Corregedoria do MPF pede monitoramento do uso de redes sociais por procuradores

Charge do Rice (Arquivo Google)

Rafael Moraes Moura e
Breno Pires
Estado

O corregedor-geral do Ministrio Pblico Federal, Oswaldo Jos Barbosa Silva, pediu nesta quinta-feira, dia 15, um pente-fino em todas as manifestaes de procuradores em redes sociais. A medida gerou protestos internos entre integrantes do rgo, que viram no texto uma forma de intimidao e censura prvia. Em mensagem disparada a integrantes do MPF em uma rede interna de comunicao, Silva diz que a inteno orientar e agir preventivamente, de forma a evitar, sempre que possvel, a abertura de inquritos administrativos disciplinares.

RELATRIOS SEMANAIS – O corregedor determinou que a Secretaria de Comunicao Social da Procuradoria-Geral da Repblica lhe encaminhe relatrios semanais com as postagens. A partir de hoje a CMPF (Corregedoria do MPF), requisitou SECOM/PGR (Secretaria de Comunicao Social) que encaminhe relatrio semanal de todas as manifestaes de membros do MPF, efetuadas por meio das redes sociais, para exame do rgo correicional, diz trecho da mensagem enviada pelo corregedor obtida pelo Estado.

O corregedor-geral, ao fazer a presente comunicao, entende que sua funo orientar e agir preventivamente, de forma a evitar, sempre que possvel, a abertura de inquritos administrativos disciplinares em relao a situaes e fatos que, por sua dimenso e pequena gravidade, possam ser resolvidos com recomendao e comprometimento e, na oportunidade, chama os membros do MPF usurios das redes sociais, reflexo, sobre como nelas se conduzir, escreveu.

QUESTIONAMENTOS – A recomendao do corregedor ocorre em um momento em que a atuao de procuradores alvo de questionamentos no Conselho Nacional do Ministrio Pblico (CNMP), que j abriu reclamao disciplinar contra o coordenador da fora-tarefa da Lava Jato no Paran, Deltan Dallagnol, por crticas ao senador Renan Calheiros(MDB-AL) nas redes sociais. A atuao de Dallagnol est na mira do conselho aps o site The Intercept Brasil publicar mensagens trocadas entre procuradores e o ex-juiz e atual ministro da Justia, Srgio Moro, sobre as investigaes da Lava Jato.

O presidente da Associao Nacional de Procuradores da Repblica (ANPR), Fabio George, contra o monitoramento das postagens. Os membros do MPF esto preocupados com medidas disciplinares que dizem respeito liberdade de expresso. Precisamos defender o direito dos colegas de manifestao e crticas, ainda que duras, disse George ao Estado.

CENSURA – Em carter reservado, um integrante do MPF que est na disputa para assumir o comando da Procuradoria-Geral da Repblica afirmou que a liberdade de expresso nas redes sociais no pode ser objeto de censura prvia. O mais desagradvel: o corregedor informou que a Secom monitoraria e o avisaria. Definitivamente, diminui o papel da corregedoria. O MPF anda muito estranho. Caminhos nada sadios, resumiu.

One thought on “Corregedoria do MPF pede monitoramento do uso de redes sociais por procuradores

  1. Bom dia , leitores (as):

    Senhores Rafael Moraes Moura , Breno Pires ( Estado ) e Carlos Newton , baixou a censura e mordaa prvia aos membros do MPF , moda Dias Toffoli fez com o judicirio .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.