Conselheiro do TCE fez “vaquinha” para ocultar enriquecimento ilícito de Cabral

 pé ao George Sadala em clima da "boquinha da garrafa", na porta do Hotel Ritz, enquanto os amigos caem na gargalhada ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Aloysio Neves é o segundo, em pé (da direita para a esquerda)

Italo Nogueira
Folha

O presidente eleito do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio, Aloysio Neves, teve três das últimas cinco declarações de imposto de renda enviadas pelo economista Carlos Eduardo Miranda, apontado pelo Ministério Público Federal como operador financeiro do esquema do ex-governador Sérgio Cabral. Dados de relatório da Receita Federal apontam que Miranda era o responsável pelo envio das declarações de Cabral, de seus familiares e auxiliares mais próximos. A lista também inclui Neves.

A participação do economista na vida fiscal do ex-governador e seus aliados foi usada pela procuradoria para mostrar a proximidade do suspeito com o peemedebista e pessoas de seu entorno.

O futuro chefe do TCE, órgão que analisa as contas do Estado, não é alvo de investigação da Operação Calicute. Ele tem foro privilegiado e qualquer inquérito aberto deve ser conduzido no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

NO GABINETE – Em nota, o conselheiro afirmou que se desvinculou profissionalmente de Cabral em 2003. Ele afirmou que conheceu Miranda no gabinete do peemedebista na Assembleia Legislativa. Disse que há dois anos o economista “não presta mais esse favor”.

Eleito por unanimidade para comandar o tribunal no biênio 2017-2018, Neves teve as declarações de renda enviadas por Miranda em 2012, 2013 e 2015, segundo a Receita.

Além dele e de Cabral, usaram os serviços de Miranda dois filhos, a ex-mulher, o irmão e um funcionário do ex-governador. Neves começou a trabalhar com Cabral na década de 1990, primeiro como assessor. Depois, se tornou chefe de gabinete quando o ex-governador presidiu a Assembleia, entre 1995 e 2003.

OUTRAS SITUAÇÕES – O conselheiro também foi citado em outras situações vividas pelo peemedebista. Ele aparece em algumas fotos que registravam confraternização de Cabral com empresários em Paris, em 2009. Entre eles estavam o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta. Em negociação para delação premiada, ele afirmou que na viagem presenteou Cabral com um anel de R$ 800 mil.

Neves também emprestou, em 1996, R$ 54 mil a Cabral para a compra de sua casa no Hotel Resort Portobello. O repasse ocorreu quando ele recebia R$ 5.400 mensais no gabinete do peemedebista. Outros dois funcionários do gabinete declararam empréstimos que justificaram a origem dos recursos para a compra do imóvel, caso revelado pela revista “Época”.

Escolhido em 2010 para o TCE, Neves nomeou em seu gabinete a cunhada do ex-governador Nusia Ancelmo Mansur. Ela pediu exoneração na semana passada, após a rádio Bandnews informar sua lotação.

OUTRO LADO – Aloysio Neves, disse, em nota, que não integrou o governo Sérgio Cabral, de quem se desligou profissionalmente em 2003. O conselheiro confirmou que conheceu Carlos Emanuel Miranda no gabinete de Cabral, onde trabalhou por 12 anos.

“No gabinete também trabalhava o sr. Carlos Miranda, contador por formação. Ele fazia as declarações de imposto de renda de vários colegas, mas desde o ano de 2014 não presta mais esse favor ao hoje conselheiro”.

Neves disse que as fotos de Paris foram feitas num jantar de confraternização após entrega da condecoração Ordem Nacional da Legião de Honra. Ele diz que estava de férias, “em viagem paga com seus próprios recursos”, quando foi convidado por Cabral para a comemoração.

Neves diz que Nusia Ancelmo Mansur é servidora do TCE desde 2002 e “os motivos de seu pedido de exoneração foram de ordem pessoal”.

Ele disse que Cabral pagou os R$ 54 mil emprestados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Aloysio Neves entrou na falsa “vaquinha” que foi organizada por Cabral para justificar a compra da propriedade em Portobello, e o publicitário Rogério Monteiro completou a farsa, ao declarar que pagava Sérgio Cabral por fora para fazer “consultorias políticas”, ou seja, o então presidente da Assembléia prestava serviços ilegais a uma empresa particular, mas não houve a menor providência para processá-lo. Na época, o governador Marcello Alencar preparou um dossiê devastador contra Cabral, mas acabou não exibindo, porque o então deputado também tinha um dossiê contra os filhos de Alencar, Marco Aurélio (Secretário da Fazenda) e Marco Antônio (Chefe da Casa Civil). Como dizia nosso amigo Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. (C.N.)

19 thoughts on “Conselheiro do TCE fez “vaquinha” para ocultar enriquecimento ilícito de Cabral

  1. “O STF se ajoelha espontaneamente (O Antagonista)

    Brasil 07.12.16 22:12
    Leiam o que o Estadão publicou:

    “Parlamentares vão pressionar o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, Osmar Serraglio (PMDB-PR), para incluir na pauta da próxima semana um projeto de lei que prevê o crime de responsabilidade para ministros do SupremoTribunal Federal (STF) por usurpação de competência do Poder Legislativo ou do Executivo. Serraglio, no entanto, já afirmou que não é hora de pautar matérias que causam ‘celeuma’.”

    Não é preciso forçar o STF a ficar de joelhos, pessoal — o tribunal se ajoelha espontaneamente.”

  2. “MACHADO – Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer].

    JUCÁ – Só o Renan [Calheiros] que está contra essa porra. ‘Porque não gosta do Michel, porque o Michel é Eduardo Cunha’. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha está morto, porra.

    MACHADO – É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.

    JUCÁ – Com o Supremo, com tudo.

    MACHADO – Com tudo, aí parava tudo.

    JUCÁ – É. Delimitava onde está, pronto.”

  3. Alô pessoal do Roda Viva:

    O Imperador Renan mandou avisar que quer uma entrevista igualzinha a do Temer no programa de vocês. Com os mesmos jornalistas e a mesma sabujice…..kkkkkkk

    Só não vale perguntar como ele conheceu a Monica Veloso…..kkkkkkkkkk

  4. “O ano da Rio-16 nem terminou e o legado olímpico está aí para desmoralizar as nossas vítimas da síndrome de cadela no cio.

    Basta passar em frente da ALERJ para ver o tamanho do legado olímpico.

    Aprovou-se a redução dos salários do governador e de seu secretariado para, em seguida, tungar os menos favorecidos?

    E desde quando ele e seus secretários precisam de salários para sobreviver, se vivem de rapinagem, assim como as primeiras-damas?

    Hipocrisia pouca é bobagem.

    Tanta que o novo prefeito paulistano nomeou o ex-secretário da Segurança fluminense, José Mariano Beltrame, para presidir um conselho na área em São Paulo, ele que participou da gestão de Sérgio Cabral e nem desconfiou da roubalheira instalada no governo de que participava como eminência parda.”

    http://blogdojuca.uol.com.br/2016/12/caosriocas/

  5. Personalidades dos Anos Perdidos

    Premio IstoÉ aos Brasileiros do Ano:

    2003 – Palocci (do ano)
    2004 – Zé Dirceu (do ano)
    2007 – Ricardo Teixeira (do esporte)
    2008 – Sérgio Cabral (gestão pública)
    2010 – Dilma (do ano, gestão pública),
    Aécio (da política) e Lula (da década)
    2011 – Beltrame (do ano)
    2012 – Mantega (do ano)
    2013 – Felipão (esporte)
    2014 – Pezão (política)
    2016 _ Temer (do ano)

    =====================
    Premio do Cabral (imagem):

    http://tinyurl.com/jth9dzu

    =====================

    http://www.sensacionalista.com.br/2016/12/07/os-homens-do-ano-da-isto-e-nas-edicoes-anteriores-parecem-ainda-mais-coisa-do-sensacionalista-confira/

  6. 08.12.2016

    Depois desse julgamento só resta desejar
    um feliz Dia da Justiça a todos…..
    Especialmente ao mui patriótico “Guardião da Constituição” STF…..kkkkkkkkkk

  7. Caro Newton, o TCE deveria ser fechado, aprova a corrupção, no Estado, está esse arraso, o funcionário amargando, e pondo sua vida em risco, ao enfrentar a policia, que defende os sinistros deputados. Na minha cidade, aprova os roubos, em razão disso, como Conselheiro da Saúde, em 2006, mandei fechar, por sua inutilidade e alto custo ao trabalhador, este ano, o Globo publicou que o Presidente atual levou 1 milhão, a Mídia, tem publicado, durante anos, a corrupção no TCE, mas, nada acontece, pois todos tem o rabo preso, para dignificar a administração pública. Roubo do Cofre público, sem prescrição, pena máxima de prisão, sem qualquer regalia, por ser crime hediondo, esses ladrões, com sua metralhadoras canetas, em seu ar condicionado e chamados de excelência, realmente são: em roubar o povo; são piores que o metralhas que enfrentam a policia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *