Continua difícil encontrar um adversário que possa evitar a reeleição de Bolsonaro em 2022

TRIBUNA DA INTERNET | Archives | 2018 | outubro | Page 3

Charge do Thomate (Arquivo Google)

J. R. Guzzo
Estadão

Quando o ex-presidente Lula foi solto há exatamente um ano, após ser condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e ficar 18 meses na cadeia, muito se escreveu e se falou para tentar descobrir o que o futuro iria trazer para o Brasil. Com Lula de volta à vida política, pelo que então se presumia, “muita coisa” podia acontecer, embora ninguém se aventurasse a dizer com mais clareza que coisas seriam essas.

A questão, em português claro, era a seguinte: Lula seria o grande nome, ou o único nome viável, para disputar com o presidente Jair Bolsonaro as eleições de 2020? E se fosse: poderia ganhar e levar?

FICHA SUJA – Havia o inconveniente de Lula estar proibido por lei de se eleger para qualquer cargo público, após sua condenação penal em três instâncias, mas e daí? A questão iria para o STF e nenhum dos aliados do ex-presidente achava que isso poderia realmente ser um problema sério – até o imperador Nero, que matou a própria mãe, tocou fogo em Roma e crucificou São Pedro de cabeça para baixo, seria absolvido pelo STF se caísse na Turma certa.

 “Vamos para a briga”, disse Lula ao ser solto. Mas não aconteceu nada – e logo ficou claro que ele continuava do mesmo tamanho que tinha quando foi preso, ou menor ainda. Quer dizer: estava bichado como um rival para valer de Bolsonaro.

DESERTO DE CANDIDATOS – De lá para cá, por mais tumultos que o governo tenha gerado para si próprio, foi se tornando claro que há um deserto de candidatos capazes de encarar o projeto de reeleição do presidente com possibilidades reais de sucesso. Agora, com o resultado das eleições municipais, ficou ainda mais difícil olhar para o outro lado e fazer de conta que a questão não existe.

Lula, após um ano em estado de coma político, não voltou ao mundo dos vivos. Ao contrário, seu PT saiu arrasado das urnas: dos 630 prefeitos que tinha em 2012, ficou com 179. Se ganhar todas as quinze disputas que vai ter no segundo turno, o problema fica igual.

ESQUERDA ESFARELADA – O PT, que já teve as prefeituras de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Belo Horizonte e de Fortaleza, corre o risco real de não eleger um único prefeito nas 27 capitais do Brasil. O candidato do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, a cidade que tem o maior número de trabalhadores em todo o país, ficou em sexto lugar, com uma votação calamitosa – a pior de toda a sua história. Seus companheiros de “esquerda”, reais ou de fantasia, não fizeram melhor.

 O PSDB, que era inimigo e hoje tenta ser aliado, na suposição de “construir uma alternativa” para 2022, foi o pior de todos: conseguiu perder 273 das prefeituras que tinha, um recorde nacional. O PSB, que pretende ser um PT em embalagem premium, performou o terceiro maior desastre da eleição, perdendo 153 prefeitos. O PCdoB foi dizimado: ficou com metade das suas prefeituras. O PSOL, enfim, até pode dizer que dobrou de tamanho – mas isso significa que foi de dois prefeitos para quatro.

NÃO HÁ OPOSITOR – E o inimigo? Os candidatos de Bolsonaro, ou aqueles que usaram o seu nome na campanha, foram a pique nas grandes cidades, sobretudo em São Paulo – mas não é o deputado Celso Russomanno quem vai disputar a Presidência em 2022.

Os quatro maiores partidos do Centrão – os que mais ganharam nessa eleição, levando em conjunto 600 prefeitos a mais do que tinham – não são aliados do governo. Mas também não são contra; aliás, não são contra nenhum governo.

O que faria diferença é outra coisa: o fortalecimento de um nome capaz de levantar 70 milhões de votos e impedir a reeleição do presidente. As eleições municipais não mudaram a realidade que interessa na prática. Não havia opositor de verdade para Bolsonaro. Continua não havendo.

11 thoughts on “Continua difícil encontrar um adversário que possa evitar a reeleição de Bolsonaro em 2022

  1. Luiz Philippe é um bom nome. Tarcisio de Freitas um ótimo nome. Bolsonaro o melhor nome.

    Lula inelegível é carta fora do baralho. Ciro perdeu todas e se for candidato perde de novo. Huck é nulo. Dória é fraco e ninguém confia. Talvez só o PSDB e olhe lá. Marina é traço na certa. Mourão não tem voto. Witzel sumiu! Vai ficar só no desejo. Moro poderia ser se inviabilizou. Quem votaria nele da direita, centro ou esquerda? Uma cadeira no senado é a melhor opção pra ele.

    Só existem três possibilidades de o Bolsonaro não ganhar a reeleição: Ele morrer. Surgir um outro Adélio para assassiná-lo. Um golpe que o tire da disputa. Fora isso, nem se esforçando perde.

    #GuzzoTemRazão!

  2. A frase escrita por Guzzo no artigo:

    “… até o imperador Nero, que matou a própria mãe, tocou fogo em Roma e crucificou São Pedro de cabeça para baixo, seria absolvido pelo STF se caísse na Turma certa.” é prova cabal do incrível e descomunal grau de desmoralização que chegou o STF com a mudança da capital para Brasília.

    Acabou a decência e a vergonha na cara.

  3. Guzzo errou, pois o PT nunca aimistrou a cidade do Rio de Janeiro, e nem o estado, graças a Deus.
    Essa loucura, o carioca e os fluminenses não fizeram, e não hão de fazer, aí seria pior que Garotinho, Rosimha, Sérgio Cabral e Witzel juntos.
    Quando o despreparado JK levou a capital para Brasília, num golpe baixo xontra o Brasil, sacudimos a poeira e demps2 a voçta por cima, mas se tivéssemos uma administração do partido do ex presidiário luiz Inácio, seria impossível imaginar o que faríamos.
    O Rio é, e sempre será a capital cultural do país, mas não resistiria à bandidagem petista.
    Nossa cidade é a mais linda do mundo e petista aqui só como eleitor, e basta.

    • Sr. Roberto Velasquez,

      O Rio de Janeiro acabou!!
      Nem presisava do pt.

      O rio de janeiro só pode ser a capital do narcotráfico que aliás,
      esse título já tem.

      Quanto a beleza da cidade, pergunto: de que adianta se nem podemos colocar o “focinho” pra fora de casa?

      Moro no Leme e estou querendo sair de casa desde meio dia e até agora estou preso na minha casa até o momento da minha postagem.
      Veja o horário por favor…
      Nem quero ir passear, quero ir pro Hospital falar com o médico onde minha querida mãe está internada no Hospital São Lucas em Copacabana.

      A praia está com um viés de favela braba!!
      Completamente invadida por gente porca, suja e mal educada.
      É lamentável!

      O Hell tá um trapo velho e esgarçado.

      Já perdeu até o posto de Capital Cultural pra São Paulo.
      Temos que reconhecer que não há mais nenhum atrativo nesta cidade a não ser a miséria, favelas, traficantes, milicianos e tudo o pior que se pode esperar de um verdadeiro inferno.

      A cidade mais linda do mundo é a que encontramos paz pra viver.

      Atenciosamente.
      JL

  4. Com o rotundo fracasso da esquerda neste segundo turno o Pinóquio só perde para ele mesmo neste momento. Mas não perco a fé em Deus, até o fim de 2021 aparecerá alguém com potencial para derrotar o Pinóquio nas urnas. A lista dos ruins de votos aumentou hoje, o 51 foi outro que entrou nela, candidatos que contavam com o decisivo apoio dele não contaram com o apoio dos eleitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *