartilhou vídeos chamando para as manifestações e estimulou a população a participar dos atos.

“Eu considero que é muito grave o que o presidente Bolsonaro vem fazendo, que é, na prática, incitar a população contra as instituições brasileiras, contra o Congresso, contra o Poder Judiciário”, avalia Molon.

Por fim, os protestos acabaram cancelados pelos organizadores após sugestão do presidente em pronunciamento de rádio e TV, na quinta (12). Bolsonaro alegou que o avanço do novo coronavírus seria um risco para os manifestantes.

FRAUDE NAS ELEIÇÕES? – O deputado critica, por exemplo, a afirmação de Bolsonaro de que houve fraude nas eleições de 2018. O presidente não apresentou nenhuma prova ou indício que embasasse sua declaração. “É muito grave. É um comportamento reiterado do presidente, que demonstra a todo instante não acreditar na democracia”, continua.

Mesmo após o endosso do presidente aos atos, a cúpula do Legislativo adotou tom ameno ou silenciou em resposta a Bolsonaro. Molon considera essa reação um equívoco e uma forma de “passar a mão na cabeça do presidente”.

“É uma aposta equivocada na não reação, imaginando que ela pode resolver. No meu entendimento, isso, para uma pessoa como Jair Bolsonaro, significa um sinal verde para continuar avançando. É um equívoco”, afirma.

CRIMES DE BOLSONARO – Na avaliação do deputado, há uma série de comportamentos do presidente que poderiam ser interpretados como crime de responsabilidade. Ele considera, porém, que hoje não há ambiente no Congresso nem clima na população para pedir o impeachment de Bolsonaro, apesar de setores da esquerda defenderem a medida.

“É preciso considerar esse ambiente que há no Congresso e que há na sociedade e pensar num processo dessa gravidade, com começo, meio e fim. Pensar como se começa isso e como termina para também não correr o risco de iniciar um processo como esse e terminá-lo dando mais força a um presidente da República que sonha em implantar um regime autoritário.”

Na entrevista, ainda critica medidas da agenda econômica do governo, como a reforma da Previdência, e diz que foram responsáveis pelo desempenho do PIB abaixo do esperado neste ano.

CÚMPLICES DE ERROS – Apesar de direcionar as reclamações ao Executivo, ele aponta uma parcela de deputados como cúmplices de resultados negativos.

“O centrão é sócio desse fracasso e não vai poder chegar nas eleições de 2022 e colocar a culpa só no governo e dizer ‘nós não temos nada com isso’, porque essa foi a agenda deles. É claro que o responsável maior (é) o presidente da República. Mas o centrão apoiou essas pautas, está apoiando essas reformas e vai acabar sócio do fracasso econômico que está se abatendo do Brasil”, afirma.

Líder da oposição até a semana passada, Molon diz que os partidos que não apoiam Bolsonaro têm agido para impedir retrocessos no Congresso apesar de serem criticados pelas suas bases. Ele, porém, defende que a oposição atue de modo a não prejudicar o país e cobra medidas de curto prazo para o combate ao coronavírus.

VOTANDO A FAVOR – “O PSB, por exemplo, não vota contra qualquer coisa que venha do governo só porque é do governo. Se mandar uma proposta que nós consideremos correta, nós votaremos a favor.”

Sobre as eleições municipais deste ano, Molon conta que o PSB tem conversado principalmente com Rede, PV e PDT com o objetivo de construir alianças nas principais capitais.

No Rio, sua cidade, ele afirma que o PSB ainda não bateu martelo sobre se apoiará Marcelo Freixo (PSOL-RJ), a delegada Marta Rocha (PDT-RJ) ou o ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello (Rede-RJ).

COMO TIRAR BOLSONARO – Em relação à disputa pela Presidência da República, em 2022, o deputado avalia que é preciso que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT deem espaço para que outros partidos concorram como cabeça de chapa na esquerda para tirar Bolsonaro do comando do Executivo Federal.

“Talvez até se a gente tivesse feito isso antes, a gente não chegaria onde chegou”, diz em referência à eleição de 2018, em que Fernando Haddad (SP) disputou pelo PT.

Molon cita o nome do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa como um dos mais competitivos para disputar a Presidência. Já aposentado, Barbosa é filiado ao PSB.

19 thoughts on “Congresso erra ao não impor limites a Bolsonaro, diz Alessandro Molon

  1. É do interesse da esquerdinha que o estado brasileiro continue do jeito que está, afinal, no seu governo recente passado , nunca ela roubou tanto, corrompeu e até matou.

    Com ela, esquerdinha, o prejuízo chegou a mais de 750 bilhões, com mais de 13 milhões de desempregados.

  2. O Molom é mais um sofista quando diz “…os partidos do chamado centrão — formado por PP, DEM, Republicanos, SD e PL — são sócios de resultados negativos na economia do país por apoiarem a agenda do governo….”
    Esquece o presidente do PSB que, como associado ao governo passado endossou todas as medidas, procedimentos e ações que levaram o País ao estado de coisas ora vivido.
    Discutir desenvolvimento, progresso, educação e essas coisas que levam à melhoria de vida e o respeito do Brasil no cenário internacional…..nada disso!
    Discutir a manutenção do privilégio da casta superior dos três poderes,…nada disso!
    Mais um oportunista e como presidente do PSB, possivelmente, de socialista não tem nada! É outro esquerdista do eixo Elizabeth-Ardem : New York-Londres-Roma e Paris!

  3. Esquerda, direita, centro… o que interessa aos boçais é a camiseta do time e a derrota dos adversários a qualquer custo. Não conseguem enxergar o país como a pátria, o chão que os acolhe, protege e deve ser de todos que a ele pertencem.
    Sendo do próprio partido é santo. Sendo de outro é pecador.
    Não temos governo. O que temos é a agremiação da hora defendendo interesses de seus aficionados, fanatizados, hipnotizados e ludibriados.

  4. 16/3 RODA VIVA recebe Ciro Gomes as 22h para entrevista sob comando de Vera Magalhães com os entrevistadores Fábio Zanini (jornal Folha de S. Paulo); Thaís Oyama (rádio Jovem Pan (UOL); Pedro Dias Leite (revista Época); Eduardo Kattah (jornal O Estadão) e Sergio Lamucci (jornal Valor Econômico). Ciro não tem poupado críticas ao governo Bolsonaro e deve disputar as eleições presidenciais de 2022. https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/03/14/uol-transmite-roda-viva-com-o-ex-ministro-ciro-gomes.htm

    MIL PREFEITOS E 10 MIL VEREADORES é uma meta ousada mas possível de ser alcançada por socialistas e trabalhistas juntos nas eleições municipais, desde que supridas as diferenças entre PDT e PSB, observando o gráfico acessível no link onde e a boa análise de Miguel do Rosário em vídeo de 19 minutos em que reforça esta ideia. https://www.ocafezinho.com/2020/03/13/video-as-consequencias-politicas-da-alianca-nacional-entre-pdt-e-psb

    PDT DE BLUMENAU entra no Fórum de Esquerda formado ainda por PT, PCdoB, PSOL, PCB e PCO, faltando PSB e Rede que devem ser procurados nos próximos dias. As esquerdas foram as primeiras forças a definirem os rumos para a sucessão municipal e podem se apresentar como terceira via, fortalecidas, suprindo a dispersão de quatro eleições passadas vencidas por Napoleão Bernardes (PSD) e João Paulo Kleinubing (DEM), este reeleito na última. https://omunicipioblumenau.com.br/sergio-de-oliveira-forum-de-partidos-de-esquerda-de-blumenau-se-fortalece-com-entrada-pdt/

    ALIANÇA PDT-PSB formalizada em Araraquara, como é desejada a partir de São Paulo, as direções partidárias se reuniram quinta-feira (12) selando a composição da frente “Araraquara Tem Jeito”. O pedetista local Pedro Baptistini afirmou que são 20 anos sem alternância de poder na cidade: “Lá na frente vamos conciliar os interesses do município com as questões programáticas, com projetos dos partidos em relação ao município e decidir quem vai encabeçar esse processo”, afirma. https://www.acidadeon.com/araraquara/politica/NOT,0,0,1491421,pdt+e+psb+fecham+bloco+para+disputar+as+eleicoes+municipais.aspx

    EM PALMAS após uma semana de especulações o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, pôs fim à polêmica sobre a necessidade da pré-candidatura do pedetista Milton Neris ser preterida por conta da aliança entre as duas legendas. A tese vinha sendo defendida pelo presidente do PSB do Tocantins, Carlos Amastha, e negada pelo presidente do PDT, Jairo Mariano. “É absolutamente certa a candidatura do companheiro vereador Milton [Neris]”, garantiu Lupi no vídeo. https://clebertoledo.com.br/politica/presidente-nacional-do-pdt-carlos-lupi-poe-fim-polemica-e-absolutamente-certa-candidatura-do-companheiro-milton-neris/

    PDT DE TERESINA se empenha formar para aumentar a representação na Câmara de Vereadores, atraindo candidatos com bom potencial de voto e lideranças de renovação que sejam detentoras de mandato. O vereador Evandro Hidd, que preside a sigla em brizolista na capital do Piaui, é atualmente o único pedetista com mandato na Câmara. https://cidadeverde.com/fenelonrocha/104310/aliado-de-kleber-pdt-atrai-nomes-para-formar-chapa-proporcional-forte

    Informe https://www.facebook.com/brizolismo/ Rede PDT

  5. O ser humano é um animal muito jeitoso, uns mais outros menos, o diabo é que todos, ou quase todos, estão sempre dando um jeito de puxar as brasas para as suas respectivas sardinhas, ainda que às vezes até podres. São raríssimos os que pensam em arrumar um jeito capaz de ajeitar a vida de todos, direita, esquerda e centro, podres, ricos e remediados, oposição e situação, portanto, um jeito desprendido de interesses financeiros, vaidades e ambições pessoais. E nesse país, em todos os seus 520 anos, encontrei apenas uma pessoa que pensou deste jeito, e garanto-lhes que não é o Raimundo Nonato (Prof. Raimundo), assim como eu tb não sou o puxa-saco do Mestre, mas vou lhes dizer pelo menos o apelido do Cara, que talvez seja mesmo um visionário missionário (e talvez o coronavírus, no caso, seja penas mais um aviso), que é o HoMeM do Mapa da Mina do bem comum do povo brasileiro, o HoMeM do Borogodó, que há cerca de 30 anos, com a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, completamente desprendido de interesses pessoais, tem nos oferecido de mão beijada todas as coordenadas para nos libertarmos do lixão político a céu aberto que ai está, há 130 anos, e que perfaz o sistema podre. O resto, que me desculpem a franqueza, é tudo mais dos mesmos, mais sofismas, mais bravatas, mais oportunismo, mais palanquismo vazio, mais embromação, mais mamação nas tetas do erário, mais perda de tempo, mais tempo perdido e mais retardamento face à Mega-Solução que se faz necessária, inevitável e inadiável.

  6. Qualquer vagabundo que se identificar como oposição a Bolsonaro terá holofotes da mídia.

    O molengão sabendo disso, aproveita para surfar nas ondas que batem no governo central.

    Muito antes de esse corrupto e estelionatário, que nos cobra salário integral e “trabalha” dois dias por semana, querer estabelecer limites para o presidente, deveria propor a si e seus cúmplices venais, ética e moral no comportamento do legislativo, pois não há explicações e tampouco justificativas, para se concederem proventos milionários mensais e privilégios, mordomias, regalias e penduricalhos indignos e revoltantes!

  7. Guedes resiste a ajudar ‘gigantes do mercado’

    O ministro Paulo Guedes tem resistido ao lobby das grandes companhias que estão enfrentando perdas bilionárias por causa do coronavírus.
    Guedes quer concentrar as medidas de ajuda a médias e pequenas empresas. A interlocutores, ele diz que não faz sentido apoiar oligopólios.
    Corretíssimo .

  8. Ademais, avisem o Molon que não é porque o Bolsonaro está errado que o Congresso e o STF estejam certos, e que o diga o golpe bandido praticado contra a primeira mulher presidente deste país, cujo patrimônio pessoal ninguém atacou até a presente data, ao que me consta, salvo engano, porque essa estória de “pedaladas fiscais”, neste país, estados e municípios, como motivo de cassação de mandato, é conversa fiada para boiada bandida passar ilesa e boi bandido continuar dormindo na sombra.

  9. Não é o Congresso, caro Molon … … … é o MP que tem que MODERAR!!!

    MP é independente, como qualquer Poder Constitucional … porém, não é harmônico!!! pois cabe ao MP puxar as orelhas do Poder que não estiver harmônico com outro(s).

    É só ler a CIDADÃ kkk KKK kkk

  10. Idiota Equerdopatra Protegido por Corruptos do PT, o Congresso ou cria vergonha na cara ou vão cair todos juntos, é isso a resposta do Povo Brasileiro. Ou será que Maia e Alcolumbre mandam mais que o Povo Brasileiro ???

  11. De uma hora para outra, aqueles que queriam e lutavam para tanto, que Lula se perpetuasse no poder, calavam-se diante da intenção golpista do PT, até porque os recursos tinham sido criminosamente roubados do povo e do país!

    AGORA, pelo fato de afastados do poder através de decisão popular, Bolsonaro é antidemocrático.

    Então, tá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *