Conselho de tica ouve esta tera-feira as testemunhas de defesa de Andr Vargas

Naira Trindade
Correio Braziliense

O Conselho de tica da Cmara cancelou a reunio prevista para ouvir nesta segunda-feira (28/7) testemunhas de defesa do deputado Andr Vargas (sem partido-PR). Outros depoimentos esto marcados para esta tera-feira, com o coordenador operacional da Arquidiocese de Aparecida, Denir Campos, e o consultor jurdico do Ministrio da Sade Fabrcio de Oliveira Braga, s 14h, no plenrio 11 da Cmara. Tambm est convidado a depor o prprio deputado Andr Vargas. Mas ele ainda no confirmou se participar da sesso.

Finalizada amanh a fase de instruo do processo, o relator Jlio Delgado (PSB-MG) pretende concluir at o relatrio a tempo de ser analisado no esforo concentrado, nos dias 5 e 6 de agosto. Se no houver interpelao judicial, terei dez dias para encerr-lo e pode ser que consiga apresent-lo para o esforo concentrado, diz Delgado.
Andr Vargas responde ao processo por quebra de decoro parlamentar pelo envolvimento com o doleiro preso pela Polcia Federal na Operao Lava-Jato Alberto Youssef. Vargas acusado de atuar em favor da Labogen no fechamento de um contrato milionrio junto ao Ministrio da Sade. Vargas nega.
###
NOTA DA REDAO DO BLOGAndr Vargas tem um encontro marcado com a cassao. Foi abandonado pelo PT, ameaou “abrir a boca”, mas o comando petista no levou f. Sua defesa apenas para ganhar tempo e seguir na iluso de que um dia foi um poltico de alguma importncia. Sua carreira poltica simplesmente acabou. (C.N.)

3 thoughts on “Conselho de tica ouve esta tera-feira as testemunhas de defesa de Andr Vargas

  1. QUANTO CUSTA UM ANEL DE GIGES?
    Lenda narrada por Plato, na sua obra, A Repblica, fala de um pastor que teria, em suas andanas, encontrado um anel fabuloso, o qual daria o dom da invisibilidade a quem o portasse. Desde ento, quando o pastor intentava executar um ato reprovvel publicamente, ele enfiava o anel no dedo para no ser percebido.
    Por vezes, chega-se a pensar que a classe poltica foi eleita bode expiatrio. Pois existe um estmulo da mdia para escrachar a classe. Ou porque os meios de comunicao pertencem a grupos polticos e/ou porque esto a servio deles; afinal, esculhamb-los, rende votos ou tira votos. Uma autoridade eleita pelo voto popular, representa, em ltima anlise, o suprassumo de um eleitorado com suas virtudes e vicissitudes. Como pode um barco se manter inerte sobre um mar revolto? Um palhao no ousaria contar piadas para uma plateia sisuda, pois no ambiente no iria ocorrer um feedback. Seria o mesmo que um camaleo vermelho tentar se esconder do seu predador em uma floresta verde. Enfim, um bandido de grosso calibre s prospera quando encontra ressonncia na sociedade qual est inserido, igualmente bandida. Atualmente, em nosso pas, um gesto de honestidade tornou-se to raro, que quando ocorre, divulgado em rede nacional, como se no fosse uma obrigao moral, que dispensasse as quatro paredes.
    Sem querer partir do particular para o geral, na regio onde habito, se o sujeito tem algo de valor significativo para vender, a quem o vendedor procura? – Um traficante ou um pastor, bvio! O porqu destas duas preferncias de domnio do mais ingnuo dos brasileiros!

    • Benigno, a classe poltica no foi transformada no bode expiatrio. Ela o bode dentro da sala. A certeza da impunidade tem transformado os polticos em ladres do dinheiro pblico sem o menor respeito pelo cidado que paga os pesados impostos sem uma retribuio de servios, eu diria, pelo mnimo aceitveis. A honestidade, passa hoje, longe dos executivos e legislativos e temos at um judicirio bem contaminado. Na verdade, se o nosso judicirio j no estivesse devidamente contaminado, quantos dos atuais candidatos poderiam realmente concorrer a um cargo eletivo? Talvez, nem 20%. Somos o pas dos fichas-sujas que so autorizados a concorrer por um judicirio subserviente. Em outubro, temos a oportunidade de tirar os bodes da sala e para sempre.

Deixe um comentário para Paulo_2 Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.