Corrupção do Arruda, constrangimento de uma nação

Esse episódio que envolve o governador de Brasília, o vice e o presidente da Assembléia Legislativa, ultrapassa tudo o que já aconteceu em matéria de indignidade pública e pessoal. O que revolta o país inteiro: o personagem principal, José Roberto Arruda é mais do que conhecido, capaz do que se viu e de pior ainda.

Surgiu nas manchetes do crime organizado, quando violentou o painel do Senado, para evitar a cassação de um amigo, (e que amigo, que acabou cassado), Luiz Estevão. Apanhado em flagrante, não fez por menos: “Juro pela minha honra, que não participei de nada”. Como ninguém acreditava nessa honra inexistente, renunciou para não ser cassado. No ano seguinte, (2002) se elegia deputado, em 2006 já era governador. Garantiu que não admitiria a reeeleição, já era candidato, não é mais, qualquer que seja a forma, terá que deixar o mandato.

Haja o que houver, o Presidente do Tribunal de Justiça assumirá. O vice está envolvido, (por que, um homem riquíssimo, dono de tudo em Brasília?), o presidente da Assembléia também, o cargo irá para a Justiça.

Como esse é o grande assunto nacional, diariamente iremos mostrando o que acontece no setor dessa corrupção, tão típica e característica da destruidora política de Brasília.

Na época áurea e no apogeu da corrupção de Al Capone, foi feito um filme extraordinário, com o título, “Scarface, a vergonha de uma nação”. Apesar de não ter cicatriz, Arruda merece filme igual.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *