CPI dos Fundos de Pensão pode descobrir altas falcatruas

Bernardo Mello Franco
Folha

O Senado ganhou uma oportunidade para mexer num vespeiro que interessa diretamente a milhões de brasileiros. É a CPI dos Fundos de Pensão, que deverá ser instalada nos próximos dias.

A comissão foi criada para investigar prejuízos em instituições que cuidam da aposentadoria dos servidores de estatais. Estão na mira gigantes como a Petros, da Petrobras, o Postalis, dos Correios, e a Funcef, da Caixa Econômica Federal.

Os fundos reúnem 557 mil servidores aposentados e 2,7 milhões na ativa. É gente que reservou parte dos salários para garantir um futuro tranquilo e agora teme perder o que aplicou devido a decisões estranhas e negócios esquisitos.

Só o Postalis acumula rombo de R$ 5,6 bilhões. No mês passado, os poupadores foram avisados de que teriam que pagar uma contribuição extra superior a um quarto do salário para tapar o buraco. O fundo é controlado por dirigentes indicados por políticos do PT e do PMDB.

Na Petros, que tem 128 mil participantes e mais de R$ 66 bilhões de patrimônio, as perdas no ano passado foram estimadas em R$ 6,2 bilhões. E-mails interceptados pela Polícia Federal indicam que João Vaccari, o ex-tesoureiro do PT, influía na administração do bolo.

LOTEAMENTO SELVAGEM

“O loteamento político e sindical dos fundos foi selvagem. Isso está na origem de muitos investimentos temerários”, diz o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), um dos autores do pedido de criação da nova CPI.

Em abril, o governo pressionou senadores a retirar assinaturas de outro requerimento, o que adiou o início das investigações. Agora o Planalto cochilou, e a comissão terá que ser instalada nesta semana.

Há muita coisa a se investigar no mundo dos fundos, que tem atraído pouca atenção dos órgãos de controle. Um dos caminhos será ouvir quem acompanhou os negócios de dentro. Entre conselheiros e servidores, muita gente pode ser convencida a contar o que sabe

6 thoughts on “CPI dos Fundos de Pensão pode descobrir altas falcatruas

  1. Existe uma maldição que envolve os Fundos de Pensão no Brasil. Faliram o Montepio da Família Militar, a Capemi, o Aerus todos deixando milhares de aposentados na miséria.

    Ocorre que inexiste uma fiscalização de qualidade sobre os atos da presidência dos fundos e de seus diretores. Os conselheiros fiscais também não atuam para impedir a administração fraudulenta, pela simples razão da complexidade dos cálculos atuariais.

    O Legislador pátrio por sua vez, não contemplou no ordenamento jurídico, as medidas duras contra a gestão temerária e por fim, há ineficiência dos órgãos do governo na tarefa de identificar sinais exteriores de riqueza vindos dessa farra com o dinheiro dos aposentados e contribuintes dos Fundos de Pensão.

    Por último e não menos importante, as indicações políticas para dirigentes dos Fundos de Pensão das estatais impede uma gestão profissional com vistas as ações de longo prazo. O hoje é uma coisa daqui, a 30 anos ninguém se lembrará de mais nada, só ficará o rombo no futuro, justamente quando os contribuintes precisarão mais da complementação de suas parcas aposentadorias do INSS, que evaporam com o tempo devido as políticas de aumento regressivo perpetradas por todos os governos, sejam tucanos ou petistas, conservadores ou neoliberais.

    Não há salvação nem boa colheita nessa lavoura dos Fundos.

  2. Até parece que essa CPI vai dar em alguma coisa. Vejam que os relatores, e os principais personagens são do PT. A começar com o Humberto Costa.
    Se o destino das CPI é acabar em PIZZA, esse não será diferente. POSTALIS, com um rombo de R$ 5,6bi; PETROS com um rombo de R$ 6 bilhões, e FUNCEF com um rombo de R$ 5,5 bilhões…..será que vai dar em alguma coisa? duvido

  3. COM UM CONGRESSO DESSE QUILATE, CUJAS CPIs, ACABAM TRANSFORMANDO “VITIMAS” EM “REUS”, SERVINDO PIZZAS, ESPERAR O QUE???.
    O GOVERNO E SEU PARTIDO E PENDURICALHOS, A INDICAR A DIREÇÃO DO FUNDO, JÁ É UMA ANOMALIA, DEPOIS, A FALTA DE FISCALIZAÇÃO SÉRIA, COM PUNIÇÃO AOS DIRIGENTES, A FALTA DE TRANSPARÊNCIA NA MOVIMENTAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA, SÓ PODE DÁ NISSO QUE AÍ ESTÁ.
    O CIDADÃO É O “BURRO DE CARGA” MAL ALIMENTADO, COM CHICOTE NO LOMBO, ALIMENTANDO COM ESCORCHANTES IMPOSTOS, SEUS DONOS, CHAMADOS POLITIQUEIROS.
    TÁ TUDO ERRADO COMPADRE!!! ATÉ QUANDO????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *