Conhecimento, sabedoria e ação

Carlos Chagas

Francis Bacon, maior expressão da intelectualidade inglesa no período de Elizabeth I, várias vezes presidente da Câmara dos Lords, dispunha de tanto poder de síntese, clareza e objetividade em seus pronunciamentos que o receio de quantos o ouviam era de que parasse de falar.

Guardadas as proporções,  acontece o mesmo no Supremo Tribunal Federal quando Celso de Mello pede a palavra. Ministros, advogados, jornalistas e quantos o ouvem rendem-lhe pelo silêncio atento e contrito a maior homenagem às suas lições. Ao escrever uma  preciosidade, o “Ensaio Sobre a Honra e a Reputação”, Francis Bacon viu a Inglaterra a seus pés ao expor a importância do conhecimento, desde que acompanhado pela sabedoria, a ser seguida por ações capazes de beneficiar a Humanidade.

A mesma lição precisa ser ministrada quarta-feira pelo decano da mais alta corte nacional de Justiça, quando apresentar o voto decisivo que levará para as calendas o julgamento do mensalão, sufocando a credibilidade do Judiciário, ou demonstrará que pelo menos um dos Poderes da União segue cumprindo seu dever.

As lições de Francis Bacon indicariam que conhecendo em detalhes o processo, a sabedoria recomendaria seu encerramento imediato, sem as brumas dos embargos infringentes, para a obtenção como resultado não apenas o respeito ao Supremo Tribunal Federal, mas à garantia da paz pública.

EFEITOS

São conhecidos de ante-mão os efeitos que causaria nas ruas a concessão do  recurso a que se aferram os mais do  que julgados e condenados mensaleiros. A protelação por um ano ou mais desse processo que se arrasta desde 2005, mantendo os réus fora da cadeia, consolidaria o descrédito nacional na Justiça, confirmando ser ela para aplicação apenas sobre os que não dispõem de milhões para obstá-la.

Acresce ser conhecida a estratégia dos condenados: vão contestar a acusação de terem formado uma quadrilha, com o que evitariam uns tantos anos de regime fechado na prisão,  beneficiando-se com facilidades como a de passar o dia em liberdade, apenas dormindo em cadeias que não existem ou serão transformadas em hotéis de luxo.

Importa referir que o Procurador Geral da Justiça responsável pela denúncia contra os mensaleiros utilizou contra eles o substantivo de quadrilha, aceito integralmente pelos ministros do Supremo, até para condená-los, entre outros crimes, por  “formação de quadrilha”.  Ou não será quadrilha a ação de políticos, banqueiros, publicitários, dirigentes partidários e funcionários públicos empenhados num objetivo maior, de amealhar dinheiro sujo para comprar o voto de deputados  e garantir maioria governista?

O país permanece atento à sessão da próxima quarta-feira, no  Supremo, com os olhos fixos no ministro Celso de Mello, à espera da sentença que mata ou da palavra que salva. No caso,a honra  e a reputação nacionais…

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Conhecimento, sabedoria e ação

  1. O voto do ministro Celso de Mello deve, sim, inocentar essa quadrilha. Só assim o povo ficará nervoso, provocador, contestador e irá à praça para quebrar tudo. Se não aceitar os embargos infringentes a massa ignara vai achar que está tudo bem, foram presos e o Brasil começa do zero. O Brasil, que me perdoem, só começará a entrar nos trilhos o dia que o povo se rebelar e passar a tratar políticos e outros poderosos como agressores e meter-lhes o cacete (físico) e não com palavras.

  2. Todos estavam unidos, somando “esforços”, cada qual em sua “especialidade” e fazendo a sua parte para atingir o objetivo predeterminado de comprar votos no Congresso Nacional e transformar o Brasil em uma republiqueta de merda, a exemplo de seus vizinhos bolivarianos. Formavam um só bloco carnavalesco macabro.

    Uns estavam investidos na função pública, recebendo do Estado e com juramentos prestados de honestidade e fidelidade. Outros, não.

    A meu ver os que estavam investidos na função pública cometeram delitos piores, mais repugnantes. Mas foram condenados a penalidades menores. Os que não eram agentes públicos receberam penas maiores. Mas estes não teriam êxito sem os outros – e os outros não teriam êxito sem estes.

    Se isso não é quadrilha, deve ser bloco carnavalesco, ou, quem sabe, “Folia de Reis”.

  3. O voto de Celso de Mello poderá ou não levar o Pais a uma Convulsão Social. Mais de 1.000.000 de Brasileiros se preparam para postar-se a frente do STJ para fazerem manifestações de aplausos ou de pedido de fechamento do Órgão.
    Na opinião da maioria dos participantes desse movimento não aceitam que Ministros nomeados pelo atual Presidente ou pelo Ex votem nessa decisão. E como a maioria desses Ministros foram indicados por Dilma ou por Lula se tornam impedidos de apresentarem seus votos por estarem comprometidos com o PT e partidos de apoio do governo.
    O sangue desses brasileiros que preparam as manifestações esta fervendo dentro de suas veias por tanta corrupção e impunidade. Acorda Ministro Celso não deixe o Brasil sofrer esse pesadelo!!!

  4. Antonio Ranauro Soares

    Vc está mal informado ou é só tendencioso mesmo? Fux, Joaquim Barbosa e Carmem Lúcia também não foram indicados por Lula/Dilma, assim como Toffoli, Lewandovski, Zavascki, Rosa e Barroso? E não votaram contra os réus do PT? Se esses 8 ministros indicados por Lula/Dilma não votarem sobram só 3, pois no total são 11juízes. E aí como é que fica? Ah, e sabia que a Carmem Lúcia votou pela absolvição de Dirceu pelo crime de quadrilha também? Valha-me Deus, cada coisa que a gente lê aqui…o juiz é bom ou não se julgou contra o PT…disso não pode sair um país sério…

  5. Àqueles que invocam o rugido da turba em que se reduz o clamor público, cumpre considerar que, além do sacrossanto princípio de ampla defesa a ser privilegiado, sempre, inclusive neste caso, cumpre, especialmente aos cultos, filtrar este grito, amoldando-o ao “status” de opinião, modo civilizadíssimo em benefício de todos.

    Saudações libertárias.

  6. A verdade é que se nosso País de uma hora para outra tivesse homens que dirigem as 3 forças:Exército,Marinha e Aeronautica e se unissem e tomasse o governo da mao desses bandidos:presidentes ,senadorese deputados e colocassem gente de confiança deles em todos os lugares onde hoje impera a corrupçao e criassem leis severas para todos os crimes,e eliminassem o voto do povo,pois a maioria,a base da piramide sao formadas por pessoas sem nenhum caráter e sim miseraveis que vivem as custas do bolsa familia,que nao sabem o governante certo para colocarem la em Brasília,até por que esse governante nao existe,nenhum ha que tenha a força necessaria para que o povo possa acordar no outro dia sob um regime forte,exercido por 3 presidentes:1 do Exercito,1 da Aeronautica e 1 da Marinha,para mostrar a todos esses bandidos e a um povo bandido tambem,comprado por uma micharia que é o bolsa familia!

  7. Eu não posso acreditar que um jornalista de renome,formador de opinião escreveu esse comentário.É incrível que se iludam com um comentário tendencioso que cria um clima de que todos os problemas do Brasil dependem desse famigerado processo.Desculpem,porém essa turma esta morta politicamente,isso é o que interessava a eles.A prisão para eles é um belo descanso,pois possuem dinheiro,a mola mestre do nosso sistema carcerário,basta ver o caso do jornalista do estadão(vergonhoso).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *