Conversa com Mateus, sobre a necessidade de acabar a reeeleição e também a coincidência das eleições

Mateus Silva:
“Infelizmente o Ceará, meu Estado, ficou entregue à família Ferreira Gomes, sem oposição. Isso não costuma acabar bem”.

Comentário de Helio Fernandes:
Certíssimo, Mateus, total concordância. E o que está acontecendo não é apenas no Ceará, e sim no Brasil inteiro. Consequência da reeeleição, para presidente e governadores, violentando a tradição brasileira. E desrespeitando a cláusula pétrea da NÃO REELEIÇÃO, inscrita em todas as Constituições.

Deviam passar o mandato de presidente para 6 anos e o de governadores para 5, todos sem reeeleição. A diferença de 1 ano seria importantíssima para evitar a burra COINCIDÊNCIA de mandatos. Essas eleições juntas, impedem a RENOVAÇÃO.

O presidente deveria disputar com os senadores, os governadores com deputados (federais e estaduais), os prefeitos com vereadores. Apenas 3 eleições. Podem dizer, gastariam muito dinheiro. Para dar autenticidade à representação, não há prejuízo, tudo é lucro.

Agradeço a Mauro Gondin, também do Ceará, que lembrou: Eunício, agora senador, não é do PSDB e sim do PMDB. Ótimo, foi o que saiu realmente, mas, lógico, estou farto de saber a diferença. O computador tem desses mistérios, a colaboração cordial é sempre bem recebida.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *