Continua o mistrio: quem o corrupto felizardo que movimentou R$ 282 milhes e ligado ao Tribunal Regional do Trabalho no Rio?

Carlos Newton

Na ansiada entrevista coletiva no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), segunda-feira, quem apareceu foi o vice-presidente Carlos Alberto Araujo Drummond, que disse no saber qual foi o magistrado ou servidor que movimentou, em 2002, R$ 282, 9 milhes.

A transao foi considerada atpica, segundo relatrio do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), divulgado semana passada. As informaes, que foram entregues pelo Coaf Corregedoria do Conselho Nacional de Justia (CNJ), indicam que apenas uma pessoa do TRT-RJ movimentou a quantia.

So consideradas transaes atpicas pelo Coaf as operaes financeiras que fogem dos padres bancrios e do sistema de preveno lavagem de dinheiro. Entre 2000 e 2010, foram identificadas R$ 855,7 milhes de operaes do tipo, feitas por juzes e servidores do Judicirio. E o caso mais grave foi Tribunal do Trabalho no Rio de Janeiro.

De acordo com o vice-presidente Drummond, o Tribunal j est pedindo esclarecimentos ao CNJ, porque as movimentaes financeiras so protegidas por sigilo fiscal. Seria crime se eu soubesse quem fez essas movimentaes ou violasse qualquer sigilo fiscal – disse Drummond, ressaltando que divulgar o nome do responsvel pela transao atpica assim que o tribunal souber.

Como se sabe, na ltima sexta-feira a seo estadual da Ordem dos Advogados do Brasil enviou ofcio ao TRT-RJ pedindo que o tribunal apresentasse quem realizou a transao milionria. Se for comprovada movimentao irregular ou ilcita de servidor ou de algum juiz, a OAB-RJ espera que o Ministrio Pblico Federal abra investigaes.

Para o presidente da OAB do Rio, Wadih Damous, o mais importante que h magistrados que no resistem a um sistema de transparncia. Os indcios (de irregularidades) so muitos. Se constituem crime ou conduta irregular o que queremos saber. Os juzes, a associao dos magistrados, em vez de clamar tanto por sigilo, deveriam clamar por publicidade. Como servidores, tm a obrigao da transparncia, mostrar que no tm nada a temer. Mostrar que sua movimentao, mesmo atpica, foi regular – declarou.

A corregedoria do Conselho Nacional de Justia, que recebeu os dados sobre as movimentaes irregulares, repassou na ltima sexta-feira as informaes ao Supremo Tribunal Federal, que vai decidir se cassa ou no os poderes de investigao do rgo de controle do Judicirio, vejam a que ponto chegamos.

Agora, o presidente da OAB-RJcansou de esperar a divulgao do nome do multimilionrio do Tribunal Regional do Trabalho da 1 Regio e anunciouque pretende acionar o Ministrio Pblico para investigar as movimentaes financeiras atpicas. a pergunta que no quer calar: quem esse funcionrio ou magistrado to sortudo em matria de finanas. Deveria ser nomeado ministro da Fazenda. Ningum consegue mexer com dinheiro to bem quanto ele, no mesmo?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.