Contratação de médicos cubanos ou de médicos petistas formados em Cuba?

Christian Cardoso

Precisa e lúcida a análise do jornalista Helio Fernandes acerca do “faturamento eleitoreiro” que os ocupantes de postos estatais querem emplacar, junto à população mais humilde, com a contratação de “médicos estrangeiros”.

Sem pretensão de esgotar o tema, em conversa com amigos médicos, também posicionados contra tal “política de saúde pública”, eles me informaram que o PT recruta sazonalmente “militantes” para fazer o curso de Medicina em Cuba.

Para ser “selecionado” e fazer jus às “bolsas”, estão, entre os requisitos, ser filiado há mais de dois ao partido e ter “indicação de instância partidária” (municipal, estadual ou nacional). (http://www.ptsul.com.br/?doc&mostra&14665)

O Conselho Federal de Medicina dá conta de que a maioria dos médicos formados no exterior não consegue aprovação nos respectivos exames de revalidação de diploma. Portanto, em nosso humilde entendimento, a abertura para a contratação de médicos “estrangeiros”  ensejará a “flexibilização” da validação dos diplomas dos médicos cubanos (inclusive dos “bolsistas militantes”), como também de outra legião médicos que se formam em países como a Bolívia os quais, atualmente, não estão legalmente habilitados a exercer a Medicina no Brasil.

Mas que República é essa?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

29 thoughts on “Contratação de médicos cubanos ou de médicos petistas formados em Cuba?

  1. O TEXTO, ACIMA É DE UMA MÁ FÉ TOTAL, NA MINHA OPINIÃO NADA QUE SE FAÇA TEM UM PONTO POSITIVO, COM CERTEZA O GOVERNO SIM TINHA QUE TOMAR UMA POSIÇÃO. REAFIRMO, QUE O TEXTO DE CHRISTIAN CARDOSO, É DE UMA MÁ FÉ TOTAL

  2. Duvide-ó-dó se não mas apostas minhas bolas , todos que fazem esse alarido ou trabalham para os planos de saúde , ou tem seus planos próprios e não dependem do sistema público de saúde. Não sabem o que é o frio de um hospital sem médico quando se precisa.

  3. Os senhores não gritaram, não xingaram nem ameaçaram com polícia aos Roger Abdelmassih, o estuprador, nem contra o infeliz que extorquiu R$ 1.200 para fazer o parto de uma adolescente pobre, nem contra os doutores dos dedos de silicone, nem contra os espertalhões da maternidade paulista cuja única atividade era bater o ponto.

  4. Sejamos sinceros como explicar o alto indice de mortalidade na relação internamento, nos hospitais daqui? É claro, a atividade dos medicos cubanos, mostram ser eles, mais competentes que a maioria dos nossos, quanto a salvar vidas.

  5. Vai faltar taxista em Cuba e agora o PT inova com prescrições a digital (dedo). Coitado deste pobre povo pobre. Ou morrem por falta de médico ou morrem por excesso de “médico”.

  6. Nos hospitais públicos faltam , entre outras coisas:gazes, algodão, esparadrapo,seringa, antibiótico, aparelho para fazer um simples raio X do tórax, e, por aí vai.Se os médicos cubanos têm a varinha mágica para fazer medicina sem materiais e instrumentos, devem ser considerados fora de série.
    A vice-ministra da ilha do Fidel,andou dando seus pitacos, e, todos que comentam aqui no blog da TI sabem do que eu falo(está em toda mídia).Foi um achincalhamento a nossa nação.Jogou as leis brasileiras no lixo.
    Ninguém do governo fala, pois são coniventes.

  7. Assine

    Em vez Havana?

    O debate sobre a chegada de médicos cubanos é vergonhoso. .

    Do ponto de vista da saúde pública, temos um quadro conhecido. Faltam médicos em milhares de cidades brasileiras, nenhum doutor formado no país tem interesse em trabalhar nesses lugares pobres, distantes, sem charme algum – nem aqueles que se formam em universidades públicas sentem algum impulso ético de retribuir alguma coisa ao país que lhes deu ensino, formação e futuro de graça.

    Respeitando o direito individual de cada pessoa resolver seu destino, o governo Dilma decidiu procurar médicos estrangeiros. Não poderia haver atitude mais democrática, com respeito às decisões de cada cidadão.

    O Ministério da Saúde conseguiu atrair médicos de Portugal, Espanha, Argentina, Uruguai. Mas continua pouco. Então, o governo resolveu fazer o que já havia anunciado: trazer médicos de Cuba.

    Como era de prever, a reação já começou.

    E como eu sempre disse neste espaço, o conservadorismo brasileiro não consegue esconder sua submissão aos compromissos nostálgicos da Guerra Fria, base de um anticomunismo primitivo no plano ideológico e selvagem no plano dos métodos. É uma turma que se formou nesta escola, transmitiu a herança de pai para filho e para netos. Formou jovens despreparados para a realidade do país, embora tenham grande intimidade com Londres e Nova York.

    Hoje, eles repetem o passado como se estivessem falando de algo que tem futuro.

    Foi em nome desse anticomunismo que o país enfrentou 21 anos de treva da ditadura. E é em nome dele, mais uma vez, que se procura boicotar a chegada dos médicos cubanos com o argumento de que o Brasil estará ajudando a sobrevivência do regime de Fidel Castro. Os jornais, no pré-64, eram boicotados pelas grandes agencias de publicidade norte-americanas caso recusassem a pressão americana favorável à expulsão de Cuba da OEA. Juarez Bahia, que dirigiu o Correio da Manhã, já contou isso.

    Vamos combinar uma coisa. Se for para reduzir economia à política, cabe perguntar a quem adora mercadorias baratas da China Comunista: qual o efeito de ampliar o comércio entre os dois países? Por algum critério – político, geopolítico, estético, patético – qual país e qual regime podem criar problemas para o Brasil, no médio, curto ou longo prazo?

    Sejamos sérios. Não sou nem nunca fui um fã incondicional do regime de Fidel. Já escrevi sobre suas falhas e imperfeições. Mas sei reconhecer que sua vitória marcou uma derrota do império norte-americano e compreendo sua importância como afirmação da soberania na América Latina.

    Creio que os problemas dos cidadãos cubanos, que são reais, devem ser resolvidos por eles mesmos.

    Como alguém já lembrou: se for para falar em causas humanitárias para proibir a entrada de médicos cubanos, por que aceitar milhares de bolivianos que hoje tocam pedaços inteiros da mais chique indústria de confecção do país?

    Denunciar o governo cubano de terceirizar seus médicos é apenas ridículo, num momento em que uma parcela do empresariado brasileiro quer uma carona na CLT e liberar a terceirização em todos os ramos da economia. Neste aspecto, temos a farsa dentro da farsa. Quem é radicalmente a favor da terceirização dos assalariados brasileiros quer impedir a chegada, em massa, de terceirizados cubanos. Dizem que são escravos e, é claro, vamos ver como são os trabalhadores nas fazendas de seus amigos.

    Falar em democracia é um truque velho demais. Não custa lembrar que se fez isso em 64, com apoio dos mesmos jornais que 49 anos depois condenam a chegada dos cubanos, erguendo o argumento absurdo de que eles virão fazer doutrinação revolucionária por aqui. Será que esse povo não lê jornais?

    Fidel Castro ainda tinha barbas escuras quando parou de falar em revolução. E seu irmão está fazendo reformas que seriam pura heresia há cinco anos.

    O problema, nós sabemos, não é este. É material e mental.

    Nossos conservadores não acharam um novo marqueteiro para arrumar seu discurso para os dias de hoje. São contra os médicos cubanos, mas oferecem o que? Médicos do Sírio Libanês, do Einstein, do Santa Catarina?

    Não. Oferecem a morte sem necessidade, as pragas bíblicas. Por isso não têm propostas alternativas nem sugestões que possam ser discutidas. Nem se preocupam. Ficam irresponsavelmente mudos. É criminoso. Querem deixar tudo como está. Seus médicos seguem ganhando o que podem e cada vez mais. Está bem. Mas por que impedir quem não querem receber nem atender?

    Sem alternativa, os pobres e muito pobres serão empurrados para grandes arapucas de saúde. Jamais serão atendidos, nem examinados. Mas deixarão seu pouco e suado dinheiro nos cofres de tratantes sem escrúpulos.

    Em seu mundo ideal, tudo permanece igual ao que era antes. Mas não. Vivemos tempos em que os mais pobres e menos protegidos não aceitam sua condição como uma condenação eterna, com a qual devem se conformar em silêncio. Lutam, brigam, participam. E conseguem vitórias, como todas as estatísticas de todos os pesquisadores reconhecem. Os médicos, apenas, não são a maravilha curativa. Mas representam um passo, uma chance para quem não tem nenhuma. Por isso são tão importantes para quem não tem o número daquele doutor com formação internacional no celular.

    O problema real é que a turma de cima não suporta qualquer melhoria que os debaixo possam conquistar. Receberam o Bolsa Família como se fosse um programa de corrupção dos mais humildes. Anunciaram que as leis trabalhistas eram um entrave ao crescimento econômico e tiveram de engolir a maior recuperação da carteira de trabalho de nossa história. Não precisamos de outros exemplos.

    Em 2013, estão recebendo um primeiro projeto de melhoria na saúde pública em anos com a mesma raiva, o mesmo egoísmo.

    Temem que o Brasil esteja mudando, para se tornar um país capaz de deixar o atraso maior, insuportável, para trás. O risco é mesmo este: a poeira da história, aquele avanço que, lento, incompleto, com progressos e recuos, deixa o pior cada vez mais distante.

    É por essa razão, só por essa, que se tenta impedir a chegada dos médicos cubanos e se tentará impedir qualquer melhoria numa área em que a vida e a morte se encontram o tempo inteiro.

    Essa presença será boa para o povo. Como já foi útil em outros momentos do Brasil, quando médicos cubanos foram trazidos com autorização de José Serra, ministro da Saúde do governo de FHC, e ninguém falou que eles iriam preparar uma guerrilha comunista. Graças aos médicos cubanos, a saúde pública da Venezuela tornou-se uma das melhores do continente, informa a Organização Mundial de Saúde. Também foram úteis em Cuba.

    Os inimigos dessas iniciativas temem qualquer progresso. Sabem que os médicos cubanos irão para o lugar onde a morte não encontra obstáculo, onde a doença leva quem poderia ser salvo com uma aspirina, um cobertor, um copo de água com açúcar. Por isso incomodam tanto. Só oferecem ameaça a quem nada tem a oferecer aos brasileiros além de seu egoísmo.

    Compartilhar

    Imprimir

    publicidade

    .

  8. Tem um video no blog do Josias de Souza, contando o que são os medicos brasileiros. O que fazem para acabar com o resto da saude do brasileiro. O video foi postado agora agora pouco. Vejam s pulhas de branco

  9. Caro Cesar, FORTALEZA.
    Uma inspeção nos hospitais seria uma boa medida. Política contrária e feroz, pelo modo que não mede esforço para atacar o governo, é capaz de esconder o material hospitalar.
    Já houve caso de venda de material. Já houve caso de propina para quebra de RX. Neste caso os pacientes são obrigados a procurar atendimento particular. Isto já se falava quando eu residia no interior nos anos 56. Paciente nome muito bem empregado, pois tem mesmo que ter paciência. Sou a favor de inspeção de surpresa. Conferência na fonte do material enviado para ser cruzado nos hospitais. Só assim se poderá comprovar outros casos de corrupção. Onde está o MP que luta para investigar. Está na hora de começar.

  10. Francisco de Assis,
    Cometes um erro crasso e imperdoável, pois generalizas com tamanha irresponsabilidade que a tua afirmação sobre os médicos brasileiros – “Tem um video no blog do Josias de Souza, contando o que são os medicos brasileiros.” – beira à criminalidade!
    Como que apenas de um vídeo podemos classificar uma categoria de profissionais desta forma como fazes?
    Perdeste o senso das medidas?!
    O sectarismo te subiu à cabeça de tal forma que perdeste até mesmo o juízo?!
    Que existam médicos negligentes, que não queiram trabalhar no interior, que não se sujeitam às dificuldades do SUS é fato, mas a maioria absoluta honra o seu diploma ou não estarias entre nós, Francisco de Assis, a criticá-los de forma injusta e leviana porque já teriam te dado um remédio errado ou uma vacina inapropriada e estarias fazendo parte do além.
    Quanta estupidez da tua parte – e como evitei entrar nesta discussão contigo! – elegeres os médicos brasileiros como culpados pelo deficiente atendimento do SUS, e buscas nessa mesma categoria, porém de profissionais cubanos(!), a solução para nossos problemas!?
    Mas que raio de brasileiro que és, Francisco de Assis, que trais deste jeito o teu próprio povo, em nome de um governo omisso e corrupto, incompetente e incapaz de resolver esta questão que se arrasta há anos?!
    Por que cargas d’água os médicos brasileiros se tornaram inimigos da população?! Porque o teu governo petista assim decidiu, e cumpres com as ordens sem questioná-las?
    Quanta barbaridade que alguns estão escrevendo neste espaço democrático a respeito dos profissionais brasileiros, ofendendo-os, agredindo-os, tratando-os como reles culpados de uma situação caótica do SUS como se eles o administrassem, orquestrasssem seus orçamentos, e negassem à população os recursos necessários às melhorias neste atendimento!
    Pobre gente, que sequer desconfia o quanto está sendo manipulada covardemente através do apelo emocional, que a vinda de médicos de Cuba resolverá, como por encanto, todos os problemas que não podem agora ser postos de lado de maneira solerte, enganadora, ilusória, dando a entender que nossos impasses se resumem à quantidade de médicos e no interior do Brasil.
    E como ficarão os pacientes das capitais, Francisco de Assis?
    Suas consultas com especialistas terá o tempo de espera diminuído?
    A falta de aparelhos sofisticados para diagnóstico será compensada pela presença dos cubanos?
    As filas para leitos será resolvida através da contratação desses profissionais?
    Por outro lado tu ainda escreveres que eles são mais competentes que os brasileiros, sinceramente, me causas vergonha de eu ser teu compatriota, se tu não soubesses tanto quanto eu sei do estágio de miséria dos hospitais de Havana, e a falta de relações e conhecimentos internacionais proibidas pelo regime ditatorial da ilha, inclusive Internet, que impedem o estudante de medicina e médico ficarem a par do desenvolvimento da ciência para certos males!
    Olha, eu não esperava este tipo de reação partidária miserável, traidora da Pátria, ideológica, mas um debate sério, honesto, isento, e não tendencioso, mentiroso, e de falsas acusações contra uma categoria que pratica milagres diariamente!
    Não aceito e repudio, Francisco de Assis, a tua conduta deplorável como brasileiro nesta questão.

  11. Quero ver se esse sr. Francisco se tratará com um médico cubano…
    Sr.Bendl, parabéns pelo seu texto! Os traidores da Pátria fazem de tudo para enaltecer esse governo incompetente, que só trabalha em benefício próprio. Pensam no povo? Claro que não, os programas assistencialistas são para que eles tirem algum proveito.
    Programa eleitoreiro, dona Dilma vai fazer de tudo para conseguir uma reeleição. E o pior, que, se depender desses traidores, vai vencer. Infelizmente, o Brasil “já era”!

  12. É claro que é um absurdo colocarem o povo contra os médicos Brasileiros…

    É claro que é um absurdo colocarem o povo contra os médicos Cubanos!

    Não percebem como somos joguetes dos interesses políticos?

    A mídia fede, e sua fedentina está cada vez mais exposta.

    Uns usam a opressão do povo para ganhar popularidade.

    Uns usam argumentos ridículos para colocar o povo contra os médicos estrangeiros e também contra os médicos Brasileiros.

    Porque? Porque isso causará a revolta da classe médica Brasileira!

    Querem apoio dos médicos brasileiros para combater os médicos estrangeiros.

    Quem está por detrás disso??? Os planos de saúde e os carteis médicos, criados desde que o José Serra era ministro.

    A quem interessa todo esse AUÊ???

    Fato: Faltam médicos em áreas carentes. O povo precisa de médicos. Esses médicos nem irão “concorrer” com os médicos Brasileiros…

    Como disse, a direita é muito, muito suja. Me considero “centro” mas quando vejo argumentações como essas, me sinto enojado.

    Ainda bem que sei que existe uma “direita”, como o pessoal do instituto Mises, que não se sujeita a ir tão “baixo” assim.

    E acredito na outra “esquerda”, aquela que realmente se preocupa com o povo e sabe dar o devido valor a algumas iniciativas, sem se levar pelo aspecto “eleitoreiro” das mesmas.

    Chega! Esse assunto já deu!

  13. Para acabar com toda essa polêmica, nada melhor do que o cumprimento das leis brasileiras.

    Ou seja, que todos os médicos estrangeiros prestem o exame nacional, chamado de “Revalida”. Aqueles bons profissionais serão aprovados. E terão portanto legítimo direito ao exercício da Medicina, em território brasileiro.

    E que os aprovados no tal exame sejam contratados para o programa “Mais Médicos” respeitando todas as nossas leis trabalhistas, mediante regime celetista. Com contratos de trabalho individuas, garantias trabalhistas e todos os direitos assegurados. Sem a intermediação de nenhum órgão governamental (ou não governamental) estrangeiro.

    Afinal o contrato de trabalho vai durar 3 anos, todos terão residência fixa no Brasil, e o exercício efetivo será em nosso território. Portanto TUDO precisa respeitar NOSSAS leis trabalhistas, e não leis estrangeiras.

    Simples assim! Mas ficamos admirados com o governo brasileiro optando por caminhos tão flagrantemente ilegais!

  14. A estupidez e idiotice pertencem aos que não querem entender que a questão não se reporta à vinda de médicos cubanos, mas a forma como foram contratados, em princípio.
    Mas, o mais grave, é a articulação odiosa e indigna, intolerável e criminosa, de movimentos que colocam os médicos brasileiros como inimigos do povo, como culpados pela situação caótica do SUS porque não querem ir para o interior.
    Mentira torpe, vil, cretina, haja vista a falta de condições que enfrentaria abandonado nos sertões e igarapés brasileiros.
    Muito antes de se trazer médicos estrangeiros para auxiliar o povo que mora distante de qualquer cidade por menor que ela seja, que admito a utilidade desses profissionais nesses casos, seria o governo se preocupar em melhorar as instalações hospitalares e de postos de saúde.
    Interessante que foi deixado de lado a “ambulânciaterapia”, que as cidades sem recursos enviam seus pacientes às capitais para que sejam atendidos condignamente. Por acaso, os médicos cubanos resolverão esta dependência existente? E como farão para enviar seus doentes se nem ambulâncias terão?
    O objetivo, desgraçadamente, é meramente eleitoreiro, pois as dificuldades continuarão para a população em conseguir especialistas, leitos em hospitais, aparelhos que contribuem sobremaneira para diagnósticos precisos.
    Os médicos cubanos não poderão exercer as suas funções como esperam, diante da falta de recursos que os aguarda para onde serão designados, constatando que a nossa realidade é tão cruel quanto a deles, apesar de termos liberdade e democracia que eles desconhecem, mas o brasileiro é tão mal tratado e menosprezado pelos governos quanto os comandantes Castro tratam o povo cubano!
    Repudio veementemente acusarem os médicos brasileiros por esta deficiência no atendimento à população, e acuso os que apóiam tal iniciativa como traidores da Pátria, traidores do povo brasileiro, servos do PT, que colocam a ideologia barata e podre acima dos interesses nacionais e dos cidadãos deste País, notadamente uma categoria de profissionais que salva vidas, e não as aniquila mediante corrupção desenfreada de nossos políticos e incompetência gritante do governo federal nesta área!
    Se querem um inimigo ferrenho pela frente e que não me cansarei de escrever em defesa dos médicos brasileiros, encontraram alguém disposto e decidido nesta questão.
    Aceito a presença de médicos estrangeiros, e que passem pelas provas que os colocam como aptos à função, claro, e que façam um bom trabalho, se é que vão conseguir, agora, parem de execrar os profissionais da saúde brasileiros porque injusta e leviana atribuírem a esta categoria de trabalhadores as mazelas do SUS!

  15. Francisco, o sr. não argumenta, não tem o contraditório, porque sabe que o sr. Francisco Bendl, em seu comentário ,fez um retrato fiel do sr. e do seu partido.
    Com a permissão do sr.Bendl,coloco minha rubrica embaixo de seu excelente comentário.

  16. Minha prezada Loudes Horácio,
    Precisamos impedir que se alastre esta covardia orquestrada contra os médicos brasileiros, sob pena de permitirmos que se cometa uma das maiores injustiças contra uma categoria de profissionais que salva vidas, repito, e não as aniquila através da corrupção desmedida de nossos parlamentares, descaso e omissão por parte do governo federal!
    Revolta-me sobremaneira que, brasileiros, se prestem para este joguinho político miserável, de se atribuir aos médicos os problemas de saúde que saltam aos olhos e que sentimos na pele há anos, sem qualquer providência levada a efeito pelos governos passados e atual.
    Nada, mas nada contra a vinda de médicos estrangeiros, a não ser a forma como estão sendo contratados, no entanto, percebo um movimento execrável e que deve ser condenado, quando se collocam sobre os ombros dos nossos profissionais da saúde a irresponsabilidade governamental, uma maneira grotesca e sórdida de se fugir do compromisso ético e moral que deve ter um presidente desta República com relação à população desassistida pelo descaso deste mesmo governo.
    O meu abraço cordial, Lourdes.

  17. Meu irmão nordestino, CESAR-FORTALEZA,
    Somos obrigados a tomar posições em defesa de uma categoria que está sendo violentada, agredida e insultada covardemente através de políticas deploráveis, exercidas por medíocres, incapazes, incompetentes e corruptos!
    No entanto, o mais grave é constatar que, brasileiros, se sujeitam e se deixam usar contra os próprios brasileiros, ainda mais contra profissionais de uma área tão importante que é a Saúde Pública.
    Existem maus médicos? Claro. Existem os que não querem ir para o interior? Lógico. Os negligentes? indiscutível.
    Entretanto, na condição de seres humanos, encontramos tais falhas em qualquer classe de trabalhadores, razão pela qual devemos consertar tais problemas, menos acusá-los por erros que não lhes competem, principalmente, o funcionamento do SUS.
    Obrigado pelo teu importante apoio, meu caro.
    Um forte e cordial abraço.

  18. Particularmente sou a favor de importar médicos,inclusive cubanos, mas não esses médicos escravizados pela ditadura cubana.
    Essa gente que reage contra os fatos é a tal esquerda de de maluf, Sarney, barbalho , Lula, Dilma, Fidel, Boff, Beto e outros do tipo. Gente que não pensa 1 segundo no povo. Só pensa no poder político ou a ele está ligada.

  19. Reafirmo minha posição,sou favorável a vinda de médicos estrangeiros,para ocupar espaços não supridos pelos nossos médicos,porém. com dignidade.Infelizmente toda a profissão existem bons e maus profissionais.Todavia não devemos tapar o sol com a peneira, o nosso sistema de saúde esta terrível.

  20. Acyr Ramos, assino em baixo quantas vezes for necesssário. Falam tanto
    no revalida e, esquecem que a vida uma vez perdida não é revalidada. Então
    por que não criar o valida para os formandos brasileiros? Tal qual o exame da
    OAB. Sabem porque? Isto sr. presidente do conselho federal de medicina não
    fala. No ano de 2012, o CRMSP fez um exame facultativo para os formandos em
    São Paulo. Apena 50% compareceram, destes 50%, apenas a metade logrou sucesso.
    Moral da história; 75% dos formandos paulistas não estão aptos ao exercício
    da medicina, mesmo porque 50% correram do pau.

  21. É facil entender porque os medicos não querem ir para o interior, la eles não poderão bater o cartão e irem embora, como fazem nos grandes centros. Em lugar pequeno, eles seriam flagrados no primeiro dia. A casa cai e a malandragem sabe disso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *